Acesso rápido
  Redação E-Commerce Brasil

Cross border e volta do frete grátis são destaques do 37º Webshoppers

Quinta-feira, 08 de março de 2018   Tempo de leitura: 3 minutos

Com a inflação abaixo do teto da meta e o crescimento do PIB (ainda que tímido), o varejo eletrônico tem perspectivas otimistas para 2018. “O perfil de renda do consumidor brasileiro aumentou, impulsionado pelo consumo de produtos como smartphones. Outro dado interessante foi a queda da participação da região sudeste, influenciada pela questão do Rio de Janeiro”, disse André Dias, Executive Director do E-bit. O E-bit estima que mais de 55 milhões de consumidores brasileiros fizeram pelo menos uma compra virtual no ano passado, alta de 15% ante 2016. Em 2018, a Ebit estima mais de 60 milhões de compradores virtuais. Veja outros destaques da pesquisa:

Copa do mundo e eleições: a Copa do Mundo deve impactar positivamente a venda de produtos, como televisores, bebidas e artigos esportivos. “Notamos que na última Copa, cerca de 18-20% houve um crescimento nas vendas online de eletrônicos, fenômeno que deve se repetir este ano”, disse Dias. Sobre as eleições, Pedro Guasti, CEO do E-bit disse que o cenário eleitoral e os candidatos que despontarem podem influenciar o “humor” do mercado (e dos empresários). “Isso também pode impactar os consumidores de alguma forma”, disse Guasti.

André Dias, Executive Director do E-bit

Cross Border: 22,4 milhões de brasileiros fizeram compras em sites internacionais e gastaram, em média, US$ 36,8 (cerca de R$ 117,8). Praticamente 41% dos consumidores virtuais compraram em sites do exterior. Aliexpress lidera como site preferido dos brasileiros. 41% afirmaram não ter pago frete na última compra e 56% disseram não ter pago imposto.

Empoderadas: As mulheres lideraram compras no e-commerce em 2017 e fizeram 1,4 milhão de pedidos a mais que os homens. “o crescimento é muito impulsionado pela categoria líder em vendas que é moda e acessórios”, disse André Dias, Executive Director do E-bit.

Sem parcelas: Praticamente metade das compras feitas no comércio eletrônico em 2017 foi paga à vista, apesar da importância do uso do cartão de crédito como o maior agente financiador de compras. “O consumidor não quer mais se endividar, por isso optou pelo pagamento à vista”, explicou Dias.

Marketplace: Pela primeira vez, o E-bit lançou dados sobre marketplaces. Impulsionado pela expansão do Mercado Livre, o faturamento proveniente das vendas dentro destas plataformas, incluindo produtos novos e usados, atingiu R$ 73,4 bilhões em 2017, alta de 21,9%. Confira notícia completa aqui.

Na liderança: Smartphones/celulares ultrapassaram os eletrodomésticos, sendo a categoria mais vendida no e-commerce em 2017 em volume de faturamento. Destaque também para alimentos e bebidas, que entram pela primeira vez no ranking das dez principais categorias do e-commerce.

Frete grátis: varejistas aumentaram a oferta de frete grátis nas compras on-line. Entre o 4T16 e o 4T17 houve um aumento de 6 pontos percentuais (36% para 42%), influenciado pelo incentivo ao uso de aplicativos e à retirada de produtos em lojas físicas. “Vimos a volta do frete grátis no e-commerce brasileiro”, disse Dias.

Alice Wakai para E-Commerce Brasil

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.