Acesso rápido
  Redação E-Commerce Brasil

Proteção de dados: Europa dificultará plano de integração de plataformas do Facebook

Sexta-feira, 08 de março de 2019   Tempo de leitura: 4 minutos

Nesta última quarta-feira (06/03), Mark Zuckerberg fez uma publicação dizendo planejar integrar WhatsApp, Instagram e Messenger. A medida, segundo ele, visaria facilitar a comunicação entre os usuários nas plataformas do Facebook. Porém, é bem provável que o plano enfrente uma forte oposição na Europa, onde duras regras de privacidade foram impostas no ano passado e os reguladores já alertaram o Facebook contra o compartilhamento de dados entre suas empresas. Vale lembrar que a Lei Geral de Proteção de Dados brasileira é amplamente baseada no modelo europeu. Ou seja, se isso está acontecendo lá, pode muito bem refletir por aqui!

Em janeiro, a Comissão de Proteção de Dados da Irlanda (DPC) divulgou uma declaração incomum quando o New York Times informou pela primeira vez que Zuckerberg queria unificar a infraestrutura subjacente dos aplicativos.

A Irlanda atua como principal regulador do Facebook na União Europeia em questões de privacidade, porque é onde a empresa tem sua sede regional. A DPC solicitou “uma informação urgente sobre o que está sendo proposto” e disse que estaria “examinando de perto” os planos da empresa de tecnologia.

“As propostas anteriores para compartilhar dados entre as empresas do Facebook deram origem a preocupações significativas com a proteção de dados. Por isso, a CPP irlandesa buscará garantias precoces de que todas essas preocupações serão levadas em consideração”, disse o documento.

Nesta quinta-feira (07/03), o Facebook afirmou em comunicado que seus planos ainda estão nos estágios iniciais e a integração levará tempo e discussão para ser construída, pois há desafios técnicos e outros que precisam ser considerados com cuidado.

A empresa disse que continuará trabalhando com o regulador irlandês em questões de privacidade. A DPC se recusou a elaborar sua declaração de janeiro.

Comportamento anticompetitivo?

Em fevereiro, o órgão regulador de dados da Alemanha declarou que o Facebook estava abusando de sua posição dominante no mercado ao combinar seus dados com informações do Instagram, WhatsApp e sites de terceiros. Na ocasião, proibiu a empresa de continuar a prática sem o consentimento explícito dos usuários.

Zuckerberg argumentou em seu post que a integração dos serviços de mensagens os tornaria mais convenientes. Ele também destacou que a privacidade seria melhorada, uma vez que mais mensagens poderiam ser criptografadas.

Paul Bernal, especialista em privacidade e professor de direito de mídia na Universidade de East Anglia, na Inglaterra, disse que os argumentos de Zuckerberg não convenceriam os reguladores. “Ao alegar que a verdadeira questão seria o conteúdo das mensagens, que ele protegerá e respeitará, ele espera desviar a atenção da questão muito mais importante dos metadados”, disse Bernal.

Cruciais para os negócios do Facebook, os metadados geram informações sobre quem está se comunicando com quem, quando e como. Segundo Bernal, “isso permite definir o perfil do usuário, que é a chave para a segmentação tanto de publicidade quanto de conteúdo. É o que gera dinheiro para o Facebook e também representa o maior risco à privacidade e à autonomia das pessoas”.

Em 2014 o Facebook pagou US$ 19 bilhões pelo WhatsApp, de longe a maior aquisição de todos os tempos. Em 2017, a Comissão Europeia impôs à empresa uma multa de € 110 milhões (US$ 123 milhões) por tratamento indevido dos dados.

Vale ressaltar que em 2014, durante uma revisão regulamentar de 2014, o Facebook disse à Comissão ser incapaz de igualar perfis de usuários existentes no Facebook com números de telefone do WhatsApp. Dois anos depois, entretanto, ele fez exatamente isso.

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.