Redação E-Commerce Brasil

Caso e-Sedex: Correios divulgam extinção oficial do serviço

Quinta-feira, 15 de junho de 2017   Tempo de leitura: 3 minutos

O impasse do encerramento oficial do e-Sedex está prestes a acabar. Na tarde desta quarta-feira (14), os Correios divulgaram um memorando endereçado aos chefes dos departamentos da empresa anunciando a descontinuidade do serviço a partir do dia 19 de junho de 2017. A informação foi divulgada inicialmente pela Mandaê.

O comunicado informa que foram tomadas as providências judiciais cabíveis em relação à ação movida pela Associação Brasileira de Franquias Postais (Abrapost), que solicitou à Justiça Federal a revogação do fim do e-Sedex, anunciado em novembro de 2016. Também orienta os funcionários da estatal a realizarem a comunicação imediata aos clientes sobre a exclusão dos códigos do serviço com o texto abaixo:

“Prezado cliente,

 Em virtude da aprovação da nova Política Comercial pelo Conselho de Administração dos Correios, informamos que o serviço e-SEDEX será descontinuado a partir de 19/06/2017. Portanto, todas as postagens deverão ser realizadas nos códigos de SEDEX ou PAC ativos no contrato.

Acrescentamos que as pré-listas de postagem (PLP) e e-tickets (autorizações de postagem para logística reversa) geradas e não utilizadas até o dia 18/06/2017 terão os códigos de e-SEDEX substituídos pelo código SEDEX. Caso não seja do seu interesse a postagem com SEDEX, será necessário gerar nova PLP ou autorização de postagem com código de serviço PAC.

Para mais informações, entre em contato com seu representante comercial.”

Clique aqui para ler o comunicado na íntegra.

Em nota ao E-Commerce Brasil, os Correios informaram que a fim de manter o compromisso e a transparência da instituição, todos os clientes que utilizavam o e-SEDEX serão comunicados sobre a descontinuidade do serviço. “Reforçamos o nosso compromisso de parceria com o comércio eletrônico. Os Correios vão continuar sendo a empresa mais acessível ao e-commerce em todo o Brasil. A Política Comercial dos Correios, para melhor atender ao comércio eletrônico, destina pacotes de encomendas específicos para os clientes desse setor, com os serviços SEDEX, PAC e Logística Reversa que atendem às diversas necessidades de preços e prazos dos lojistas e dos consumidores finais. Além disso, os Correios possuem parcerias com os maiores marketplaces do país e prosseguem a implantação do novo serviço Correios Log – Comércio Eletrônico, também conhecido como e-Fulfillment, que possibilita à loja virtual ter toda a sua operação de armazenamento, preparação de pedido, postagem e logística completamente realizada pelos Correios, com otimizações operacionais e de custos para os clientes”, informa a nota.

Extinção do e-Sedex provoca mudanças para lojistas

A partir de 19 de junho de 2017, não haverá renovação ou celebração de contratos dos Correios com a inclusão do e-Sedex, independentemente do estágio de negociação, e a postagem das encomendas deverá considerar os códigos dos serviços Sedex e PAC conforme pacotes de encomendas, incluídos recentemente nos contratos comerciais firmados pelos Correios.

Além disso, o serviço e seus respectivos códigos não estarão disponíveis nos sistemas corporativos da empresa, nem habilitados para postagem nas unidades, mesmo os que tiverem incluídos anteriormente em Pré-Lista de Postagem (PLP) e autorização de postagem (e-ticket).

Nesses casos, será providenciada a substituição automática na PLP e autorização de postagem [logística reversa] do código de serviço expresso vigente no contrato, podendo o cliente gerar nova PLP com código de serviço PAC.

Lojistas virtuais já contam com alternativas econômicas para o e-Sedex

Apesar do encerramento oficial do e-Sedex não ser surpresa para o mercado, e inclusive ter sido antecipado por especialistas da área, ainda assim causa impacto no setor de e-commerce, já que até então era considerado a principal alternativa para entrega rápida de encomendas no varejo online.

No entanto, lojistas que buscam maneiras de oferecer fretes com preços competitivos e ao mesmo tempo melhorar a eficiência operacional do seu negócio já podem contar com soluções completas no mercado.

Por: Michele Prado, da Mandaê

Deixe seu comentário

1 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  1. Ninguém trabalha de graça. Os Correios também. Entregar e-Sedex como Sedex com preço de PAC um dia tinha que mudar. A estrutura dos Correios do Sedex certamente era usada pro e-Sedex e ainda tinha que pagar comissões pra Franquados. Ainda tinha inúmeras postagens do comércio eletrónico entregues por empresas particulares nas grandes cidades (onde dá muitos lucros) deixando pros Correios a parte mais custosa que são os 5000 municipios brasileiros. Todos sabem que não existe almoço grátis. Alguém estava pagando a conta.

    Responder
CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER