Acesso rápido
  Redação E-Commerce Brasil

Correios vão reajustar em até 51% o valor do frete? Tire suas dúvidas

Quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018   Tempo de leitura: 5 minutos

Nesta terça-feira (27), o Mercado Livre lançou a campanha #FreteAbusivoNão, denunciando um “aumento abusivo” de até 51% no valor do frete praticado pelos Correios, sem citar detalhes de como a cobrança será praticada. Segundo a ofensiva do marketplace, a prática vai impactar o caixa dos pequenos e médios lojistas que praticam frete grátis e entregam usando a estatal – nas contas do ML, crescimento de 29% no custo, em média.

“Ao escolher repassar os custos da sua ineficiência operacional, os Correios – líder na entrega de encomendas no e-commerce – figuram como principal responsável por prejudicar significativamente a evolução do segmento”, acusou em comunicado.

A campanha alcançou os trending topics do Twitter e gerou indignação tanto em lojistas quanto consumidores.

Os Correios, por outro lado enviaram nota à imprensa e se defenderam afirmando que o impacto é bem menor do que o divulgado. “Cabe ressaltar que o reajuste não é para os preços de e-commerce, mas para os serviços de encomendas dos Correios, também utilizados pelo e-commerce. Trata-se de uma revisão anual, a exemplo do previsto em contrato. A definição dos preços é sempre baseada no aumento dos custos relacionados à prestação dos serviços, que considera gastos com transporte, pagamento de pessoal, aluguéis de imóveis, combustível, contratação de recursos para segurança, entre outros”, afirmou a estatal no texto.

O E-Commerce Brasil responde as principais dúvidas dos lojistas quanto às novas políticas:

Correios vão aumentar em até 51% o frete? A campanha do Mercado Livre fala em aumento “de até” 51%, o que não está errado porque, em algumas rotas – especialmente aquelas fora dos grandes centros -, a diferença realmente chega a essa cifra. Não se sabe quantos lojistas serão impactados por cada reajuste, mas os principais centros – São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais – costumam ser os mais baratos.

De acordo com os Correios, o aumento médio será de 8% para “os objetos postados entre capitais e nos âmbitos local e estadual”, mas a estatal ainda não divulgou a nova tabela. Porém, essa não é uma atitude inédita da empresa: em 2017, houve casos em que o aumento beirou os 83%.

Custo do frete grátis vai aumentar? O custo do frete grátis aumenta sempre que o custo total da entrega cresce. Ou seja, mesmo uma mudança pequena gera impactos, ainda que mínimos, nas contas do lojista.

Frete vai ficar mais caro para os clientes? Essa é uma decisão exclusiva dos lojistas, que podem escolher entre arcar com os custos da entrega ou repassá-los ao consumidor.

Enviar (e comprar) vai ficar mais caro fora dos grandes centros? A média de 8%, dentro dos padrões recentes de aumento nos contratos dos Correios, vale para “capitais e âmbitos local e estadual”. Entregas para lugares de fora dessas áreas, segundo o E-Commerce Brasil apurou, vão sofrer aumentos maiores que podem chegar ao teto de 51%, dependendo da rota. Quem envia itens com muita frequência para o interior do Brasil deve ter mais dores de cabeça.

Mais de 110 mil famílias serão afetadas? De acordo com o comunicado do Mercado Livre, esse é o número de pessoas cuja renda principal provém da venda na plataforma argentina e que seria afetado pelos novos preços. É verdade que todos os varejistas serão impactados por algum tipo de aumento, mas não é possível saber com precisão quantos deles ficarão dentro da média de 8% e quantos serão enquadrados nas outras faixas e rotas.

Correios vão cobrar a mais para entregar no Rio de Janeiro? Por período indeterminado, mas, segundo os Correios, temporário, as entregas direcionadas à capital fluminense terão uma taxa adicional de R$ 3. “Vale esclarecer que essa cobrança já é praticada por outras transportadoras brasileiras desde março de 2017”, justificou a estatal.

Deixe seu comentário

3 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  1. Tem que privatizar, porque o governo não pode ter empresas, de onde os corruptos saqueiam, vamos fazer uma campanha na rede social contra os correios, e a favor da privatização já..

    Responder
  2. todas as empresas que usam correios, tem que se posicionar, se o frete aumenta suas vendas caem, voces vão ficar até quando de braços cruzados só vendo a banda passar ? Eu mesmo parei de comprar no ML por causa desse roubo dos correios…vamo lá gente privatização já…

    Responder

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.