Redação E-Commerce Brasil

Compra de mantimentos online ainda é pequena nos EUA

Sexta-feira, 23 de agosto de 2019   Tempo de leitura: 8 minutos

A internet transformou a forma como as pessoas trabalham, se comunicam e compram muitos dos produtos que usam. Comprar mantimentos, entretanto, ainda não é uma delas. É o que aponta a pesquisa anual de hábitos de consumo da Gallup — empresa americana de análise e consultoria de mercado —, realizada de 1 a 12 de julho. Nela, 81% por cento dos americanos dizem nunca terem pedido mantimentos online. Do outro lado, 11% dizem que o fazem pelo menos uma vez por mês.

Outro dado interessante: 88% dos adultos dos EUA nunca pediram online kits de preparação para refeições contendo alimentos frescos, enquanto apenas 7% dizem fazer ao menos uma vez por mês. Vale destacar que, segundo estudo do Ebit, o Brasil registrou no primeiro semestre de 2019 crescimento de 82% na categoria de Alimentos e Bebidas. Há, inclusive, apostas no setor de “atacarejo”, com valores de alimentos unificados entre lojas físicas e online.

Por enquanto, os norte-americanos mantêm as formas tradicionais de comprar mantimentos — comprando pessoalmente em mercearias, comendo em restaurantes e pedindo comida para viagem ou entrega. Pelo menos uma vez por mês, sete em cada dez adultos dos EUA compram comida em cada uma dessas maneiras.

A primeira pesquisa da Gallup sobre como encomendar mantimentos online ocorreu em em 2017. Curiosamente, os resultados permanecem essencialmente inalterados desde então. À época, 84% disseram nunca terem pedido mantimentos online, e 9% fizeram isso pelo menos uma vez por mês.

A lenta adoção de pedidos de alimentos online pode indicar que as pessoas gostam de comprar suas próprias compras pessoalmente. Ou, ainda, que não conseguem uma economia de tempo e dinheiro suficiente para justificar a mudança. Nesse caso, as taxas de entrega que acompanham a entrega podem ser um fator relevante.

As compras online são mais comuns entre pais e adultos de renda alta — 19% das crianças com menos de 18 anos fazem compras online pelo menos uma vez ao mês, assim como 18% das pessoas com renda familiar anual de US$ 100.000 ou mais.

Os americanos entre 30 e 49 anos — mais propensos a ter filhos pequenos — também estão entre os subgrupos mais inclinados a comprar pela Internet. Adultos que trabalham em período integral (15%) estão ligeiramente acima da média nacional para comprar mantimentos online.

Com base nesses dados demográficos, a Gallup supõe que aqueles que compram mantimentos on-line o fazem por conveniência e provavelmente não se assustam com as taxas de serviço adicionais.

Enquanto isso, compras realizadas pessoalmente não mostram sinais óbvios de declínio — os percentuais este ano estão semelhantes aos de 2017 e 2018. Compras em lojas são, de longe, a maneira mais comum de os americanos obterem comida. Assim, 83% dizem que compram em mercearias pelo menos uma vez por semana, incluindo 37% que fazem isso mais de uma vez por semana.

Fica claro que muitos consumidores estão passando a comprar produtos online, salvo no caso dos mantimentos. E isso deixa uma enorme oportunidade para os varejistas de mercearia capitalizarem ou esperarem até que a próxima grande empresa de tecnologia descubra uma maneira de ganhar o interesse dos consumidores em fazer compras online.

Há mais americanos comendo fora semanalmente do que em 2018

Foi no ano passo que a Gallup criou este tipo de pergunta para a pesquisa em questão. Ela relaciona os pedidos de kits de preparação de refeições, pedidos de entrega ou entrega de comida — além de comer fora em um restaurante. Embora as porcentagens que cada abordagem utiliza em pelo menos uma base mensal não mostrem nenhuma mudança significativa desde o ano passado, houve um aumento na porcentagem de pessoas que relataram comer fora em restaurantes semanalmente ou com mais frequência — de 45% para 53%.

