Redação E-Commerce Brasil

Eletrodomésticos faturam R$ 4,3 bilhões em e-commerce no 3º trimestre

Sexta-feira, 30 de outubro de 2020   Tempo de leitura: 4 minutos

Produtos que antes tinham menor participação no varejo digital passaram a ganhar espaço com a constante expansão do e-commerce. Prova desse novo hábito é o crescimento significativo das vendas online de eletrodomésticos no terceiro trimestre: segundo a Neotrust/Compre&Confie, os eletrodomésticos tiveram 3,4 milhões de pedidos online, número que representa uma alta de 69,6% em relação ao mesmo período no ano passado.

O aumento no volume de compras provocou um faturamento recorde: a categoria registrou R$ 4,3 bilhões de receita. O crescimento nas cifras é de 114,8%, evolução maior que a média do mercado num todo, que teve 85,1% de aumento no comparativo.

Segundo o levantamento, a expansão do segmento no setor elevou também os gastos dos brasileiros nas compras destes produtos. Com aumento de 26,7% em relação ao terceiro trimestre de 2019, o ticket médio da categoria no período foi de R$ 1.260,20. O relatório completo está disponível no site: https://www.neotrust.com.br.

Passando mais tempo em casa, os brasileiros aproveitaram o terceiro trimestre de 2020 para renovar os aparelhos domésticos de uso diário, com destaque para geladeiras e refrigeradores, que concentraram 37,1% do faturamento no período. Em seguida, aparecem as subcategorias máquina de lavar e tanquinho e fogão, que somaram 22,9% e 13,2% do total, respectivamente. Finalizando os cinco produtos mais vendidos, freezer com 4% e Cooktop com 3,9% completam a totalidade.

O consumidor por região

Destrinchando o perfil dos consumidores de eletrodomésticos, as mulheres seguem com predominância no volume das compras. No período de julho a setembro, 54,7% do total de pedidos foram feitos por elas. Apesar disso, os homens gastam mais, apresentando um ticket médio de R$ 1.286,00 no período.

Segmentando por faixa etária, a idade média dos consumidores é de 39 anos. No terceiro trimestre de 2020, os destaques foram os compradores entre 36 e 50 anos e 26 e 35 anos, com 35,7% e 35,1% da totalidade das compras, respectivamente. Completando o levantamento, brasileiros acima de 51 anos tiveram 17,6% do share e os mais jovens, até 25 anos, 11,6% do total.

Seguindo o exemplo do e-commerce geral, o Nordeste foi a região que mais cresceu em relação aos eletrodomésticos no período. O Sudeste ainda detém a liderança em volume de compras online da categoria, com 61,7% do total de pedidos realizados no trimestre, queda de 7,1 p.p. no comparativo com o mesmo período do ano passado.

Em seguida, com maior crescimento entre as regiões, o Nordeste concentrou 17,6% das vendas realizadas de julho a setembro, o que representa um aumento expressivo de 6,6 p.p. em relação ao terceiro trimestre de 2019.

Com menor participação, as regiões Sul, Centro-Oeste e Norte tiveram evolução mais lenta no comparativo com as demais. O Sul foi responsável por 13,9% do total de pedidos de eletrodomésticos realizados no comércio eletrônico, percentual que apresenta redução de 0,3 p.p. em relação ao mesmo período de 2019.

Por fim, o Centro-Oeste concentrou 5,5% dos pedidos realizados (alta de 0,4 p.p.) e o Norte registrou 1,3% das compras online feitas nesse período, com crescimento de 0,4 p.p., segundo o levantamento.

Leia também: Fabricantes de eletrodomésticos e eletrônicos investem em e-commerce na pandemia

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.