Acesso rápido

Três dicas fundamentais para abrir seu e-commerce

por Daniel Domingues Quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

O que aprendi na prática, que você pode se beneficiar para começar seu negócio virtual.

Com a evolução nos mais diversos âmbitos que permeiam o e-commerce, tais como segurança, agilidade e um profundo conhecimento, além da possibilidade de segmentação, a internet deixou de ser apenas uma onda que surfamos para se tornar um verdadeiro tsunami de possibilidades: ou dominamos seus segredos, atalhos e rapidez, ou seremos dominados.

São aproximadamente 43 milhões de consumidores, por ano, no e-commerce brasileiro, com um ticket médio de R$ 356. Apesar de caminhar a passos largos, crescendo duplos dígitos nos últimos anos, ainda engatinha quando comparado a países como Estados Unidos e Reino Unido, onde a participação do varejo online esta acima dos 10% do varejo total, de acordo com pesquisa Ibope divulgada nesse ano. No Brasil, o número não atinge os 2%. Vi nos números a oportunidade de participar desse mercado em crescimento acelerado, além de visualizar como a melhor opção para iniciar minha empresa, que vai importar uma marca de chocolate de alta qualidade da Europa a partir de Abril de 2013.

Quase que diariamente, nos encontramos tendo grandes ideias de negócios, que, através da evolução da internet, tornam as chances de sucesso maiores em relação há alguns anos. Todavia, devemos estar atentos para não cairmos no erro de achar que, assim como a experiência de compra online é ótima e aparentemente fácil, vender online será um processo simples. O e-commerce pode apresentar desafios que só quando damos o duplo-clique entendemos o tamanho da complexidade.

Para clarear um pouco a cabeça de quem está pensando em abrir seu negócio online, gostaria de dividir alguns passos básicos que aprendi durante a minha recente experiência neste ramo fascinante. São ideias simples, porém fundamentais para que se faça possível um mapeamento objetivo das perguntas que devem ser respondidas antes de você criar o seu “www” e gastar seus investimentos para atrair seus clientes e se tornar um empreendedor digital.

Expanda sua network: Com a velocidade da tsunami digital, a melhor e mais segura ferramenta disponível hoje pode ser a vulnerabilidade de amanhã. Se você não é do ramo digital, procure profissionais dentro ou fora de sua rede de contatos que possam lhe explicar ou até fazer uma consultoria sobre o mercado e suas peculiaridades. Além disso, busque blogs direcionados, congressos de e-commerce e faça muita, muita pesquisa online.

No meu caso, me conectei com profissionais incríveis, que detinham conhecimentos específicos em suas áreas, seja donos de lojas virtuais há anos – e que me explicaram as diferenças de plataformas de e-commerce e suas peculiaridades -, ou profissionais jovens e talentosos em SEO e Digital Marketing, que me deram direcionamentos de pesquisa focados no meu segmento. Esses contatos me expuseram o tamanho da oportunidade, enriqueceram meu conhecimento e me encorajaram a dar o segundo passo.

Segmente seu mercado: Vivemos na era da informação e acredito que nunca tivemos tantos dados de qualidade disponíveis para guiar nossas decisões de negócios e aumentar as chances de sucesso. Todavia, sem precaução e resguardo de fazer um estudo profundo e detalhado de seu mercado, sua dinâmica, os concorrentes e, mais importante, seus consumidores, o que parece simples e lucrativo pode se tornar uma grande frustração.

Entenda exatamente o que seu cliente está buscando, onde ele está buscando e como ele busca. Todas essas respostas estão a alguns cliques de distancia de todos nós. Caso interpretar dados não seja sua especialidade, siga a primeira dica e busque profissionais que possam lhe entregar essa análise detalhada. Se você dispõe de capital para trabalhar esses dados estrategicamente, existem diversas empresas no mercado que estão “bombando” as vendas de milhares de lojas virtuais Brasil afora.

Esteja preparado para investir tempo: Um dos maiores vilões que alimenta índices de falência ou dissolução de empreendimentos no Brasil é a percepção equivocada de novos empreendedores de que ser dono do próprio negocio implica em menos trabalho. Nestes quase seis meses de aprendizado, descobri que operações de e-commerce não são simples e demandam muito tempo. Recentemente, participei do E-Commerce Brasil em São Paulo. Marcou-me muito quando um palestrante abriu sua apresentação com a seguinte frase: “quem aqui prolongou o feriado? Ou quem não trabalhou neste fim de semana?”. A resposta da plateia formada, em grande parte, por pessoas já participantes do mercado foi um longo e desconfortável silêncio. Ao mesmo tempo, é perceptível que todos lá presentes se mostravam entusiasmados e envolvidos com seus negócios.

Pois é, planejar sua loja virtual demanda investimento pessoal e financeiro.

A facilidade de navegação para os consumidores demanda um “backoffice” inversamente proporcional, isto é, complexo e muito bem estruturado.

O meu negócio começa mesmo após a confirmação da compra. A operação de chocolates em um país tropical como o Brasil é complicada e demanda cuidados quase que excessivos para garantir a qualidade na entrega e a satisfação dos consumidores.

Se você pretende entrar neste negócio, não seja mais um, se cerque-se de pessoas capacitadas, conheça seu cliente e invista tempo de qualidade para estruturar seu negócio. Faça a diferença. BOA SORTE!

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

3 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.