Quick access:

Logística do futuro: tecnologias emergentes que vão mudar o segmento

por Flavio Salzano Segunda-feira, 28 de março de 2016

Não dá para falar de logística e economizar nos números. O setor é gigantesco e ostenta dados a sua altura. O mercado global logístico tem valor estimado em 4 trilhões de dólares.

Desde 2011, é o setor econômico que cresce mais rápido, 7% ao ano. A expectativa de receitas para a indústria de transportes em 2016 é de 3,8 trilhões de dólares.

Diante dessa magnitude, é esperado que os serviços de logística estejam constantemente buscando inovação e tendências tecnológicas para se aprimorarem. Veja o que vem por aí na logística do futuro.

Impressora 3D

  • 40% dos produtores industriais e varejistas esperam que seus operadores logísticos tenham expertise em impressão 3D.
  • Entretanto, apenas 19,2% já está usando a tecnologia em seus processos de fabricação.

O que muda?

Alta customização e produção descentralizada

  • A impressão 3D promove produtores locais e regionais, além de permitir alto nível de customização para os produtos – não é mais necessária produção padronizada em larga escala.

Aumento nos despachos de curta distância

  • Não haverá mais necessidade de despachar mercadorias para o outro lado do mundo, pois as mesmas poderão ser produzidas localmente. As longas rotas serão substituídas por trajetos curtos do centro de produção até o cliente.

A armazenagem será digital

  • Peças de reposição serão produzidas sob demanda, e estoques virtuais vão expor os modelos disponíveis.

Internet das coisas

  • 26% das empresas de logística já estão utilizando tecnologia de comunicação máquina a máquina (M2M) – quando dados são transferidos em tempo real diretamente de equipamentos/terminais para monitoramento dos mesmos.
  • 47% das empresas do setor acreditam que a internet das coisas vai representar um gigantesco impacto no gerenciamento de logística e cadeia de suprimentos.

O que muda?

Chão de fábrica conectado

  • A internet das coisas permite identificar exatamente o que está acontecendo no ambiente fabril – performance das máquinas, consumo de energia, status do estoque e fluxo de materiais.

Visibilidade de mercadorias em trânsito

  • Será possível acompanhar de perto todas as etapas logísticas.

Monitoramento de processos

  • A segurança e eficiência das pessoas e processos será aprimorada com a internet das coisas, que é capaz de prever problemas iminentes e cenários futuros que podem representar algum perigo.

Drones

  • Sobre o uso de drones na logística, profissionais têm a seguinte opinião:

36% acredita que entregas com drones serão realidade em 5 a 10 anos;

6,3% acredita que em dez anos será um cenário comum;

27, 3% considera pequena a chance de entregas com drones em 5 a 10 anos;

5,88% acredita que isso nunca será realidade.

  • Por enquanto, 31% dos produtores e varejistas gostariam que empresas de logística utilizassem drones em suas entregas.

O que muda?

Alívio urbano e rotas de curta distância

  • Drones podem desafogar o trânsito tirando veículos das ruas.
  • Uma rede de drones pode se encarregar das rotas de curta distância, atualmente um desafio logístico.

Expansão da área de entrega

  • Regiões rurais, com pouca infraestrutura ou de difícil acesso serão incluídas no mapa de entregas.
  • O Google já tem um projeto piloto em teste de entregas rurais na região de Queensland, na Austrália.

Vigilância da infraestrutura

  • Empresas de logística poderão utilizar drones para monitorar e escoltar entregas valiosas, locais de risco e até localizar desaparecidos.

Veículos autônomos

  • 42% dos produtores e varejistas gostariam que suas empresas de logística utilizassem carros sem motorista para suas entregas.
  • Apenas 0,75% são capazes de oferecer o serviço e 1,5% têm expertise e conhecimento e planejam oferecer o serviço.
  • 12, 78% das empresas de logística têm algum conhecimento e 6,02% planeja oferecer os serviços.

O que muda?

Redução de custos

  • Um estudo da AXA UK estima que veículos autônomos podem economizar 34 bilhões de libras para a indústria logística.

Bem-vindo ao futuro!

Deixe seu comentário

2 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

  1. Excelente artigo!
    O tema do trabalho de semestre dos meus alunos é justamente sobre as tendências que afetarão a cadeia de suprimentos nos próximos anos. Justamente porque aqueles que não se “antenarem” com essas mudanças tecnológicas estarão fora do mercado antes mesmo de entrar.

    Responder

O projeto E-Commerce Brasil é mantido pelas empresas:

Offering:
Hospedado por: Dialhost Transmissão de Webinars: Recrutamento & Seleção: Dialhost Métricas & Analytics: MetricasBoss