Acesso rápido
  Redação E-Commerce Brasil

Falta democratizar carro elétrico como fizeram com o celular, diz executivo da Nissan

Quarta-feira, 04 de setembro de 2019   Tempo de leitura: 4 minutos

Há algumas décadas, ter um carro podia ser considerado um privilégio para poucos afortunados. Era quase impossível imaginar que a indústria automobilística cresceria tanto e que comprar um veículo próprio se tornaria algo bem mais acessível. Todo esse aumento tem obrigado o setor a inovar para enfrentar não só a concorrência acirrada, mas, principalmente, para conquistar o cliente.

Esse cenário, o futuro da mobilidade e a popularização dos carros elétricos foram temas abordados pelo diretor de marketing e vendas da Nissan, Humberto Campusono, na palestra “Inovação no Segmento Automotivo: Como se Manter Competitivo em um Mercado com Tanta Incerteza?”, durante a 10ª edição do Fórum E-Commerce Brasil.

Segundo dados apresentados por Campusono, 1,25 milhão de mortes acontecem ao ano no trânsito mundial, sendo que entre 80% e 90% delas são causadas por falha humana. Muito disso, evidentemente, tem relação com a evolução das megalópoles, nas quais houve aumento não só nos engarrafamentos, mas também nas emissões de poluentes. “Como pensar um mundo diferente, que para nós seria melhor”, questionou o executivo.

A partir desse momento a proposta de Campusono foi mostrar os diferenciais da Nissan. O primeiro deles é que a empresa acredita que a tecnologia torna os veículos inteligentes e divertidos e não que essa modernidade afaste as pessoas dos carros, como diz a crença convencional. Ele defendeu que a mobilidade não tem tanto a ver com o que fazíamos há dez anos, mas sim, com o que será feito daqui para frente.

Humberto Campusono, da Nissan, no Fórum E-Commerce Brasil 2019/ Eligia Aquino Cesar

Inovações no setor automobilístico

Traçando um panorama para o futuro dos carros da Nissan, Campusono apontou três evoluções significativas. A primeira delas é que até 2022 já esteja circulando um modelo com direção totalmente autônoma. Outro ponto forte da marca é contar em seu portfólio com o modelo elétrico mais vendido no mundo: o Leaf.

O executivo destacou que o conceito de carros híbridos e elétricos ainda é novo para grande parte dos brasileiros. Além da questão da sustentabilidade, não emitir poluentes (42%), o gasto com a utilização (29%) e o baixo custo de manutenção (29%) foram os fatores positivos apontados por aqueles que desejam possuir um carro elétrico. Nas palavras de Campusono, “falta democratizar essa tecnologia como fizeram com o celular”.

Com o objetivo de conquistar esse público, a Nissan lançou no Brasil no último dia 18 de julho o Leaf, cuja pré-venda já havia sido feita no Salão do Automóvel do ano passado. O veículo, que já vendeu 380 mil unidades no mundo e venceu 114 prêmios internacionais, pode ser adquirido por R$ 195 mil. “A tecnologia é a conexão com tudo que vemos aqui. É preciso mudar a visão! O importante é ter o indivíduo como essencial nesse veículo que teremos para o futuro”, concluiu Campusono.

Leia também: Alibaba anuncia parcerias para instalação de assistente de voz em veículos

Por Eligia Aquino Cesar, colaboração para o E-Commerce Brasil

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.