Redação E-Commerce Brasil

Aplicativos são responsáveis por 27% das vendas online no 2º trimestre de 2019

Quarta-feira, 04 de dezembro de 2019   Tempo de leitura: 5 minutos

No segundo trimestre do ano, 27% das vendas online registradas no Brasil foram viabilizadas por aplicativos, segundo dados da Criteo, plataforma de anúncios para a internet aberta. A informação é do estudo Global Commerce Review (GCR), cujos dados também mostram que as transações realizadas pela internet móvel, como um todo, já totalizam 63% das conversões obtidas pelo e-commerce nacional dentro do mesmo período.

Em relação aos dispositivos móveis mais utilizados para concretizar compras online, a preferência dos brasileiros ainda é pelos smartphones. Segundo o GCR, os aparelhos contam com uma adesão de 35% quando se trata do uso de aplicativos e 48% no que diz respeito às compras online feitas através dos sites das lojas. Em contrapartida, os tablets possuem apenas 1% de participação em ambas as categorias.

“Esse protagonismo do mobile reflete muito o quanto os smartphones passaram a fazer parte do dia a dia das pessoas e como o fator conveniência é importante na hora de comprar. Afinal, mesmo os modelos mais simples de celulares já oferecem todas as condições necessárias para que tenhamos um verdadeiro shopping center bem na palma das mãos. O Brasil já ocupa a 18ª posição entre os países com maior número de vendas pela internet móvel em todo o mundo”, afirma o diretor regional de estrategistas de contas Latam da Criteo, Tiago Cardoso.

A evolução do mobile pelo mundo

De acordo com o GCR, às transações feitas por meio da internet móvel, como um todo, ao redor do mundo já representam:

  • 46% do total verificado na América do Norte e na América Latina;
  • 50% na região que abrange Europa, Oriente Médio e África (EMEA);
  • 56% entre os países que compõem o bloco Ásia-Pacífico (APAC).

Entre os líderes mundiais em transações feitas, especificamente, por aplicativos estão:

  • Sudeste asiático (74%);
  • India (58%);
  • Sul europeu (58%);
  • Austrália e Nova Zelândia (51%) empatados com o nordeste da Ásia (51%);

No continente americano, o ranking relacionado também às transações feitas somente por aplicativos é:

  • EUA (40%);
  • América Latina (27%).

Domínio dos aplicativos

Hoje, os aplicativos já dominam as transações realizadas por meio da internet móvel:

  • 5 vezes maior é a taxa de conversão registrada nos aplicativos de compras em comparação com a web convencional entre os dispositivos móveis em todo o mundo;
  • 72% das operações online são concretizadas por aplicativos entre os varejistas que promovem, ativamente, este tipo de ferramenta.

Metodologia

O Q2 2019 Global Commerce Review possui dados individuais de navegação e compra de mais de 6.500 varejistas, em mais de 80 países, avaliados de acordo com dois critérios.

O primeiro consiste nas chamadas vendas ponderadas que correspondem à métrica influenciada pelo volume de transações geradas por cada varejista. Já o segundo, baseia-se em vendas não ponderadas, ou seja, a métrica em que todos os varejistas contribuem igualmente para o agregado.

Segundo a Criteo, neste estudo, optou-se por uma abordagem ponderada de vendas, quando verifica que obteve dados suficientes para representar o mercado em geral.

Quando há ofertas mais recentes e emergentes — ou casos em que a distribuição de uso é distorcida para alguns clientes —, os dados são reportados em uma base não ponderada.

Leia também: Quem pensa que vendas por mobile é tendência está atrasado, explica especialista

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.