Quick access:

Desafios para lojas virtuais que estão fora das regiões sudeste e sul

por Wesley Dias Terça-feira, 29 de setembro de 2015

O comércio eletrônico no Brasil já passou por diversos períodos e já venceu vários desafios durante as duas últimas décadas. Apesar da crise atual em nosso país, o e-commerce continua crescendo e o número de consumidores aumentando.

De forma geral, os desafios para quem deseja abrir uma loja virtual são semelhantes: concorrentes, gestão de estoque, logística, etc.

Mas se analisarmos os números do e-commerce brasileiro é possível perceber uma característica muito marcante: as regiões sudeste e sul representam mais de 80% das empresas de e-commerce no Brasil

sedes_ecommerce

Fonte: Segunda Pesquisa Nacional do Varejo Online Sebrae – E-Commerce Brasil 

Em função disso, lojas virtuais que estão fora destas duas regiões enfrentam alguns desafios.

Um dos principais desafios é a logística. Como a maioria dos e-consumidores também estão nas regiões sudeste e sul o prazo para entrega dos pedidos acaba se tornando uma barreira difícil de ser vencida pelos lojistas de outras regiões. E ainda tem a logística reversa que deixa a troca de produtos, seja por defeito, ou tamanho um processo bastante demorado.

Outros fatores como a compra de produtos para reabastecer o estoque também são influenciados pela localidade da loja virtual. No ramo de calçados, por exemplo, existem situações em que os produtos comprados demoram meses para serem entregues pelos fornecedores, e quando finalmente chegam, o preço nas lojas que receberam antes já é de oferta.

Mais um desafio está na qualificação do pessoal, por ser uma área multidisciplinar o comércio eletrônico exige que os profissionais tenham uma visão ampla e que estejam antenados com as mudanças do mercado. Como o desenvolvimento do setor ainda é pequeno fora das regiões sudeste e sul o interesse pela área é baixo, levando à escassez de pessoas qualificadas.

A boa notícia é que existe uma tendência de mudança neste quadro. Segundo apontou a Segunda Pesquisa Nacional do Varejo Online, a região Nordeste cresceu de 8,4% para 10% em 2015 e a região Sudeste caiu de 63,3% para 58%.

O número de lojas físicas entrando no comércio eletrônico também está crescendo e eventos que antes alcançavam apenas o sudeste e sul começam a ser realizados em outras regiões, contribuindo para expansão do conhecimento sobre o setor.

Assim, é possível afirmar que apesar dos desafios apresentados e de outros que possam existir, aos poucos o e-commerce vai se descentralizando e para quem sabe aproveitar, os desafios podem gerar grandes oportunidades.

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

O projeto E-Commerce Brasil é mantido pelas empresas:

Offering:
Hospedado por: Dialhost Transmissão de Webinars: Recrutamento & Seleção: Dialhost Métricas & Analytics: MetricasBoss