Acesso rápido
  Redação E-Commerce Brasil

China bate recordes no e-commerce e a América Latina não para de crescer, diz pesquisa da Nuvem Shop

Sexta-feira, 24 de março de 2017   Tempo de leitura: 3 minutos

A Nuvem Shop, plataforma que oferece serviços que possibilitam qualquer pessoa a criar e profissionalizar sua própria loja online, apresenta seu e-book anual de e-commerce com os highlights do setor:

– O e-commerce segue crescendo a nível mundial
– A China bate recordes e a América Latina não para de crescer
– O Brasil cresceu 11% comparado com o ano anterior
– Com quase 60%, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais são os estados que concentram a maior porcentagem de vendas locais
– M-commerce, Business Intelligence e Big Data, assim como experiência de compra, serão as palavras chave de 2017.

O panorama do comércio eletrônico no mundo é super positivo e a expansão não se deteve. Novos usuários aderem ano a ano à experiência de compra online, acrescentando mais força e relevância à esta forma de consumo.

Os Estados Unidos, um dos líderes da indústria, já conta com 51% da população que prefere comprar online. Número que é ainda maior nas gerações mais jovens, como os millennials. As vendas do e-commerce do país chegaram a alcançar a marca de US$ 396 bilhões em 2016 e se prevê um crescimento de até US$ 684 bilhões para 2020.

Entretanto, há outro país que vai além destes recordes: a China. O crescimento em e-commerce da China ultrapassa os números dos Estados Unidos, chegando à marca de um trilhão de dólares, e estimando alcançar dois trilhões em 2019.

Ao observar a América Latina mais de perto, fica evidente um ritmo mais lento, porém, os resultados também mostram crescimento. Segundo dados da Internet Retailer 2016, os retailers brasileiros representam 58,2% das vendas online da região. No México, a adoção do e-commerce se acelera cada vez mais. Segundo a consultora Forrester Research, se espera que para 2018 o México aumente suas vendas online em 106,9%.

A expansão do e-commerce no Brasil

Sabemos que o ano de 2016 não foi fácil para os brasileiros: instabilidade no governo, mudanças nos meios de pagamento e aumento dos preços dos produtos foram apenas alguns dos obstáculos enfrentados. Mesmo com esse panorama, o e-commerce brasileiro faturou em 2016 o total de R$ 53,4 bilhões, um crescimento de 11% em relação a 2015, segundo a ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico). Para 2017 a previsão é que o setor cresça até 15%.

Dentro da Nuvem Shop, em 2016, as lojas hospedadas na plataforma tiveram 207 milhões de visitas na América Latina, das quais 92 milhões foram somente no Brasil. O setor de Moda e Vestuário continua sendo o que mais cresce. Já no ranking dos segmentos por vendas realizadas, o resultado é um pouco diferente comparado com anos anteriores. Por exemplo, o ramo Esporte, passa de décimo para segundo lugar.

A respeito das vendas, o ticket médio dos e-commerces brasileiros que usam a plataforma da Nuvem Shop foi de R$ 214,47.

O desktop segue sendo o dispositivo responsável pela maior parte desses números, mas se isolarmos o ticket médio das vendas mobile, o cenário não desanima: R$ 185,72. Mais uma prova de que os negócios que ainda não se adaptaram à essa realidade estão ficando para trás.

Vendas geolocalizadas

A ABComm declarou que ao longo de 2016, foram gerados 179 milhões de pedidos no e-commerce brasileiro. Analisando em perspectiva, tenha em vista que a atual população brasileira estimada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) é de 207 milhões. Considerando que a população do Sudeste é proporcionalmente maior e que este é um dos principais pólos econômicos do Brasil, as porcentagens de vendas nesta região também são maiores: São Paulo (39%); Rio de Janeiro (11%) e Minas Gerais (9%).

As maiores tendências de 2016 e os desafios de 2017

Em seu
relatório anual a Nuvem Shop revela duas tendências que marcaram 2016.

Tráfego: O desktop continua sendo protagonista com 70% das transações, mas já está em declínio se compararmos com 2015, em que sua participação foi de
73,67%. A tendência mobile, por sua vez, se reafirma.

Atendimento ao cliente: os canais mais utilizados foram o e-mail (89,3%) e as redes sociais (80,8%).

Sobre os desafios, Alejandro Vázquez, Chief Customer Officer (CCO) e co-fundador da Nuvem Shop conclui: “Para 2017, sem dúvidas o m-commerce será o ponto de encontro entre as marcas e os usuários. Business Intelligence e Big Data serão as palavras chave para analisar as tendências de comportamento do consumidor e tomar decisões de negócios. E sobre tudo,  se destaca a Experiência de Compra. Ao ter um produto virtual, as marcas devem passar confiança e credibilidade para que o cliente compre e volte à loja. E neste aspecto é crucial oferecer um atendimento de qualidade e facilitar as transações. O tempo de envio da mercadoria também será um grande diferencial”.

Para acessar o e-book anual completo do E-Commerce Nuvem Shop clique aqui

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.