Redação E-Commerce Brasil

Cielo lança pagamento por QR Code e celular que vira máquina de cartão

Quarta-feira, 19 de setembro de 2018   Tempo de leitura: 5 minutos

Nesta terça-feira (18), a Cielo lançou dois novos produtos: o LIO+ e o QR Code TM Pay.

O primeiro trata-se de um celular que, quando acoplado a um sistema de pagamento (vendido em conjunto), agrega a possibilidade de pagamento por cartão de crédito e débito – por ora, apenas a função crédito está disponível. Já o outro, como o próprio nome sugere, é um novo sistema de pagamento via QR Code que.

LIO+

Segundo Danilo Caffaro, vice-presidente de Produtos, Novos Negócios, Marketing e Inovação da Cielo, “o LIO+ será vendido em conjunto (celular + maquininha de cartão) a partir do próximo fim de semana, por 12 parcelas de R$ 89,90. O profissional poderá comprar diretamente no site da Cielo ou nas operadoras de telefonia Claro e Tim, parceiras da companhia a princípio”. Ele será aceito por mais de 60 bandeiras e, além de todos os features de um celular comum, contará com mais de 130 aplicativos gratuitos de gestão da própria Cielo, assim como funções de controle de estoque e fechamento de caixa.

O aparelho dual chip é de última geração (fabricado pela Quantum), com câmera frontal de 8 MP e traseira de 12 MP, processador Quad Core A53 1.28 GHz, memória expansível a até 80 GB, bateria de longa duração, sistema operacional Android Oreo 8,1, tela de 6”, entre outros.

Segundo a Cielo, o equipamento traz diversas vantagens ao empreendedor, como o Receba Rápido, Central de atendimento 24×7, QR Code Pay, entre outros.

QR Code Pay

Em relação ao QR Code Pay, Caffaro disse que a solução partiu do seguinte questionamento: “Quando poderemos aposentar a nossa carteira e passar a pagar com o celular? A China adotou essa modalidade e já faturou US$ 9 Trilhões, enquanto por aqui atinge reflete em apenas 7% das transações”.

Além da proposta de elevar a segurança da transação (autenticada, ela é confirmada pelo próprio usuário, por biometria ou senha), a operação visa principalmente a democratização do pagamento. “Pensamos nessa solução de modo aberto e escalável, a fim de chegar ao máximo de pessoas. Ela não requer um aparelho de última geração para concluir o pagamento (por meio da câmera). Além disso, já nasce com cerca de 40 milhões de usuários em potencial, pois o ecossistema contará com os Bancos Bradesco e Banco do Brasil, além dos parceiros Agibank, Alelo, PicPay e Livelo”, ressaltou. A solução de pagamento admitirá as bandeiras Elo, Visa, Mastercard e American Express.

A adoção do QR Code Pay está prevista para todo o parque de máquinas Cielo até o fim do ano. Essa data, aliás, foi prometida também para a implementação do sistema no e-commerce, pagamento in-App, TEF, Cielo Mobile, app Cielo, Cielo LIO, entre outros.

Estudo sobre a digitalização do mercado

Durante a apresentação, Marina Proença, COO da ClickBus e especialista em empreendedorismo, trouxe alguns dados do mercado brasileiro feitos a partir de um estudo do Instituto Locomotiva com parceria da Cielo.

O levantamento apontou que, no país, 116 milhões de pessoas estão conectados à internet e 95% dessa conexão já vem de smartphones (até porque grande parte dessas conexões não é feita por desktop, mas pelo celular, visto que muitos sequer possuem computador em casa.

E os números não param por aí: 30% da força de trabalho no país já é de empreendedores, considerando quem se vira por conta própria – e isso movimenta R$ 1 Trilhão de Reais no ano. Desses empreendedores, 71 % não têm CNPJ, de cada quatro, três, são autônomos (artesãos, fabricantes de bolos, taxistas, ambulantes…). “Muito se tem falado de ‘transformação digital’. Porém, quando olhamos os números desse perfil de empreendedor, vimos que ainda existe um longo caminho a ser percorrido à ‘inclusão digital’ de fato. Afinal, eles não têm os princípios básicos de gestão ou controles e qualquer solução tecnológica ou ferramental que lhe mostre o que é lucro pode mudar a sua vida”, concluiu.

Apesar desse afastamento da tecnologia, ela afirma que 54% dos empreendedores acessam a internet, sendo 87% pelo celular, 73% desktop, 18% tablet e 7% pela TV. Ainda assim, 46% ainda não acessam (nesse caso, os ‘digitalizados’ recebem cerca de 151% a mais, ficando uma renda média de R$ 3.088 contra R$ 1.230, respectivamente).

Vale lembrar que recentemente a Cielo apresentou o padrão de autenticação 3DS 2.o, capaz de autenticar uma transação sem a intervenção do cliente. O processo é intuitivo e pode ser realizado na modalidade conhecida como “dois fatores”, com a validação ocorrendo via biometria, envio de código via SMS, reconhecimento de voz ou facial.

Por Giuliano Gonçalves, via E-Commerce Brasil.

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER