Acesso rápido
  Redação E-Commerce Brasil

80% dos consumidores desistem do e-commerce por falta de descrição do produto

Sexta-feira, 13 de abril de 2018   Tempo de leitura: 3 minutos

A qualidade e quantidade de informações dos produtos é um ponto frequentemente negligenciado por quem comanda até mesmo os maiores e-commerces. Afinal, as preocupações de um gestor de loja online são diversas: aumentar a visibilidade e tráfego em ferramentas de busca, otimizar sua ferramenta de busca e recomendação, converter mais clientes e garantir uma boa experiência durante a compra.

Mas tem uma coisa que vai fazer você pensar duas vezes sobre o tempo que você dedica a sua página de produto: uma boa descrição do produto é essencial para 52,2% dos consumidores decidirem onde comprar. Atenção, é “onde” e não “o que”. Sim, é o e-commerce que o consumidor está julgando – e, com isso, todo seu investimento em mídia, SEO, UX e busca acabam sendo prejudicados.

É verdade que a questão financeira ainda é o maior fator decisor. De acordo com a pesquisaHábitos de Compra do Consumidor Online”, 9 em cada 10 consumidores consideram decisivo o preço do produto na hora de escolher a loja em que comprar online. Mas, mesmo com um bom preço, o consumidor não está disposto a sair caçando informações em outros sites para depois voltar e finalizar uma compra. O risco: se sair, ele não voltar mais.

Quer provar essa teoria? 78% dos consumidores digitais já desistiram de uma compra por não confiar nas informações oferecidas sobre um produto. Muito disso vem de informações contraditórias e confusas que muitas vezes aparecem nas lojas. De fato, 1 em cada 5 consumidores já encontraram no e-commerce informações divergentes sobre o mesmo produto.

Parece impensável, mas gigantes do e-commerces ainda falhem em algo tão básico como conteúdo de produto. E por um motivo tão banal: tecnologia. Ou melhor, a falta dela. O varejista ainda trata o conteúdo de modo arcaico: trocando planilhas e alocando pessoas para cadastrar e validar informações que são enviadas por fornecedores, sellers ou produzidas internamente.

Como última ponta dessa comunicação, o consumidor não tem nenhuma voz ativa no processo. Ele fica “refém” daquilo que encontra. Sua única arma é buscar a concorrência que ofereça o serviço que ele considera adequado, confiar em reviews de outros consumidores ou ir até uma loja para conferir o produto – e comprá-lo, em muitos casos.

As informações estão na pesquisa Hábitos de Compra do Consumidor Online, realizada pelo Birdie – plataforma que aplica tecnologia e machine learning para proporcionar uma melhor gestão de informação de produto. Para ter acesso ao relatório completo, clique aqui.

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.