Acesso rápido
  Redação E-Commerce Brasil

Consumo de vídeos na internet cresce mais de 23% no Brasil, segundo YouTube

Quinta-feira, 20 de setembro de 2018   Tempo de leitura: 4 minutos

Pesquisa divulgada nesta quarta-feira (19) pelo YouTube mostra que o consumo de vídeos online no Brasil cresceu 23,37% em relação a 2017. Por semana, o internauta brasileiro passa 19 horas em frente ao smartphone, computador ou smart TV.

No acumulado de quatro anos, desde o início do levantamento, o aumento no tempo de visualização saltou 135%, de 8,1 horas para as atuais 19 horas.

Segundo o estudo, 44% dos entrevistados usam o YouTube como canal preferido para assistir a vídeos online. Em seguida, vem o Netflix, que tomou o lugar do WhatsApp no comparativo com 2017.

Fonte: YouTube/Pesquisa Video Viewers/Provokers
Fonte: YouTube/Pesquisa Video Viewers/Provokers

O levantamento foi realizado pela Provokers e apresentado durante o Brandcast, evento do Google voltado a criadores de conteúdo e agências publicitárias.

Anunciantes

A pesquisa também confirmou a tendência de o YouTube andar cada vez mais alinhado às necessidades de marcas e lojas virtuais. No último ano, as conversões em anúncios exibidos em vídeos do YouTube aumentaram mais de cinco vezes no Brasil.

“Existe uma maturidade das marcas e no entendimento dos conteúdos que, de fato, mexem a agulha para as empresas. A gente viu um amadurecimento muito grande na plataforma como um todo, e os anunciantes também [são parte desse amadurecimento]”, explicou Cauã Taborda, gerente de comunicação do YouTube para a América Latina.

Mas não foram só as empresas que amadureceram: o próprio público passou a ser mais seletivo. Isso porque, segundo o levantamento, oito em cada dez brasileiros utilizam o YouTube para se informar antes tomar uma decisão de compra.

“As marcas perceberam que o consumidor está muito mais informado, que ele usa todas as ferramentas disponíveis para se informar durante a sua jornada de decisão”, afirmou Maria Helena Marinho, gerente de Insights da empresa. “O brasileiro entendeu que o on demand veio para ficar”, concluiu.

Fonte: YouTube/Pesquisa Video Viewers/Provokers
Fonte: YouTube/Pesquisa Video Viewers/Provokers

Desafios

O próximo grande obstáculo que o YouTube precisa superar nessa relação com os anunciantes tem mais a ver com aspectos técnicos.

No último ano, o uso de smart TVs para assistir a vídeos online mais do que dobrou – no caso de 26% dos entrevistados, esse foi o aparelho mais utilizado.

Mas a quantidade de sistemas operacionais e diferenças de modelos de televisores faz com que o banner, um dos recursos de publicidade do YouTube disponíveis para celular e computador, não funcione em todas as TVs.

“O que ainda não averiguamos [como resolver] é o banner, ele não é clicável em algumas smart TVs. Ainda temos um front técnico para avançar nesse sentido”, disse Taborda.

Por Caio Colagrande, da redação do E-Commerce Brasil

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.