Projeto mantido por:

  Redação E-Commerce Brasil

Influenciadores brasileiros ganham R$ 18 mil por campanha nas redes sociais

Tuesday, 31 de May de 2022   Read time: 4 minutes

O número de influenciadores digitais no Brasil já ultrapassa os 500 mil, de acordo com o levantamento da Nielsen. Apesar de não ser uma profissão regulamentada, os profissionais da área com pelo menos 10 mil seguidores nas redes sociais representam mais do que o contingente de dentistas formados no País (segundo o Conselho Federal de Odontologia, são 374 mil). A quantidade também é o dobro do número de arquitetos (212 mil), ultrapassa o total de engenheiros (455 mil) e empata com o número de médicos (502 mil).

A desenvoltura na frente das câmeras faz com que essas pessoas acabem se relacionando virtualmente com um público fiel e interessado em interagir. É por isso que marcas aproveitam perfis que conversem com seus produtos e nicho para divulgação, o que acaba sendo a fonte de renda dos influenciadores. São os famosos “#publi”.

De acordo com a Folha de S.Paulo, o valor das campanhas nas redes sociais – com destaque para Instagram, seguido de YouTube e TikTok – varia bastante: desde a quantidade de seguidores que o influenciador tem, o nível de engajamento do público e até a região onde essa pessoa mora. No entanto, uma publicidade pode valer de R$ 1 mil a R$ 600 mil. A média de uma campanha para um influenciador já conhecido é de R$ 18 mil – mas o valor não vai inteiro para a pessoa, já que, a maior parte desses profissionais são gerenciados por uma agência, que geralmente fica com 20% do total.

Com a mudança do comportamento do consumidor, muito mais conectado pelas redes sociais atualmente, a verba publicitária gasta pelos anunciantes com publicidade nas redes em 2021 foi de R$ 1,43 bilhão – valor muito maior do que o investimento feito em rádio, jornal, revista e cinema somados no ano passado.

#publi não garante venda

A pesquisa da Nielsen, realizada entre fevereiro e março deste ano, ainda mostra que embora a maior parte do público que sempre acompanha influenciadores é composta por mulheres (43% contra 24% dos homens), mais da metade delas (56% e 76% dos homens) nunca comprou produtos ou serviços anunciados pelos influencers.

Quando questionados, a maior parte do público (66%) afirmou não sentir confiança na propaganda feita pelo influenciador. “O anunciante precisa fazer com que o seu conteúdo tenha ressonância junto à comunidade atendida por aquele influenciador”, afirma Sabrina Balhes, líder de mensuração da Nielsen Brasil em entrevista à Folha. “O influenciador fala de uma maneira customizada com o público, algo impossível para uma grande marca, mas a mensagem tem que ser relevante”, finalizou.

Fonte: Folha de S.Paulo

Leia também: O poder dos influenciadores no pós-pandemia

Leave your comment

0 comments

Comments

Your email address will not be published.

Commenting as Anonymous

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER