Redação E-Commerce Brasil

E-commerce de cervejas “fecha as portas” por causa da lei do ICMS

Quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

A nova regulamentação do ICMS já está impactando seriamente as lojas virtuais, principalmente os pequenos. Na última terça-feira (12), o e-commerce O Caneco, focado em vender cervejas artesanais produzidas em Santa Catarina precisou encerrar as atividades por conta das mudanças no recolhimento do imposto.

Leia também:

 

Sediado em Blumenau (SC), O Caneco estava em operação desde 12 de Dezembro de 2014 e seguia em plena expansão, atendendo clientes em todo Brasil, principalmente no estado de São Paulo. Extremamente emocionado, o fundador do e-commerce, Silvano Spiess disse ao E-Commerce Brasil que o sentimento é de “profunda tristeza”.

Do ponto de vista empresarial, ele explica que tomou a decisão correta e inevitável. “Como expliquei no vídeo (veja abaixo), nossas decisões e diretrizes de trabalho foram tomadas com base nos pilares: Cliente e Governo, sendo que o principal é o Cliente. Quando nos deparamos com a capacidade analítica, temos basicamente duas decisões: SIM ou NÃO. Se digo sim para esta regra e tento adaptar minha empresa a este SIM, automaticamente estou dizendo NÃO para meu cliente, ou seja, deixando de criar valor para o principal pilar”, explica Silvano.

Para Silvano, do ponto de vista empreendedor, o sentimento é de frustração pela incapacidade dos governantes em criar um ambiente saudável para geração de renda, prosperidade e igualdade. “Assim como nós, todos os empreendedores criam seus negócios para gerar lucros, seja a médio ou longo prazo, baseado no seu tamanho, segmento e capacidade de investimento. A partir do momento que você não vislumbra o alcance destes lucros, a decisão mais correta é o NÃO, priorizando o SIM para você”, disse.

Perguntado se ele ainda tem esperanças que a lei seja revogada, Silvano disse que tem a obrigação de ser otimista e de ser o agente da mudança. “As dificuldades serão enormes, porém vamos buscar novas opções, que podem ou não incluir o e-commerce, dependendo do ambiente que for gerado”, desabafa.

Expectativas:

Silvano considera pouco provável que a lei seja revogada. Porém, após a repercussão inesperada do vídeo, ele acredita que se todo o segmento se unir, apresentar as dificuldades e impossibilidades, os governantes terão a obrigação de revogar esta insanidade.

Atuando há muitos anos na área comercial da indústria de confecções como representante comercial e sentindo necessidade de inovar e buscar um segmento de alto crescimento, Silvano chegou a conclusão que o caminho seria a tecnologia. “Juntando a experiência comercial e a tecnologia chegamos ao e-commerce”, conta. Silvano define a experiência curta de um ano no e-commerce em uma palavra: “aprendizado”. “Foi uma ano de busca de conhecimento tecnológico e de melhores práticas gerencias, criatividade para driblar a dita crise e motivação para crescer. Um ano muito desafiador, me apaixonei por isso!”, encerrou.

Assista ao vídeo:

Leia mais sobre a nova lei do ICMS:

E-commerce de cervejas “fecha as portas” por causa da lei do ICMS

Ministério da Fazenda e Confaz se reúnem no dia 20 para discutir lei do ICMS novamente

Perdas com novo ICMS eletrônico faz Sebrae pedir intervenção do Ministério da Fazenda

O novo ICMS do e-commerce nas vendas interestaduais com consumidores finais: forma de cálculo e outros aspectos

O ICMS no e-commerce a partir de janeiro de 2016

“Impactos do Convênio 93 vão desde adaptação de sistemas até rentabilidade das empresas”, diz gerente tributário do Magazine Luiza

 

Deixe seu comentário

12 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

  1. É lamentável… Será que um dia nosso povo vai ter sabedoria suficiente para escolher políticos que pensem mais no cidadão e em tornar a legislação mais fácil e que estimulem de fato as pessoas a empreender e ter sucesso?
    Será que esses IMBECIS que aprovam uma lei dessas merecem o nosso suado imposto?

    Ao nosso povo, lembro aqui uma frase: o elefante só não pisa no seu treinador, porque ainda não sabe a força que tem.

    Responder
  2. Se nós Brasileiro não temos a segurança de investir acreditar em “nosso” País, como podemos crescer com sociedade. Me sinto roubado assaltado por esse governo incompetente sem escrúpulos e imoral.
    Devemos dizer não as urnas! Nem sei mais o que dizer sem baixar o nível.

    Responder
  3. Nossa, da pra ouvir ele segurando o choro de perder o projeto; É uma vergonha esse governo. Praticamente nos obrigam a trabalhar ilegalmente. Imbecilidade e estupidez ao extremo.

    Responder
  4. Realmente, dá vontade de chorar quando se vê o descaso com que o governa trata a livre iniciativa nesse país. Por muito menos, os franceses mandaram todo esse pessoal para a guilhotina, há mais de 200 anos atrás.
    Coragem, que um dia isso muda!

    Responder
  5. Totalmente sem sentido ele fechar seu negócio por causa da nova legislação (que para quem não sabe, é a mudança gradativa do estado que recolhe o imposto)…
    O argumento de que ele escolhe entre o governo e o cliente é fraco…
    Enquanto ele enxergar com os olhos da derrota, derrotado será.

    Responder
  6. Mas cerveja é recolhido na origem via ST… para revenda de cerveja o procedimento não se aplica pois não é devida tributação posterior… Há um novo campo no xml da nota fiscal no é categorizado o tipo de ST de cada produto.. Não faz sentido… =\

    Responder
Hospedado por: Dialhost Transmissão de Webinars: Leads Qualificados: Dialhost Recrutamento & Seleção: Dialhost Métricas & Analytics: MetricasBoss People Marketing: Dialhost

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.