Logo E-Commerce Brasil

Aplicativos Nativos vs PWA: em qual tecnologia devo construir meu app de e-commerce?

Por: Redação E-Commerce Brasil

Equipe de jornalismo E-Commerce Brasil

Ao longo desses últimos anos na Kobe Apps, acompanhando o desenvolvimento de Super Apps de varejo como Tok Stok, Decathlon, JCPM, Telhanorte, Fila e diversos outros, a mesma pergunta aparece constantemente: qual a melhor tecnologia a ser usada para construção do meu projeto? 

Segundo pesquisa da Shopify, estima-se que 53% dos usuários abandonam o carrinho de compras se o load time for acima de 4 segundos. Nestes casos, onde a concorrência é grande e a paciência dos consumidores nem tanto, o melhor a se fazer é construir projetos com tecnologias nativas, devido ao alto nível de customização que a tecnologia permite fazer dentro da jornada do usuário, entregando funcionalidades personalizadas para atribuir uma melhor experiência, além de aumentar a performance gerando mais fluidez e um senso de segurança maior ao usuário. 

Quando não há necessidade de funcionalidades de alta complexidade como integrações com outros apps, transações financeiras e/ou um app que precisa ser super rápido e intuitivo, o PWA pode ser uma opção sendo o caso de ferramentas de consulta, vitrines para demonstração de produtos ou catálogos. Mas o que é um sistema feito em PWA? 

Em um artigo da microsoft, os autores definem brevemente o que seria um sistema PWA: Progressive web Apps são somente bons websites que podem se comportar como aplicativos – ou, talvez PWAs são somente bons apps, alimentado pelas tecnologias Web e entregues com a estrutura Web. Falando de uma forma mais simples, o PWA é uma evolução do web responsivo, aproximando a experiência de um app mobile com limitações, de uma olhada nas principais diferenças entre as plataformas:
 

  PWA Native App
Experiência do usuário Parece um aplicativo, porém menos funcional Visualmente atraente, e extremamente funcional
Customizações Menos customizável Possibilidade de maiores customizações
Instalação Não requer instalação, roda no navegador do dispositivo móvel Requer download das Stores (Apple e Google Store)
Push Notification Não disponível para iOS Disponível para todos os dispositivos
Geo-fencing Não disponível Disponível
Custo de desenvolvimento Menor investimento, só precisa de uma equipe Maior investimento, precisa de engenheiros mobile e web
Tempo de desenvolvimento Requer tempo limitado Mais tempo necessário para criar e obter a verificação das Stores
Compartilhamento Pode ser compartilhado por uma URL Mais tempo necessário para criar e obter a verificação da loja de aplicativos
Load time Baixo Mais rápido
Consumo de bateria Usa mais bateria Não consome tanta bateria
Segurança Criptografia HTTPS Privacidade e segurança aprimoradas, autenticação de dois fatores
Módulo offline Limitado Funciona offline
Updates Não requer que os usuários façam update Requer que os usuários façam update
Comunicação entre aplicativos Não se comunica com outros apps no dispositivo Pode se comunicar com outros apps no dispositivo
Diferenciação de conteúdo Simula o conteúdo do Web Responsivo Pode ser criado conteúdos diferentes do Web repsonsivo

A verdade é que diversas plataformas de mercado prometem a entrega de aplicativos funcionais, quando na realidade é apenas um PWA, bem abaixo do que seria um app nativo. Pois é a alternativa mais barata e com menos esforço de TI por se tratar de otimização a um sistema web já existente. Porém, as restrições quanto a funcionalidades é alta e a experiência do usuário não é a das melhores, visto que não segue um Design System atrelado a um código nativo (mobile). Decorridas de uma interface mais pobre em tecnologia e design, acabam prejudicando não só o acesso e experiência, como a performance e o avanço tecnológico no projeto, assim limitando as chances de sucesso em um ambiente altamente competitivo como o exemplo de e-commerces e marketplaces.

Com essa visão, a Kobe Apps desenvolveu um produto low-code para criação e gerenciamento de apps totalmente nativos,  tendo como premissa ser uma ferramenta serverless e headless de fácil utilização usando toda estrutura e capacidade do cloud commerce, assim facilitando o processo de customização, adição de novas integrações e operacionalização do time de e-commerce para construção de campanhas e ações da marca em seu aplicativo, tudo isso em 30 dias. Esta tecnologia é pensada para grandes marcas encantarem seus clientes e escalarem suas vendas, a exemplo da Whirlpool, Multilaser, Forte Atacadista, que oferecem uma versão completa de recursos disponíveis para seus usuários, do início da compra até o pós-venda, além de alta performance de desempenho e um layout customizado para uma melhor experiência na jornada do usuário durante a sua compra, auxiliando muito na conversão e aumento do ticket médio no canal mobile.

Os principais motivos, que costumam ser decisivos na escolha da tecnologia do e-commerce ou marketplace, é a retenção de usuários, diminuição dos abandonos de carrinho, aumento da taxa de recompra e conversão, e diferenciação do canal mobile do site e só é possível atingir esses objetivos construindo nativamente o projeto. Você já tem um app de e-commerce?

Fabricio Losch Kobe
Imagem: reprodução