Logo E-Commerce Brasil

Linhas de crédito para importação: como funcionam e quando usar

Por: Redação E-Commerce Brasil

Equipe de jornalismo E-Commerce Brasil

Pessoa apertando as mãos em sinal de parceria ao lado do texto 'linhas de crédito para importação"
Imagem: reprodução

Atualizar o maquinário, compor o estoque de produtos ou até adquirir as matérias-primas necessárias para ampliar a linha de produção — tudo isso sem precisar comprometer o capital imediato da empresa. Esses são apenas alguns exemplos do que as linhas de crédito para importação podem proporcionar para o seu negócio. 

Disponível para organizações dos mais variados tamanhos, incluindo pequenos e médios empreendimentos, esta modalidade de financiamento viabiliza ainda a entrada de novos players no comércio exterior e oferece opções que se adequam às necessidades e cenários particulares de cada empresa. 

Como funcionam?

De forma geral, as linhas de crédito para importação podem financiar até 100% da operação, indo desde a compra da mercadoria em si — cobrindo os custos com a fabricação e fornecimento dos itens junto à indústria estrangeira — até as despesas locais, envolvidas em todo o processo de nacionalização da carga, como transporte, armazenamento e desembaraço aduaneiro. 

Para se habilitar e aplicar para o crédito, o primeiro passo é registrar a empresa como uma importadora junto a ​​Receita Federal. Depois, é recomendado que se faça uma boa pesquisa sobre os produtos e fornecedores dos quais se deseja importar, atentando-se às regras, documentações e licenças necessárias. E em paralelo, a empresa deverá selecionar a instituição financeira e o pacote de crédito que melhor atende o seu projeto de importação.

E por que recorrer a linhas de crédito para importação?

Para começar, o crédito para importação não exige que a empresa comprometa o orçamento a fim de fazer novos investimentos no negócio — seja para expandir ou melhorar a produção, seja para restabelecer o estoque e alavancar as vendas. Além disso, a empresa não precisará lidar com os custos imediatos pagos pela mercadoria, ganhando tempo e fôlego financeiro até que os produtos cheguem do exterior e possam gerar lucro.  

Outro ponto de vantagem é que os pagamentos programados pelo financiamento, muitas vezes atrelados a taxas fixas, dão mais previsibilidade de caixa, permitindo que a empresa se planeje e possa fazer novos investimentos, mantendo um fluxo de abastecimento e geração de receita consistente. 

E quem fornece?

Os recursos das linhas de crédito de importação podem ser captados diretamente com as instituições financeiras de fora (Linha Direta) ou por intermédio de um banco nacional (Linha de Repasse). No Brasil, o Banco Central é o órgão responsável por regular estes procedimentos e grandes instituições, como Banco do Brasil, Bradesco e Itaú, oferecem o financiamento para importação.

Outra opção é recorrer a gerenciadoras de importação, como a JoomPro, que contam com parceiros que dispõem de linhas de crédito flexíveis e customizadas para seus clientes. Assim, além do financiamento para viabilizar a importação, há a garantia de que todo o processo será supervisionado por especialistas — desde a busca e negociação com fornecedores, até a documentação e logística da fábrica ao estoque — minimizando riscos e evitando prejuízos.