Redação E-Commerce Brasil

Eletrônicos e e-commerce de alimentos são categorias promissoras na América Latina, diz Euromonitor

Quinta-feira, 27 de julho de 2017   Tempo de leitura: 3 minutos

A desigualdade na distribuição de renda e os altos custos com serviços de telefonia móvel ainda são algumas barreiras para expandir os negócios digitais e o consumo de e-commerce na América Latina. Apesar disso, Michelle Evans, Global Head of Digital Consumer Research da Euromonitor apontou as categorias de eletrônicos, alimentos e passagens aéreas como as mais promissoras para vendas online nos próximos anos, durante sua palestra no Fórum E-Commerce Brasil 2017.

Uma análise de segmentação da Euromonitor mostrou o perfil dos consumidores online na América Latina que usam o dispositivos móveis e compram produtos ou serviços online: a média salarial anual desses consumidores digitais na América Latina é de 42 mil dólares e a maioria deles está aberta a compartilhar conteúdo online. “Os colombianos em geral não compartilham tanto (10% mais baixo que a média da região), por conta da legislação que está focada em regular a privacidade de dados”, disse Michelle.

Outro dado interessante é que o consumidor latino está mais aberto a receber propagandas personalizadas (Target-Ad) e não acham tão invasivo como os demais no mundo. “Em geral os consumidores usam os computadores, mas usam mais para comunicação do que para comércio. A segunda atividade mais popular no desktop é o envio e recebimento de e-mails, seguida por redes sociais em terceiro lugar”, aponta.

As redes sociais são muito significativas como canal para atingir os consumidores latinos: em média 80% estão conectados à essas redes, 88% navegam na internet diariamente e 35% compram via mobile. “No mobile o destaque fica para os aplicativos de mensagem”, comenta Michelle.

No Brasil o principal desafio ainda é converter a venda no mobile, já que os consumidores não confiam tanto no dispositivo e acabam terminando a transação no desktop. “Algumas barreiras são: a experiência no checkout que ainda é muito complicada na América Latina, o uso de carteiras digitais (ainda usa-se muito dinheiro mesmo em compras iniciadas no online), as fraudes, o tíquete médio baixo por consumidor, os problemas de entrega”, disse Michelle.

Mercado online na América Latina e oportunidades para varejistas

Reviews e comparadores de preços são importantes drivers quando falamos em vendas via desktop. Preço e economia de tempo também figuram ainda como principais motivadores para compras online. “Além disso, influenciadores de marketing fazem cada vez mais parte da vida dos consumidores digitais na América Latina”, disse.

Em termos de oportunidade para varejistas expandirem seus negócios as categorias alimentícia, beleza e eletrônicos são destaque na região latina. “No Brasil, apesar da retração econômica, os consumidores relataram que cortaram serviços como viagem, mas produtos de beleza ainda continuam em alta”, revelou. Além de beleza, Michelle destacou as categorias de eletrônicos, moda, serviço de alimentos e passagens aéreas como as mais promissoras para os próximos anos em termos de maior concentração de gastos.

“No México o Foodservice vai aumentar três vezes nos próximos anos (pedidos online). Na Colômbia, o mercado online de passagem aérea está em franca expansão. No Brasil os eletrônicos são uma grande oportunidade de vendas nos próximos anos, além dos produtos de beleza – existem muitos players, como a Natura que está expandindo suas operações, inclusive para fora do Brasil”, finaliza.

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER