Acesso rápido
  Redação E-Commerce Brasil

Brasil bate recorde de abertura de empresas no primeiro semestre de 2018

Segunda-feira, 03 de setembro de 2018   Tempo de leitura: 3 minutos

De acordo com o Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresas, o Brasil registrou 1,2 milhão de novas empresas no primeiro semestre de 2018, o maior número para o período desde 2010, quando teve início a série.

Na comparação com o primeiro semestre de 2017 (1,1 milhão), o aumento foi de 10,5%.

Do total de empreendimentos criados de janeiro a junho deste ano, os Serviços de Alimentação aparecem em primeiro lugar, com 8,1%. Na sequência, estão os Serviços de Higiene e Embelezamento Pessoal (7,6%), Reparos e Manutenções de Prédios e Instalações Elétricas (7%) e Comércio de Confecções em Geral (6,4%).

Veja abaixo o ranking com os dez ramos de atividades que mais se destacaram entre os empreendimentos abertos no primeiro semestre deste ano:

Segundo os economistas da Serasa Experian, este maior resultado no nascimento de empresas no primeiro semestre desde 2010 sinaliza os efeitos do “empreendedorismo por necessidade”.

Esse é o fenômeno associado ao comportamento abaixo do esperado na recuperação da economia brasileira, com a lenta reversão da taxa de desemprego e da retomada de mais vagas formais de trabalho.

MEIs representam 81,8% do total

Nos seis primeiros meses do ano, o Brasil passou da marca de um milhão de MEIs formalizados – ou seja, 81,8% do total de novas empresas.

A participação referente ao acumulado do semestre foi a maior já conquistada pelos microempreendedores individuais, desde o início do levantamento, em 2010. Na comparação com o mesmo período do ano anterior (902.290), o crescimento foi de 14,5%.

Sul e Sudeste lideram ranking

No primeiro semestre de 2018, na comparação com o mesmo período do ano passado, o Sudeste e o Sul estão empatados com o maior crescimento (12,9%) no número de novos CNPJs. O Centro-Oeste avançou 7,9% e o Nordeste, 6,9%. Já o Norte apresentou queda de 4,6%.

No ranking por estados, apesar de São Paulo ter a maior representatividade – 28,8% do total –, o Distrito Federal teve o maior crescimento (17%) no primeiro semestre do ano.

Já o Amapá teve a maior queda no período (-13,3%). Também tiveram declínio os estados do Pará (-9,4%), Tocantins (-4,5%) e Mato Grosso (-3,0%). Veja abaixo a tabela com os detalhes:

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.