Acesso rápido

Varejistas podem aprender com o Dia dos Solteiros Chinês e impulsionar vendas

por Juan D'Antiochia Terça-feira, 10 de setembro de 2019   Tempo de leitura: 8 minutos

Varejistas que se preparam para a Semana do Brasil podem se inspirar no sucesso do Dia dos Solteiros, na China, enquanto já preveem o aumento das vendas durante a temporada de descontos, que acontece de 6 a 15 de setembro. Dados da FIS indicam alguns dos principais ensinamentos que vendedores – especialmente os de eCommerce – podem aprender com a data chinesa.

A Semana do Brasil acontece junto com a celebração do Dia da Independência. Motivada pela Black Friday, dos Estados Unidos, ela já conta com o engajamento de mais de 4 mil empresas.

Na China, o Dia dos Solteiros é celebrado em 11 de novembro e foi criado pela gigante do comércio digital Alibaba para oferecer aos solteiros uma alternativa de comemoração ao Dia dos Namorados e impulsionar resultados. Os chineses abraçaram a ideia: a empresa faturou US$ 31 bilhões no ano passado, duas vezes as vendas durante a Black Friday e a Cyber Monday somadas nos Estados Unidos, fazendo do período o que mais registra vendas online no mundo.

Dia dos solteiros

“O Dia dos Solteiros da China deve continuar crescendo como um dos maiores eventos do varejo do mundo”, explica o General Manager da FIS para América LatinaJuan D’Antiochia. “No Brasil, onde os descontos de Black Friday já se popularizaram, a Semana do Brasil aparece como uma oportunidade para colocar em prática algumas das estratégias que estão dando certo com os chineses”, completa.

O Ecommerce no Brasil cresceu 12% em 2018, com um faturamento de 53 bilhões de reais. Dados do Global Payment Report, da FIS, estimam que o mercado da América Latina vá movimentar 94 bilhões de dólares em 2022. Nas vésperas da Semana do Brasil, veja o que os varejistas brasileiros podem aprender com o fenômeno do Dia dos Solteiros:

  1. Reforçar operações logísticas para que cheguem no prazo

Segundo dados do Reclame Aqui, atraso na entrega de pedidos foi uma das principais queixas dos consumidores brasileiros em relação à Black Friday de 2018. Na China, o centro de distribuição da parceira de logística do Alibaba, a Cainiao, foi inaugurado em 2018 e funciona à base de Internet das Coisas, que conecta pessoas dentro e fora do complexo, além de equipamentos e sistemas de monitoramento, incluindo 700 robôs.

Para o Dia dos Solteiros, a Cainiao ainda reforça essa operação, que chega a envolver 1,7 milhão de pessoas e 400 mil veículos, para garantir que as compras cheguem até os consumidores no prazo correto. Naturalmente, não são todas as empresas que têm condições de fazer tais aportes, mas todas, independentemente do tamanho, devem considerar investir em automação para se preparar para o futuro.

  1. Prepare-se para um alto volume de compras mobiles

Para esta Semana do Brasil, é provável que o Mcommerce seja o canal escolhido por boa parte dos clientes: em 2018, compras feitas por smartphones corresponderam a mais de 1/3 do total de pedidos dos consumidores brasileiros no comércio eletrônico, impulsionadas especialmente por conta dos altos preços dos PCs e do barateamento das tecnologias 3G e 4G.

Varejistas nacionais devem se preparar para um alto fluxo de pedidos feitos pelo celular, assim como os consumidores chineses: em 2018, a maior parte dos 1 milhão de pedidos realizados no Dia dos Solteiros foi feita por meio de smartphones. Os vendedores devem estar cientes de que os clientes compram mais quando é fácil de navegar, fazer um pedido e pagar por ele por meio das lojas móveis.

  1. Ofereça opções de pagamento simples, variadas e seguras

Na China, compradores estão habituados a registrarem seus dados pessoais e de pagamento para que possam ter uma experiência de compra mais ágil. Cadastros biométricos também são comuns na hora de fechar a conta. Tudo isso é possível quando o lojista conta com um sistema de pagamento robusto.

Ele deve ser simples, seguro e eficiente, eliminando qualquer possibilidade de frustração ou hesitação nesta etapa. Além disso, clientes esperam que as empresas aceitem o meio de pagamento que melhor os atendam, por isso elas precisam oferecer opções que os consumidores queiram utilizar, de uma maneira simples e segura.

  1. Ofereça ajuda imediata

Os consumidores chineses preferem solucionar problemas e dúvidas por meio de chats na hora de fazer compras online. Por isso, desde 2015, o Alibaba oferece o chatbot de inteligência artificial AliMe. Com base em inúmeros dados de transações do cliente, a tecnologia pode analisar e prever as necessidades do consumidor, podendo até antecipar o contato, aperfeiçoando o atendimento.

Apenas durante o Dia dos Solteiros de 2017, a AliMe respondeu a 9 milhões de chamados. A tecnologia dos chatbots já é comum no Brasil e está em expansão. De acordo com dados da Mobile Time, o número de empresas que desenvolvem bots cresceu 27% em 2018. Antes da Semana do Brasil, varejistas devem explorar como eles podem utilizar essa tecnologia para remover obstáculos da experiência de compra de seus consumidores.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.