Acesso rápido

E-commerce 2018: conheça as principais tendências

por Raquel Lisboa Sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018   Tempo de leitura: 5 minutos

Ano a ano, os consumidores vêm aderindo à nova experiência de compra online. Em 2017, o crescimento médio do comércio eletrônico mundial foi de surpreendentes 17%. E para 2018 as expectativas continuam altas.

E aí, você já parou para pensar quais as estratégias que pretende aprimorar ou criar para estar consonante ao mercado? Aliás, você sabe o que estará em alta este ano? Pensando nisso, separei quatro perspectivas essenciais para se atentar e desenvolver. Acompanhe:

1 – Realidade mobile

Essa primeira tendência, como sabemos, não é novidade. Na verdade, se tornou algo tão comum em nossas vidas como assistir à televisão. Acessar às redes sociais e aos jogos, adquirir produtos e serviços são algumas das inúmeras possibilidades que nos estão disponíveis à palma da mão.

De acordo com o Ecommerce Foundation, a penetração dos dispositivos móveis na América Latina foi de aproximadamente 39% em 2017 e estima-se que até 2019 chegue a 43,2%. Tal uso desses aparelhos destacou-se como um dos principais fatores que impulsionaram o e-commerce no último ano.

Assim sendo, não há dúvidas da necessidade de continuar investindo nesse meio. Para isso, é importante considerar três opções cruciais para oferecer uma melhor navegabilidade ao consumidor:

  • Site responsivo: onde a estrutura continuará semelhante a do desktop, porém – quando acessado dos dispositivos móveis – os botões, os textos e as imagens se adaptarão à tela menor;
  • Site mobile: assim que o cliente acessá-lo pelo celular (ou tablet), será redirecionado a um subdomínio da loja virtual e, desta forma, poderá navegar por um conteúdo personalizado;
  • Aplicativo: tornará necessário um maior investimento, devido à contratação de uma empresa que ofereça serviço de desenvolvimento de software, porém poderá ser um complemento para os sites responsivo e mobile.

E, por fim, nesse quesito é preciso ter ferramentas antifraude para evitar riscos à experiência do usuário. Por meio delas, é possível identificar compras suspeitas e ter a opção de recusar um pagamento antes de enviar os produtos, salvando-se do prejuízo.

2 – Micro-momentos

O imediatismo faz parte de todas as nossas interações. Atualmente a comunicação vai muito além de um telefonema ou de uma troca de e-mails: é necessário seguir nas redes sociais, fazer videochamadas e trocar mensagens pelo WhattsApp (no mínimo!) – tudo para agora e, se possível, sincronizadamente.

Desse modo, é natural que a relação marca-consumidor siga o mesmo fluxo. As estratégias de marketing devem ser de fácil consumo. O cliente tem que rapidamente compreender o conceito do empreendimento e perceber se isso corresponde às suas expectativas.

Segundo a Think with Google, nos últimos dois anos, as buscas por “tonight” (esta noite) e “today” (hoje), feitas no contexto de viagens e turismo, cresceram mais de 150% nos EUA. Cada vez mais as pessoas estão tomando decisões imediatistas, de última hora.

Então, para encantá-las com maestria é preciso aproveitar cada oportunidade nos rápidos instantes de engajamento social, principalmente pelos dispositivos móveis. Storytelling no Stories do Instagram e postagens interativas no Facebook são bons exemplos.

Além disso, é primordial oferecer uma experiência personalizada, em que os produtos estejam totalmente atrelados ao estilo de vida do consumidor: se a loja virtual vende tênis de corrida, é importante que o marketing de conteúdo esteja voltado para esse tipo de esporte. Facetas de emoção, divertimento e satisfação deverão conquistá-lo para a marca.

Hoje, o cliente busca muito mais que produtos e serviços: ele procura ideias, uma lista de possibilidades e uma marca com que se identifique. Nada menos que isso é aceito.

3 – Atendimento humanizado

Para manter a competitividade, o uso de chatbots e assistentes virtuais tem se tornado cada vez mais frequente entre os empreendimentos. Seguindo o mesmo parâmetro dos micro-momentos, quanto mais ágil for o atendimento, melhor.

Ademais, a realidade aumentada está batendo à porta – o jogo Pokémon GO, lançado em 2016, é um exemplo disso. Segundo previsões da Gartner, até 2020, cerca de 100 milhões de consumidores comprarão por RA. Poderemos testar móveis e roupas dentro da nossa própria casa, apenas com um dispositivo móvel à mão.

Porém, enquanto essa inovação não chega a todos, os e-commerces devem continuar focados no atendimento 24×7 via chats, redes sociais e até mesmo WhattsApp – é essencial oferecer uma assistência completa e solucionar todas as dúvidas, desde a escolha dos produtos até demandas do pós-venda.

Uma maneira eficiente de centralizar o suporte é por meio do CRM (Customer Relationship Management), que gerencia com mais facilidade informações básicas de contato, além de históricos de atendimento e compra. Oferecer ao consumidor uma experiência diferenciada e exclusiva se tornou algo fundamental.

4 – Omnichannel

A geração millenium mudou o nosso modo de interagir e consumir. Junto dela, os avanços tecnológicos trouxeram inúmeros recursos, como a possibilidade de finalizar uma compra pela internet.

Assim, acompanhando tal evolução e com o intuito de oportunizar um momento único e imediatista ao cliente, empreendedores começaram a investir em diferentes canais de venda para comunicar a marca, conhecer melhor o seu público-alvo e, principalmente, converter mais.

E nesse longo caminho de estratégias, desde o single-channel, surgiu o omnichannel – por meio de canais integrados, o consumidor deseja não apenas comprar, mas co-criar e decidir cada passo até que o produto chegue em suas mãos.

Ele busca relacionar-se ao máximo com a marca de interesse: segue nas redes sociais, busca inspirações, pesquisa se o empreendimento possui um ambiente físico (e, se sim, sua localização), checa regulamentos de entrega/troca e compara ofertas das lojas física e virtual.

Portanto, essa é uma tendência crucial para 2018 – é necessário unificar o online e offline, alinhar essas diferentes experiências em campanhas de marketing, além de entreter, educar e influenciar o consumidor.

Tudo certo?

Espero que essas perspectivas para esse ano tenham inspirado você a continuar empreendendo e investindo no seu negócio. Acredite nele e mãos à obra!

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.