Acesso rápido

Vantagens do marketplace para PMEs

por Renato Oliveira Quarta-feira, 11 de abril de 2018   Tempo de leitura: 10 minutos

O e-commerce é um setor próspero na economia do país e vivencia uma boa fase de crescimento expressivo a cada ano. Prova disso é que, em cada um dos últimos cinco anos, o comércio eletrônico fechou com crescimento positivo. Em 2017, o faturamento alcançou 121 bilhões de reais segundo o eBIT.

Atualmente, as comercializações B2C e C2C (bens de consumo, produtos novos e usados) no e-commerce são realizadas através de dois canais: marketplaces e lojas virtuais.

Se você já opera com uma loja virtual, mas não comercializa em um marketplace, é muito provável que esteja deixando passar uma excelente oportunidade de aumentar as vendas e atrair novos clientes ao não se posicionar nessa modalidade (de acordo com seu segmento e modelo de negócio).

O cenário ideal para o lojista no comércio eletrônico (dependendo do segmento) pode ir além de ter uma loja virtual profissional bem estruturada, passando também pelo desafio de possuir uma marca relevante presente nos marketplaces. Isso não acontece da noite para o dia, mas com muito trabalho e esforço, é possível alcançar. Além disso, separeis duas dicas para contribuir com o posicionamento de cadastro. Vamos lá?

Marketplace

O marketplace funciona como um shopping online. O conceito ganha mercado a cada ano, porque é um modelo de negócio que atrai lojistas de diversos segmentos e consumidores de diversos mercados. Gerando, assim, uma variedade enorme de produtos, suprindo a demanda de consumo inicial e até despertando o interesse para itens que não estavam na lista de compras do consumidor.

Vamos utilizar o início da empreitada no Mercado Livre como exemplo:

O usuário/lojista deve iniciar seu cadastro fornecendo dados como: CNPJ, endereço de onde sairão os pedidos, resumo sobre a loja, etc. Com o cadastro criado, chegamos então à etapa da adição dos produtos, com fotos, descrição e preço, entre outras informações relevantes que vão estruturar o perfil como vendedor. A aprovação das informações varia de acordo com a política de cada canal, porém no MeLi costuma ser instantânea. Com os anúncios publicados, chega ao momento de concorrer por vendas: a cada busca feita pelos consumidores, uma listagem de anúncios é obtida. O ranqueamento dessa lista possui diversos critérios de elevação ou queda na exposição de cada anúncio, variando de acordo com cada marketplace.

A plataforma (marketplace) também fica responsável por fazer o intermédio entre cliente e loja com o checkout. E é aí que o custo com o marketplace entra: o lojista paga uma taxa de comissão (varia de acordo com cada canal) por venda feita. Antes disso, não há mensalidade nem custos com a plataforma.

A comissão paga por cada vendedor gera a receita necessária para que o marketplace possa investir na estrutura do site, que envolve cobrir toda a estruturação da plataforma, envolvendo gateways de pagamento, meios de navegação, layout e sistemas de segurança, além de estratégias utilizando ferramentas de marketing. Com isso, proporcionam um grande volume de novos consumidores e são capazes de gerar recompra dentro do marketplace.

Loja virtual

Ter o mesmo retorno na loja virtual poderia demandar um custo muito maior em estruturação dos sistemas como um todo. Estes fatores estruturais contribuiriam para atrair o consumidor na internet e converte-lo em cliente com um CLTV relevante.

Estar presente em diversos marketplaces aumenta o alcance do seu negócio e pode ser uma ótima oportunidade de aumento de faturamento e lucro. Limitar o seu negócio a um único canal de vendas (um único marketplace ou loja), quando o segmento oferece diversas oportunidades de alcançar o consumidor final, resulta em dependência, o que não é nada bom. O e-commerce brasileiro conta com diversos marketplaces de alta credibilidade, tais como: Americanas.com, Extra, Submarino, MercadoLivre, Walmart, entre outros, além da chegada sutil da Amazon, que sabemos do enorme potencial em diversos segmentos, antes presente apenas nos dos livros. Embora tantas opções estejam disponíveis, vale ressaltar a importância de uma breve pesquisa, para identificar quais marketplaces se encaixam melhor com o seu modelo de negócio.

Devido à credibilidade dessas marcas, o trafego diário de page views e unique views é extremamente alto. Mesmo com a concorrência posicionando anúncios literalmente ao lado do seu, quem escolhe de quem comprará será o consumidor. Vende quem fizer o melhor trabalho. Podemos ler em artigos que a discrepância de preços dentro dos MPs é constantemente vista na mesma categoria de produtos, o que pode afastar possíveis novos varejistas. Mas isso não é um empecilho, pois, como sabemos, embora seja um fator muito importante, nem só de preço a venda é formada. Aqui vale ressaltar que no fim do dia o que importa para um e-commerce é lucrar. Vender uma quantidade elevada, porém queimando preço, sem lucro, no ponto de vista de volume de vendas pode ser bom. Mas para a saúde do negócio, pode ser péssimo.

Abaixo, separei duas dicas, que podem contribuir para o posicionamento de seus anúncios:

Analise de mercado

Em um marketplace existem diversos lojistas em diversas categorias de produtos que provavelmente anunciam os mesmos produtos que você pretende anunciar. Portanto, é interessante atentar-se aos preços praticandos, frete, título e qualidade dos anúncios envolvendo descrição técnica e fotos. Questione-se, busque as respostas e aplique as informações em seus anúncios: o que o seu cliente busca? Como ele enxerga o mercado? Quais são as palavras-chave mais buscadas em seu segmento e quais não estão sendo aproveitadas pelos seus concorrentes? O que estão anunciando e como? Você compraria algo de si mesmo olhando seu anúncio?

Atendimento

O atendimento via e-mail, campos de perguntas e outros meios ficam sobre responsabilidade do lojista. Estes canais de atendimento devem ser muito bem tratados, pois representam o balcão de conversão da sua loja antes da venda. Permita que o seu cliente que comprou um celular em seu cadastro pelo marketplace possa sanar alguma dúvida simples relacionada ao uso do produto em sua página no Facebook. O SAC 2.0 e/ou 3.0 gera credibilidade para a sua marca além do atendimento tradicional.

Lembre-se do seu cliente após a finalização da compra e entrega do produto, o pós-venda possui uma força incrível. Nesse ponto, interligamos a loja virtual com o marketplace. A partir daqui, ao propiciar uma excelente experiência de compra, o cliente do marketplace pode se tornar seu e na próxima compra poderá fazê-la diretamente em seu site.

Os dois pontos acima contribuem para melhorar a relevância de cadastro, o que é essencial para o sucesso em qualquer marketplace, sobre tudo, no e-commerce. Sucesso e boas vendas!

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

O projeto E-Commerce Brasil é mantido pelas empresas:

Oferecimento:
Hospedado por: Dialhost Transmissão de Webinars: Recrutamento & Seleção: Dialhost Métricas & Analytics: MetricasBoss

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.