O aumento desde 2019 no jantar semanal é principalmente aparente entre as famílias de baixa renda (de 28% para 40%) e de renda média (de 47% para 56%). A porcentagem de adultos de alta renda que jantam pelo menos uma vez por semana é estável (66% em 2018 e 67% em 2019). Ainda assim, permanece maior do que em outros grupos de renda.

Os adultos de renda alta também são mais propensos a receber comida ou entregas. Entre aqueles em domicílios com renda anual de US$ 100.000 ou mais, 81% dizem receber comida ou entregas pelo menos uma vez por mês, em comparação com 71% dos adultos de renda média e 65% dos adultos de baixa renda.

Há uma divisão maior para encomendar comida e entrega por idade; 82% dos adultos com menos de 50 anos recebem comida para viagem ou entregas pelo menos uma vez por mês, em comparação com 57% dos adultos com 50 anos ou mais.

Sobre quantas vezes as pessoas pedem comida de um restaurante ou recebem entregas, a idade é um fator mais significativo do que a renda. Em cada categoria de renda, os jovens adultos são bem mais propensos do que os adultos mais velhos a obterem alimentos dessa maneira.

Quantas vezes adquiriram comida para viagem ou entrega de um restaurante, por idade e renda familiar. Nota: a renda mais baixa é sobre quem reside em domicílios com renda anual inferior a $ 40.000; a renda média para quem reside em domicílios com renda anual de US$ 40.000 a US$ 99.999; renda alta refere-se a quem reside em domicílios com renda anual de mais de US$ 100.000.

Não está claro se a maior tendência dos jovens adultos a receber comida ou entrega é mais por conveniência ou mais por causa da falta de conhecimento e habilidades culinárias. Independentemente disso, conforme os jovens adultos de hoje continuem recebendo alimentos regularmente à medida que envelhecem, eles prometem estimular o crescimento para os restaurantes no futuro.

Implicações

Os americanos têm sido lentos em adotar a compra de alimentos online até hoje. Principalmente quando se trata de comprar mantimentos e outros alimentos frescos. Presumivelmente, muitos desses pedidos de entrega ou entrega estão fazendo isso on-line, em vez de pessoalmente ou por telefone. A pergunta feita nesta pesquisa não mostra como aqueles que recebem comida ou entrega estão fazendo seu pedido, por isso não é possível saber a partir desses dados se as pessoas adotaram mais rapidamente pedidos on-line de refeições em restaurantes, pizzas e fast-food do que pedidos on-line. de mantimentos e alimentos frescos.

As barreiras para encomendar uma única refeição online — especialmente uma refeição favorita de um restaurante favorito — são muito menores do que encomendar dezenas de itens diferentes necessários para encher a geladeira e a despensa com vários dias de mantimentos. Aqueles que são mais propensos a usar pedidos de compras online — ou seja, pais e americanos de renda superior — parecem estar fazendo isso por conveniência, mesmo que o custo seja maior. Ainda assim, menos de um em cada cinco desses grupos encomendam mantimentos online regularmente.

As empresas que fornecem mantimentos online — incluindo mercearias tradicionais e empresas de tecnologia — ainda estão determinando as melhores formas de fornecer o serviço e aumentar sua base de usuários. As vendas online de alimentos frescos têm apresentado maiores desafios logísticos do que as vendas online de livros, eletrônicos, roupas e outros produtos.

Alguns anos depois da compra da Whole Foods, a Amazon ainda não descobriu como tirar proveito de seu ativo de mercearia. Além disso, até o momento não parece que a compra transformou o setor de supermercados como alguns previram.

Por enquanto, os desafios logísticos e de custo ajudaram a manter os americanos presos à sua prática padrão: ir à loja física para obter sua comida.

A pesquisa original pode ser vista aqui.

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.