Redação E-Commerce Brasil

Google reforça engajamento como estratégia para conquistar consumidor

Segunda-feira, 17 de maio de 2021   Tempo de leitura: 7 minutos

Para expandir os negócios no e-commerce, o primeiro passo é pensar além dele. Durante a palestra “Ads & Performance para a categoria Auto”, apresentada pelo gerente de E-Commerce & Multichannel do Google, Paulo Leme, mostrou-se que ser digital é mais que anunciar produtos na internet. O principal, na visão do executivo, é entender o consumidor e engajá-lo para, no futuro, sua marca ser a referência inicial de compra de autopeças online.

“A união do bom trabalho digital, sem deixar o toque humano de lado, é a equação para ampliar resultados”, disse. Para embasar a teoria e reforçar a importância de difundir este conteúdo, Leme também citou que 37% das empresas ainda não fazem campanhas no digital. Para o período de pandemia da covid-19, por exemplo, essa demora à adaptação pode custar caro.

Leia também: Os principais desafios da digitalização do setor automotivo

Agora, em meio a menor circulação de pessoas, o mercado de autopeças passa a ser praticado online. Nesse caso, o especialista apresenta que 49% destes consumidores geram engajamento após a compra. “Gerar engajamento está nos mínimos detalhes. Um comentário sobre o produto nas mídias sociais ou na página da loja, por exemplo, ajudam a fomentar a empresa”, complementa Leme. Em qualquer caso, a dica básica é de olhar ao público com foco na venda direta (B2C), mesmo que o alvo seja outro.

É ao entrar nessa seara que o Google participa do cotidiano de quem deseja ampliar a presença online. Já consolidada como mecanismo de busca top of mind, a companhia norte-americana ajuda a marca a construir esse tipo de identidade — engajada — com os compradores, recrutando novos e fidelizando-os.

Tendências

Para os próximos anos, o gerente mostra as estratégias de maior eficácia para melhorar os resultados no E-Commerce de autopeças. A primeira tendência é mais uma dica: expor sua marca ao mercado como puder, fazendo com que a empresa apareça mais em pesquisas relacionadas ao setor automotivo. Depois, ele cita que 70% das pessoas compram mais online e a queda de lojas físicas no varejo foi de 45%. Isso reforça, de acordo com Paulo Leme, a ideia de que estar presente neste meio é o melhor caminho para alcançar números cada vez melhores.

Outro ponto é o acolhimento do consumidor acostumado a frequentar a loja física. Neste caso, o objetivo é compensar a falta de contato humano com o qual este consumidor estava acostumado, focando em dois aspectos: passar a qualidade do produto e criando valor do online. Ambos podem ocorrer quando a empresa trabalha na especificação de produtos e em um site mais intuitivo, que facilite à compra.

Por fim, o grande cerne de tudo isso e a principal resultante de aproveitar as tendências: relacionamento. Ao se relacionar até o mais analógico dos consumidores, gera-se um engajamento poderoso com a marca, algo já pensado no B2C que deve ser mais empregado ao B2B no futuro.

Como ser diferente?

Paulo também mostrou que o diferencial da empresa está na qualidade e não no preço praticado. Isso foi exemplificado com uma pesquisa simples no Google Trends, que demonstra como as buscas no site foram mais por produtos melhores do que pelos mais baratos.

Portanto, ele também assimila o oferecimento de comodidades (frete grátis, cash back e cupons) como outra formas de se diferenciar da concorrência.

O Google te ajuda

O profissional também mostra as principais formas do Google auxilia-lo nessa trajetória de entender a jornada do cliente. Veja os tópicos:

Reforçar a marca/educar consumidor

Com isso, o tráfego do site da empresa aumenta graças ao alcance da companhia, além de ativar a base de clientes e aumentar a recorrência deles — mesmo o mercado de autopeças sendo, na maioria das vezes, para situações de emergência.

Após mensurar esse maior alcance, o Google também permite que a empresa pense em multiplataformas. Dessa forma, a autopeças pode vender em várias frentes (google search, maps, youtube, chrome, google play, drive, photos, gmail e android).

Confira outros dados da apresentação:

Novas mídias

90% das pessoas afirmam que descobriram novos produtos no Youtube (pesquisa global)

15% das buscas diárias são novas

Comportamento de buscas

Categoria de peças tem crescimento de 31% nas buscas (março2020/março2021).

Procura mais afunilada.

O mais moderno captura mais consumidores.

Por Lucas Kina, especial para o E-Commerce Brasil

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.