Acesso rápido
  Redação E-Commerce Brasil

Brasil bate recorde de abertura de empresas no primeiro semestre de 2018

Segunda-feira, 03 de setembro de 2018   Tempo de leitura: 3 minutos

De acordo com o Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresas, o Brasil registrou 1,2 milhão de novas empresas no primeiro semestre de 2018, o maior número para o período desde 2010, quando teve início a série.

Na comparação com o primeiro semestre de 2017 (1,1 milhão), o aumento foi de 10,5%.

Do total de empreendimentos criados de janeiro a junho deste ano, os Serviços de Alimentação aparecem em primeiro lugar, com 8,1%. Na sequência, estão os Serviços de Higiene e Embelezamento Pessoal (7,6%), Reparos e Manutenções de Prédios e Instalações Elétricas (7%) e Comércio de Confecções em Geral (6,4%).

Veja abaixo o ranking com os dez ramos de atividades que mais se destacaram entre os empreendimentos abertos no primeiro semestre deste ano:

Segundo os economistas da Serasa Experian, este maior resultado no nascimento de empresas no primeiro semestre desde 2010 sinaliza os efeitos do “empreendedorismo por necessidade”.

Esse é o fenômeno associado ao comportamento abaixo do esperado na recuperação da economia brasileira, com a lenta reversão da taxa de desemprego e da retomada de mais vagas formais de trabalho.

MEIs representam 81,8% do total

Nos seis primeiros meses do ano, o Brasil passou da marca de um milhão de MEIs formalizados – ou seja, 81,8% do total de novas empresas.

A participação referente ao acumulado do semestre foi a maior já conquistada pelos microempreendedores individuais, desde o início do levantamento, em 2010. Na comparação com o mesmo período do ano anterior (902.290), o crescimento foi de 14,5%.

Sul e Sudeste lideram ranking

No primeiro semestre de 2018, na comparação com o mesmo período do ano passado, o Sudeste e o Sul estão empatados com o maior crescimento (12,9%) no número de novos CNPJs. O Centro-Oeste avançou 7,9% e o Nordeste, 6,9%. Já o Norte apresentou queda de 4,6%.

No ranking por estados, apesar de São Paulo ter a maior representatividade – 28,8% do total –, o Distrito Federal teve o maior crescimento (17%) no primeiro semestre do ano.

Já o Amapá teve a maior queda no período (-13,3%). Também tiveram declínio os estados do Pará (-9,4%), Tocantins (-4,5%) e Mato Grosso (-3,0%). Veja abaixo a tabela com os detalhes:

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.