Redação E-Commerce Brasil

E-commerce cresceu 7,5% no primeiro semestre e faturou R$ 21 bi, diz Webshoppers

Quarta-feira, 23 de agosto de 2017   Tempo de leitura: 6 minutos

O e-commerce faturou R$21 bilhões no primeiro semestre de 2017 e registrou crescimento nominal de 7,5% ante o mesmo período de 2016, quando foram registrados R$19,6 bilhões. O número de pedidos também aumentou, de 48,5 milhões para 50,3 milhões, assim como o tíquete médio, que passou de R$403 para R$418. Os números são do 36º Webshoppers, divulgado nesta quarta-feira (23) pela Ebit.

O bom resultado, porém, não foi suficiente para sustentar a projeção de crescimento feita pela empresa no início do ano. Com base nos números do primeiro semestre, a Ebit baixou a expectativa para 2017 – de R$ 49,7 bilhões para R$ 48,8 bilhões, ou seja, de 12% para 10%. Mesmo assim, o setor de e-commerce deve crescer dois dígitos.

“A notícia boa é que o número de pedidos voltou a crescer. Mas uma redução de 12% para 10% não é de preocupar. Vai depender do segundo semestre”, afirmou Pedro Guasti, CEO da empresa. Ele ponderou que, apesar da revisão, a expectativa é realista e pode crescer.

Segundo ele, a economia brasileira deu seus primeiros sinais de reação na primeira metade de 2017, e isso refletiu positivamente no e-commerce. O otimismo se deve, também, pelos resultados da economia brasileira. O Banco Central revisou para cima as prejeções de vendas no varejo, além da queda no desemprego e na inflação. Isso fez com que o índice de pessoas dispostas a comprar online passasse para 84,3% no trimestre de 2017, saindo do seu pior patamar na história.

A liberação do FGTS inativo e a participação cada vez maior dos dispositivos móveis foram algumas das razões pelas quais o número de pedidos se recuperou de um semestre ruim, inclusive no aumento de pedidos, reajustado para cima na projeção de 2017 do Webshoppers.

“No primeiro semestre de 2016, no auge da crise política e econômica, o número de pedidos registrou queda pela primeira vez na história, retraindo 1,8%. Nos primeiros seis meses deste ano, além da recuperação do crescimento, o e-commerce ultrapassou pela primeira vez a barreira de 50 milhões de pedidos”, afirmou.

O número de e-consumidores ativos registrou uma expressiva expansão de 10,3% no período, para 25,5 milhões. Para esse levantamento, a Ebit considera os consumidores que fizeram pelo menos uma compra no e-commerce no primeiro semestre de 2017.

Mais frete grátis – exceto nos grandes

Os players do e-commerce, no geral, aumentaram a oferta de frete grátis em relação aos semestres anteriores. De acordo com o 36º Webshoppers, a oferta de entregas gratuitas pulou de 35% no segundo semestre do ano passado para 38% no primeiro trimestre de 2017.

Levando-se em conta apenas os dez maiores lojistas, porém, a estratégia foi inversa: caiu o percentual de 22% para 18%. “Esse negócio de oferecer frete grátis acabou, principalmente por parte dos grandes varejistas. Em contrapartida, no mercado em geral, o frete grátis aumentou. Lojas de categorias como cosméticos usaram bastante essa estratégia”, afirmou André Dias, COO da Ebit.

Dispositivos móveis

O crescimento das vendas via smartphones e dispositivos móveis em patamares bem acima da média do mercado também foi um dos destaques do relatório apresentado nesta quarta-feira. A expansão registrada no primeiro semestre de 2017 foi de 35,9% – nove vezes maior do que o volume de pedidos do mercado – registrando um share de 24,6% de todas as vendas do mercado.

No fim do ano, 30% das vendas deve ser por meio do mobile, mas, levando em consideração o cenário no exterior, há potencial para se chegar a 35% nos próximos dois anos. Segundo Pedro Guasti, no médio prazo, existe a chance de alcançar 50% das compras.

“Quem melhorou a experiência via smartphone e tablet aumentou a competitividade em relação aos concorrentes”, cravou André Dias. “O que mais impressiona é o crescimento de 56,2% de volume financeiro. Esse movimento deve-se à aproximação do valor do tíquete médio de compras via dispositivos móveis, que registrou aumento de 14,9% no período, se comparado ao mercado como um todo”, apontou.

Expectativas

Para o segundo semestre de 2017, a perspectiva é que as três grandes datas do calendário do varejo – Dia das Crianças, Natal e, principalmente, Black Friday – impulsionem as vendas. Para este semestre, o relatório Webshoppers espera um crescimento de 12% a 15%. Levando em conta os números deste primeiro semestre e a estimativa para o segundo, a Ebit prevê que o mercado volte a registar expansão de dois dígitos, atualizando para 10% a perspectiva de crescimento do mercado no acumulado do ano.

Por Caio Colagrande, da Redação E-Commerce Brasil

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Hospedado por: Dialhost Transmissão de Webinars: Leads Qualificados: Dialhost Recrutamento & Seleção: Dialhost Métricas & Analytics: MetricasBoss People Marketing: Dialhost

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.