Você conhece o poder das APIs?

por Kleber Bacili Quinta-feira, 12 de setembro de 2013

É fato: o mundo está mudando e parece inevitável que fiquemos cada vez mais conectados. Informações de trânsito desatualizadas e genéricas nunca mais! Aplicativos como o Waze preveem o seu horário de chegada ao destino considerando as condições de tráfego atuais, reportadas pelos próprios usuários. Anotações no caderno, que as vezes você perde eu esquece, estão ficando para trás, pois Apps como o Evernote sincronizam as anotações entre seus dispositivos e computadores. Muitos outros serviços como Dropbox, Foursquare, Whatsapp, Soundcloud vem mudando a nossa relação com a tecnologia.

As tendências que vêm atuando como molas propulsoras para mudança essa são: Aplicativos móveis, Redes sociais e Cloud Computing. Sim, estamos amplamente cientes disso! Entretanto, uma tecnologia que vem atuando nos bastidores mas que tem fundamental importância nessa transformação são as APIs – Application Programming Interfaces (ou Interface de Programação de Aplicativos). Com elas, dados e funcionalidades de negócio são facilmente expostos através da internet. Tudo isso acontece sem que você sequer perceba.

Dentre os principais benefícios das APIs estão agilidade e eficácia nas integrações, que permitem que essa troca de informação aconteça de forma mais segura e  fácil – tanto para quem disponibiliza os dados quanto para quem os consome.

Mas se você é um executivo de TI de uma grande empresa pode estar pensando: “Ok, isso vale para uma rede social ou startup que provê serviço em nuvem, mas não para a minha empresa”. Engano seu. Cada vez mais o segmento corporativo vem usando o conceito de APIs para se conectar de forma segura e ágil com seus parceiros de negócio ou diretamente a clientes.

Outra pergunta comum: “O que APIs tem a ver com SOA e Web Services?”. Resposta: muito! As APIs estão fundamentadas em conceitos colocados pelas Arquiteturas Orientadas a Serviços (SOA). Entretanto, SOA sempre teve mais um caráter interno de integração entre aplicações e, além disso, APIs têm uma roupagem baseada em tecnologias mais leves e developers-friendly.

API´s no mundo corporativo: cada vez mais presentes
O uso de APIs no mundo corporativo ficou famoso depois que algumas empresas começaram a ter resultados significativos com o uso dessa tecnologia, promovendo a inovação e até mesmo transformando seus negócios. Uma ruptura de paradigmas, muitas vezes. 

Para ajudar no exercício de verificar como as APIs podem adicionar valor para o seu negócio, listamos abaixo 5 benefícios com exemplos práticos de como as empresas estão usando APIs. Confira: 

(1) Ampliar o alcance com parcerias e canais com agilidade – sem aumentar custos
Por exemplo, a Nova Pontocom, responsável pelas operações online de grandes marcas do varejo nacional comoExtra.com.br, Ponto Frio.com e Casas Bahia.com.br, desenvolveu uma plataforma de Marketplace onde lojistas especializados podem vender seus produtos através do eCommerce do Extra.com.br.  Como a integração com os lojistas é um fator crítico para o sucesso do Marketplace, foi criada uma estratégia de APIs abertas que permite aos lojistas e desenvolvedores se conectarem de maneira ágil e descomplicada.

(2) Impulsionar estratégias mobile “multi-devices
Capilaridade aliada a segurança era o principal desafio do Netflix. A adoção de uma estratégia de APIs impulsionou seu alcance e hoje tem seu modelo de negócio quase que exclusivamente no streaming de vídeos. Seu filho pode assistir “Galinha Pintadinha” usando o iPad, a Samsung SmartTV ou através do Playstation pois todos esses dispositivos acessam um mesmo conjunto de APIs. Atualmente, a maior parte dos aplicativos móveis focam na interface visual sendo que os dados e transações de negócio continuam sendo realizados pelos sistemas internos. Então, não faz sentido as empresas investirem no desenvolvimento de aplicativos móveis sem se preocuparem com a forma como os dados e serviços são expostos.

(3) Inovar de dentro para fora e/ou de fora para dentro
APIs permitem inovar de forma mais acelerada, já que dados relevantes estão tecnicamente mais disponíveis. Tanto empresas como governos já promovem (no Brasil e no exterior) maratonas de desenvolvimento. A finalidade é incentivar a co-criação e premiar os aplicativos mais criativos e úteis. Esses eventos são conhecidos como Hackathons. Na cidade de Nova York, por exemplo, dezenas de aplicativos diferentes foram desenvolvidos em um único final de semana de Hackathon, ampliando os serviços prestados pela cidade aos visitantes e cidadãos aproximando o mundo digital da experiência física de visitar o local.

(4) Criar verdadeiros ecossistemas ao redor de plataformas
Quando sua empresa oferece um serviço valioso para seus clientes é ótimo. Melhor ainda quando os sistemas deles estão diretamente conectados aos seus serviços, pois além de eliminar etapas manuais dos processos, aumenta enormemente o efeito “cola”, o que, por sua vez, diminui a chance dele passar a usar o serviço do concorrente. O estágio mais avançado desse posicionamento de “Plataforma”, é quando não apenas clientes, mas diversos outros parceiros e atores do seu mercado começam a construir outras soluções usando dados e serviços da sua plataforma criando um ecossistema. Provedores de ERPs, CRMs e outras plataformas especializadas tem avançado nesse sentido.

(5) Reduzir custo ou aumentar o nível de governança interna
Aqui é onde as iniciativas SOA normalmente focam esforços: criar serviços de integração entre aplicações internas e que sejam reutilizáveis. Além disso, investimentos em governança SOA para que a empresa conheça os serviços, estruturas de dados e componentes existentes e que possam fazer uma análise de impacto eficientes frente a mudanças. Temos visto empresas considerando SOA como plataforma que possibilita a exposição de APIs, mas, normalmente, restrito ao uso interno.

Crescimento
De acordo com dados divulgados pela Programmable Web, portal que monitora a criação de APIs no mundo todo, em 2012 o número de APIs abertas desenvolvidas passava de 8 mil, um crescimento exponencial cuja tendência é de que terminemos 2013 com números acima das 13 mil APIs catalogadas. Isso mesmo, contando apenas as APIs abertas. Outro dado interessante é a quantidade de vezes que uma API é utilizada (ou chamada). Esse volume vem crescendo a patamares gigantescos: a API do Twitter, por exemplo, 15 bilhões de vezes por dia. Sim, por DIA; a do Facebook e do Google, cerca de 5 bilhões de vezes por dia; a da Netflix, 10 bilhões de vezes por mês; e por aí vai.

O gestor e o profissional de TI devem olhar com mais cuidado o uso de APIs. Um uso focado pode sim trazer retornos positivos – tanto financeiros como para a imagem da sua empresa. E a pergunta que os gestores de TI interessados em inovar devem fazer é: “Quais informações tem valor para quem?”. O verdadeiro poder das APIs está na forma como ela pode trazer para o negócio as vantagens que tantos gestores de TI tem tentado trazer de uma forma tradicional e não tem conseguido. Que tal: developers.[você].com ?

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Hospedado por: Dialhost Transmissão de Webinars: Leads Qualificados: Dialhost Recrutamento & Seleção: Dialhost Métricas & Analytics: MetricasBoss People Marketing: Dialhost

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.