Redação E-Commerce Brasil

Estudo pede simplificação de regras globais de proteção de dados

Terça-feira, 08 de dezembro de 2020   Tempo de leitura: 1 minuto

A proteção de dados pessoais de clientes pode ser feita adequadamente sem forçar os bancos a construir servidores de armazenamento em todos os países em que operam, o que aumentaria custos para os clientes, disse uma consultoria em um estudo nesta terça-feira (8).

O International Regulatory Strategy Group (IRSG), com sede em Londres, disse que os dados podem ser suficientemente protegidos sem a exigência de armazenar dados em servidores dentro do país de origem.

Tal exigência levou a disputas entre governos e gigantes da tecnologia como Facebook, Twitter e TikTok, mas também está se tornando um problema maior para os bancos que transferem dados de clientes entre países.

Proteção de dados

O IRSG, financiado pela City of London Corporation e TheCityUK, instou os países a basear a proteção de dados em um conjunto de princípios comuns, desenvolvendo os padrões existentes da OCDE.

O estudo diz que os bancos enfrentam uma gama variada de regras em cada país, como a proibição de exportar dados e requisitos para manter uma cópia local dos dados.

Parlamentares precisam considerar como os dados são usados em um mundo cada vez mais digital, onde a computação em nuvem permite que as empresas acessem novos mercados além das fronteiras nacionais, disse o estudo.

Leia também: O que analisar para fazer uma boa gestão do e-commerce?

Fonte: Reuters

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER