Acesso rápido
  Redação E-Commerce Brasil

Correios começam a exigir nesta terça-feira nota fiscal no despacho de encomendas

Quinta-feira, 21 de dezembro de 2017   Tempo de leitura: 3 minutos

O início de 2018 trará mudanças para o e-commerce: a partir desta terça-feira (2), os Correios passarão a exigir a inclusão de nota fiscal para despachar mercadorias, que deverá ser afixada na parte externa do produto. A nova orientação foi divulgada na página oficial da estatal e noticiada primeiro pela Mandaê.

No caso de o lojista ser enquadrado como não contribuinte (MEI) – e estar liberado de emitir nota fiscal -, precisará preencher o formulário de declaração de conteúdo disponibilizado pelos Correios.

Segundo o comunicado, a responsabilidade de inserir a nota fiscal na mercadoria é do remetente. Caso ele não siga a nova determinação, terá a postagem recusada.

Com esse novo cenário, operadores de e-commerce que dependem da estatal devem, no próximo ano, emitir notas fiscais para todas as mercadorias vendidas e preparar o sistema operacional da loja virtual para evitar problemas no despacho.

O ideal é que a nota fiscal ou a declaração de conteúdo seja colocada dentro de um saquinho plástico transparente afixado no exterior da caixa, que protegerá o documento fiscal durante o transporte. Além disso, o lojista deve posicioná-lo com o código de barras virado para cima para facilitar a conferência da mercadoria no momento de despacho.

Vale enfatizar que, sem anexar o documento fiscal ou a declaração de conteúdo, não haverá despacho, o que prejudica o fluxo de vendas, gerando lentidão no processo e insatisfação por parte do cliente.

Confira o comunicado oficial dos Correios aqui.

Marcela Gava é jornalista especializada em produção, edição e revisão de conteúdo multimídia. Possui experiência em periódicos segmentados e comunicação B2B. Integra a equipe de conteúdo da Mandaê, escrevendo sobre e-commerce, logística e empreendedorismo.

Deixe seu comentário

17 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  1. O E-commerce onde trabalho utiliza PLPs do SIGEP, mesmo assim as notas devem ser afixadas fora da embalagem? Atualmente afixamos somente as notas nos pedidos a partir de R$500.

    Responder
  2. Nossa quanta exigência ciente de que não cumpre um terço das datas para entregas e sempre com atrasos. O certo era fechar todas as agências dos Correios e colocar outras concorrentes ex:Fedex e entre outras que trabalha no meio logístico.
    E sempre com desculpas falta de seguranças a área é perigosa aff.

    Responder
  3. É muita frescura se os proprios correios estão numa desorganizacao que só. Comprei um gabinete pequeno pelo sedex, chegou na minha cidade que fica no interior de SP e foi para outra cidade no litoral e no dia srguinte voltou para minha cidade. E com 2 dias de atraso. E depois põem a culpa de muitas entregas.

    Responder
  4. QUER DIZER QUE OS CONSUMIDORES VÃO SE FERRAR COM ESSA NOVA REGRA? SE NÃO VIER POR FORA DO PACOTE A NOTA FISCAL NÓS VAMOS NOS DANAR? TEM QUE PRIVATIZAR ESSA EMPRESA MESMO.

    Responder
  5. O correio deveria se preocupar com sua eficiência e não com o sistema tributário. Compro mercadoria na China. Chega a Holanda em uma semana. No mesmo dia eles processam e re-despacham a mercadoria. Em 12 a 15 dias está no Brasil.
    Curitiba leva 15 a 30 dias para liberar. É o nosso eficiente correio leva de 30 a 60 dias pra disponibilizar a mercadoria a você.
    Imaginem quem no mundo compraria algo do Brasil com tanta celeridade.
    Correios- cuide do que é seu melhor que ficaremos mais contentes

    Responder
  6. Pessoal, pelo que vi, só serão afetados aqueles que utilizam Mercado Envios. É só parar de usar o Mercado Envios e cobrar o frete do cliente. Dessa maneira você despacha nos correios sem aquela etiqueta do Mercado Envios com código de barras e não vão te pedir nota.

    Responder
  7. Que absurdo, esse país não vai pra frente NUNCA. Governo só quer arrecadar para tapar os furos e inventam essa…surreal…fora os extravios e roubos agora, com todo produto discriminado conteúdo. Ninguem pensa como um todo nessa bosta de governo, de país. Privatizem logo!

    Responder

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.