Acesso rápido
  Redação E-Commerce Brasil

Aprenda a criar emails com teste A/B de conteúdo

Quarta-feira, 18 de julho de 2018   Tempo de leitura: 3 minutos

No finalzinho de janeiro escrevemos um texto sobre Teste A/B de assunto de e-mail marketing, que foi quando lançamos essa nova funcionalidade na nossa plataforma.

Hoje estamos aqui para lançar a versão 2.0 do nosso teste: além de testar o assunto, agora é possível testar com a Dito o conteúdo dos e-mails!

O teste A/B é uma forma de aprimorar constantemente os resultados das suas campanhas, conhecer melhor sua base de clientes e como ela responde a diferentes situações.

Quer saber como melhorar suas taxas de abertura e click, e, com isso vender mais? Então continue com a gente.

Planeje sua campanha e o que deseja testar

Por mais tentador que seja testar várias coisas ao mesmo tempo, é importante entender a mecânica de um teste A/B.

A ideia aqui é entender se seu público prefere clicar em um botão azul ou verde, por exemplo. Se você tiver em mente criar dois e-mails completamente diferentes, como vai saber o que está dando certo ou não?

Por isso é importante ter em mente que você deve fazer mudanças sutis em seus e-mails e acompanhar como o público reage, sempre aprendendo com cada disparo.

Se você já sabe que o botão verde é o mais clicado para seu público, no próximo disparo mantenha o botão verde e teste, por exemplo, a posição dos modelos ou algum outro ponto que deseje testar.

Dito isso, planeje muito bem sua campanha. Tenha um objetivo claro, escolha uma métrica (apenas uma) que deseja melhorar e desenhe a campanha inteira com esse objetivo em mente.

Pense e anote suas hipóteses: porque você acha que um e-mail vai performar melhor que o outro? Depois confira se suas hipóteses foram comprovadas ou caíram por terra.

Quais são as possibilidades de teste?

Bom, desde “Oi” versus “Olá” você pode testar basicamente tudo em um e-mail. Alguns exemplos do que pode ser testado:

  • Com imagem ou sem imagens
  • Formatação em geral do e-mail: tamanho das fontes, cores, posição dos elementos, etc.
  • Uso de personalização ou não. Ex: “Maria, vem ver nossos descontos!” contra “Vem ver nossos descontos!”
  • CTA: frase do CTA, cor, forma (se vai ser link ou botão clickável), quantidade de CTA’s, posição (no início, no final, nos dois), etc.
  • Uma oferta específica: “10% de desconto” ou “Frete Grátis”

Conforme já te dei a dica, teste uma situação por vez, vá anotando a performance de cada pequena alteração e construindo um “super e-mail” à partir de suas análises.

Tudo é possível testar, mas não se deve testar tudo de uma única vez. Vá entoando este mantra enquanto planeja e cria suas campanhas.

Qual a amostragem e o tempo ideal de teste?

Partindo-se do pressuposto que quanto mais pessoas você “entrevistar”, mais acurada será sua pesquisa, é importante selecionar uma fatia generosa da sua base para realizar os testes.

Obviamente não estamos falando de 50%-50%, mas pelo menos 20%-20% é interessante separar para testar alguma hipótese.

Quanto ao tempo do teste, bom, a paciência é uma virtude. Não adianta fazer um teste em 30 minutos: as pessoas precisam de mais tempo para abrir seus e-mails.

Programe um tempo maior de teste, e, mesmo se uma das opções estiver ganhando disparadamente, não tome conclusões precipitadas. Espere o tempo total do teste para escolher um vencedor.

O tempo ideal depende de qual métrica você vai escolher como parâmetro. Métricas como abertura e click são mais rápidas de serem mensuradas do que pela receita gerada pelo e-mail, por exemplo.

Qual métrica escolho como critério para escolher a opção vencedora?

Na Dito você pode escolher tudo: desde a amostragem, o tempo, e os critérios para escolher a opção vencedora.

O grande diferencial é que, além de abertura e click, as mais comuns, você também pode escolher por receita influenciada pelo e-mail, isto é, por exemplo: o cliente abriu seu e-mail, e em 2 dias comprou na loja física ou site.

Essa janela de tempo também pode ser configurada na Dito, de acordo com a jornada de compra do seu tipo de produto.

O melhor de escolher essa métrica, é entender qual e-mail realmente vende bem seu produto para o seu cliente e tem mais apelo com ele.

Em suma…

O principal objetivo de um teste A/B é aprender. À partir dele você vai poder: conhecer melhor sua base e como ela responde a estímulos diferentes, comprovar (ou não) suas hipóteses, melhorar suas métricas, e, é claro, vender mais para seus clientes!

 Artigo republicado com autorização do autor. Original disponível em: http://blog.dito.com.br/como-aprender-a-criar-super-emails-com-teste-a-b-de-conteudo

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.