Projeto mantido por:

  Redação E-Commerce Brasil

Consumidores: inflação nos EUA aumenta índice de compras apenas do essencial

Monday, 25 de April de 2022   Read time: 3 minutes

Em março de 2022, a inflação nos EUA atingiu níveis nunca vistos por uma boa parcela da população do país. A maior taxa de inflação observada no país desde 1981 acendeu os sinais de alerta dos consumidores estadunidenses, que ao sentirem o aperto da economia, optam por manterem apenas compras essenciais — 154 milhões de pessoas, ou 60% deles, especificamente.

A lista de compras dos consumidores norte-americanos inclui pouco mais do que o essencial diário naquele mês, incluindo alimentos, produtos de saúde e outros. Os chamados consumidores “manter o essencial” são apenas um dos quatro principais tipos de compradores que a PYMNTS identificou no Relatório Mensal Connected Economy.

A pesquisa, que lidou com as principais estratégias dos norte-americanos para driblarem os problemas trazidos pela alta da inflação, apresentou também indicativos e reforçou a ideia de que os consumidores devem trabalhar ainda mais o excesso de gastos neste momento.

Veja as principais descobertas da pesquisa conduzida pela PYMNTS sobre o comportamento dos consumidores:

Os pedidos de restaurantes online desaceleraram e as compras de comércio eletrônico pararam em março. Nossa pesquisa descobriu que 8% menos consumidores fizeram pedidos de restaurantes on-line do que em fevereiro, enquanto a parcela que comprou itens de comércio eletrônico permaneceu inalterada em 40% – a menor taxa de engajamento vista em qualquer outro momento desde antes da temporada de festas de 2021.

As compras digitais de supermercado aumentaram em março, mesmo com os consumidores cortando gastos menos essenciais . Não apenas 4,9% mais consumidores compraram mantimentos on-line em março do que em fevereiro, mas a parcela que o fez também ficou no segundo nível mais alto visto desde novembro de 2021.

Os “grandes consumidores vivos” estão contrariando a tendência à frugalidade de uma maneira fundamental: eles são os mais propensos a comprar itens caros como eletrônicos, eletrodomésticos, móveis e automóveis. Eles representam apenas 10% da população, mas 46% são millennials e 42% ganham mais de US$ 100.000 em renda anual.

Leia também: Inflação: nos EUA, preços devem continuar elevados em 2022 apesar de ‘pico’

Fonte: PYMNTS

Leave your comment

0 comments

Comments

Your email address will not be published.

Commenting as Anonymous

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER