Trocas e devoluções: como o câncer do e-commerce pode ter cura

por Cristian Trentin Quarta-feira, 16 de janeiro de 2019   Tempo de leitura: 7 minutos

Todos os dias o comércio eletrônico sofre com um “câncer” em suas operações. Ele come margem de lucro, necessita de muitas pessoas envolvidas e no final quase sempre o cliente reclama e vai embora. Ele é conhecido por “trocas e devoluções”,  e cresce todos os meses nos e-commerces. Estima-se nos Estados Unidos que até 2020 isso irá gerar um custo de US$ 550 bilhões, um crescimento de 75,2% se comparado com os últimos 4 anos.

A média de produtos trocados e devolvidos no e-commerce brasileiro é de 5%. Porém, alguns setores como o de moda sofrem mais com isso, batendo incríveis taxas de 30% de suas vendas. O pior é que os clientes já compram diversos itens, com tamanhos e cores diferentes, com a intenção de fazer a troca ou devolução logo após a chegada.

Quem vende precisa investir em pessoas, processos, sistemas e logística, pois o cliente quer ser atendido rapidamente e com o menor esforço possível. E se o e-commerce não cuidar, isso irá virar uma reclamação pública, o que afeta a imagem da marca e credibilidade para novas compras.

Mas esse câncer tem cura, e poderá ser uma grande oportunidade para você fidelizar, conseguir novas vendas e ainda gerar um buzz positivo.

Vou te contar 5 motivos para investir em trocas e devoluções de maneira inteligente no seu e-commerce.

  • Fidelização;
  • Melhoria do seu NPS;
  • Recompra;
  • Retenção de venda;
  • Upsell.
  • 1 – Fidelização

    Segundo uma pesquisa do Ebit, 92% dos consumidores retornam em um e-commerce desde que o processo de troca/devolução seja simples e rápido.

    Facilitar trocas/devoluções faz com que você reduza o seu custo de CAC (Custo de Aquisição de Clientes) para novos consumidores, melhorando assim suas margens e vendendo mais para o mesmo cliente.

    2 – Melhoria do seu NPS

    Quando não somos atendidos ou até mesmo nos sentimos enganados, nossa reação é reclamar publicamente, alertando outras pessoas a não passarem pelo mesmo problema. Os canais mais populares são as redes sociais, onde o consumidor solta o verbo e compartilha com todos os amigos. Pronto, lá se foi alguns potenciais clientes da sua marca.

    O Reclame Aqui é um concentrador de clientes insatisfeitos. Parece brincadeira, mas já vi e-commerces com equipes (de 3 a 4 pessoas) só para responder a essas reclamações. Estamos falando de um custo médio de R$ 144 mil por ano, só com esse time. É como enxugar gelo, você responde e lá vem outra reclamação.

    Uma maneira para medir o grau de satisfação do seu cliente com sua marca é por meio do NPS (Net Promoter Score), e você pode aprender a calcular aqui.

    Avise o seu cliente de todo o processo de trocas, desde o momento da solicitação até quando faz o estorno ou gera o voucher. Um cliente bem informado é sem dúvida uma pessoa a menos propensa a reclamar.

    3 – Recompra

    Voltar em um restaurante, loja ou e-commerce depende de algumas variáveis. Mas sem dúvida um atendimento está na lista das prioridades. Você não retornaria a um restaurante se o garçom demorasse 48 horas para te atender.

    Agora imagine que ao invés de um restaurante, você está em um site e esse é o fluxo para você ser atendido:

    • Você faz a compra;
    • O e-commerce transaciona, separa, embala, gera NF e posta o seu pedido;
    • Se ele vendeu por marketplace, pagou comissão;
    • Você é comunicado que o seu pedido já foi despachado;
    • Logo após receber o produto (10 dias), notou que não era o que esperava;
    • Procura por todo o site como realizar uma troca. Depois de uns 10 minutos encontra;
    • Manda e-mail;
    • Espera 48 horas para o e-commerce responder;
    • Você fica indignado e vai reclamar no Facebook ou no Reclame Aqui;
    • Pede o estorno do seu dinheiro;
    • O e-commerce perdeu mais uma venda.

    Esse parece ser o pior cenário para um e-commerce, mas acredite: é o mais comum. Já ouvi relatos de gerentes que devolvem o dinheiro para o cliente, pelo simples fato dele solicitar uma troca e dar muito trabalho para gerar um crédito, onde a empresa perdia 2 mil vendas por mês.

    Recompra é garantia de custo menor de aquisição de clientes. Ela evita gastar dinheiro com anúncios em redes sociais e buscadores, por exemplo.

    4 – Retenção de venda

    Como você já sabe, o cliente pode solicitar o dinheiro gasto mais o valor do frete em até 7 dias após o recebimento da encomenda. O código do consumidor está para te lembrar:

    Art. 49. O consumidor pode desistir do contrato, no prazo de 7 dias a contar de sua assinatura ou do ato de recebimento do produto ou serviço, sempre que a contratação de fornecimento de produtos e serviços ocorrer fora do estabelecimento comercial, especialmente por telefone ou a domicílio. LEI Nº 8.078, DE 11 DE SETEMBRO DE 1990.

    Clientes em sua grande maioria estão agindo de boa fé. Eles apenas querem trocar o produto por outro. Mas, quando recebem um atendimento horrível acabam pedindo o seu dinheiro de volta. Restam para o e-commerce uma venda perdida, comissão paga pela transação financeira, custos logísticos e pessoas para devolver o item ao estoque, baixa na nota fiscal de venda… E por ai vai.

    Com um sistema inteligente, é possível oferecer para o cliente opções para ele converter sua compra em créditos, podendo utilizar facilmente o valor em um novo item. Existem e-commerces que oferecem essa opção instantemente após o cliente postar o produto nos Correios, por exemplo, garantindo assim uma fidelização ainda maior.

    5 – Upsell

    Quando o cliente solicita uma devolução, é possível oferecer créditos para ele gastar no próprio site. Em estudos recentes com a Osklen, identificamos que os clientes retidos gastaram 44% a mais do que o valor original da compra quando foram utilizar o voucher.

    Um processo de trocas bem feito gera diversas oportunidades. Porém, a grande maioria dos e-commerces ainda encara isso como um problema. Mas é inevitável e isso só irá aumentar.

    Isso pode ser um câncer para seu e-commerce ou uma oportunidade. Depende apenas de como irá encarar isso.

    Você recomendaria esse artigo para um amigo?

    Nunca

     

    Com certeza

    Deixe seu comentário

    0 comentários

    Comentários

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Comentando como Anônimo

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER