Acesso rápido

Uma nova forma de fazer marketing com Big Data

por Welington Sousa Quarta-feira, 27 de abril de 2016

Quando falamos em Big Data, logo nos deparamos com uma enorme interrogação em nossas cabeças e aquele sentimento de enfrentar um dragão de cinco cabeças no melhor estilo Tiamat. Na prática não é tão complicado assim e está muito mais próximo do que podemos imaginar, com custo realmente acessível. Mas antes de começar a falar sobre sua aplicação direta no marketing, vamos conceituar um pouco o que é na prática.

Big Data é a capacidade de armazenar e analisar novas fontes de dados caracterizadas por volume, velocidade e variedade. Ele revela padrões de comportamento de um determinado público ou mercado de forma mais rápida e precisa, baseando-se em informações extraídas de eventos ocorridos, preferências e necessidades. A crescente demanda por iniciativas que utilizam essa nova tecnologia tem origem na necessidade em responder questões de negócios específicas que, em última análise, levam a um aumento nas vendas, maior eficiência operacional, melhoram o serviço ao cliente e minimizam os riscos em grandes campanhas.

Devido a sua enorme procura, novos conceitos e tecnologias associadas ao Big Data vêm surgindo e, com certeza, você já ouviu falar sobre algumas delas, como Hadoop, Data Lake, NoSQL, MongoDB, Pig e tantos outros.

Mas o que todas essas terminologias técnicas têm a ver com marketing? Absolutamente tudo! A maior vantagem do marketing online é a grande capacidade de gerar dados, estruturados ou não, e disponibilizar informações cada dia mais personalizadas sobre cada cliente.

Quando concedemos ao marketing algoritmos com capacidade de recomendar, analisar, cruzar e acelerar iniciativas, o ROI das campanhas aumenta, o custo reduz e, o tempo de concretizar uma venda ou fixar a marca na mente das pessoas cai pela metade.

O Big Data no marketing auxilia as empresas a entenderem ainda mais a cabeça do consumidor e sua relação com seus produtos. Enviar o conteúdo certo, para o cliente certo, no momento certo, é possível, simples e está mais próximo da sua realidade do que você imagina.

Outro drive importante nesta relação de dados apresentados é a concatenação de dados offline e online. Como o Big Data é capaz de criar equivalências entre dados não estruturados, com base em tecnologias e conceitos, é possível transformar os dados coletados em lojas físicas e unir aos dados deixados pelo cliente no online, isso é o Omni Channel. Quanto mais conhecimento você tiver do seu cliente, mais personalizada será sua comunicação e mais empatia o cliente sentirá pela marca, desenvolvendo dessa forma um relacionamento longo, duradouro, rentável e de confiança.

É importante ressaltar que todo material coletado pelo Big Data chega por meio de dados brutos, ou seja, você pode usá-los para todo e qualquer tipo de campanha. Entretanto, o meio que mais apresenta resultados é o online, seja ele e-mail marketing, Google ou campanhas em redes sociais. O ideal é utilizá-lo para conquistar a confiança do seu público-alvo de maneira natural e, assim, ter uma base de clientes engajados e fiéis por muito tempo.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

1 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  1. Muito interessante! Acredito que o ponto fundamental de um bom marketing é relevância: saber quem de fato se interessa pelo produto e apresentar de uma forma que acrescente algo.

    nuvemshop.com.br/blog

    Responder

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.