Tendências cauda longa para e-commerces na crise

por Rodrigo Ramos Quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Marketplaces

Os marketplaces no país já não são novidade, não é mesmo? As plataformas de grandes players permitem que os pequenos lojistas consigam conquistar o seu espaço.

A tendência só tende a crescer e isso é claro deve afetar o offline, como aconteceu recentemente com o grupo Via Varejo detentor dos direitos de marcas como Casas Bahia e Ponto Frio que precisou fechar 31 lojas no 3º trimestre desse ano e a resposta da empresa foi exatamente essa: a culpa é do online.

Por mais doloroso que isso possa parecer para os lojistas offline, isso de certa forma é verdade. O fato é que as operações virtuais tiveram um grande crescimento nos últimos anos e em plena crise econômica nacional, tem previsão de bater a marca de R$ 978 milhões na Black Friday (10% em relação a 2014).

Benefícios de um e-commerce

Os e-commerces possuem algumas vantagens, entre elas:

– Estoque:

Os produtos comercializados não precisam necessariamente estar em um lugar só, como ocorre em uma loja física, onde o cliente vai comprar o produto e espera retirá-lo instantaneamente.

– Preço:

Embora alguns ainda acreditem que não, um e-commerce possui diversos custos assim como uma loja física, porém os investimentos de um e-commerce afetam diretamente nas vendas, pois a maior parte dos investimentos são em ferramentas de marketing digital (SEO, links patrocinados, e-mail marketing).

Além desses benefícios, quando se trata de um marketplace, o principal benefício é o lojista pode utilizar o tráfego do marketplace, o que traz mais notoriedade.

A desvantagem de utilizar um serviço de marketplace é o comissionamento que eles cobram (chegam a 15%).

O segredo do sucesso

O segredo do sucesso no e-commerce está na variedade, o que chamamos de cauda longa, pois além da disponibilidade de estoque para um e-commerce ser muito maior do que a de uma loja física, a famosa regra comercial 80/20 (80% do faturamento corresponde a 20% dos produtos em estoque) pode ser colocada em cheque.

Quem comercializa conteúdos para download sabe que a regra já não é mais assim.

O modelo omnichannel

Apesar de todas as dificuldades financeiras que temos passado no país, elas podem ser vencidas.

É tempo de estudar formas mais eficazes de investimento em um modelo omnichannel inteligente que não apenas integra todos os canais e fala com o usuário por todos eles, mas mensura resultados e os aplica busca de proporcionar uma melhor experiência para o usuário.

O atendimento também precisa ser diferente, os departamentos precisam estar devidamente integrados.

Invista em aplicativos

Em meio ao lançamento de aplicativos que prometem revolucionar o mercado como o Uber e o Nubank, não podemos nos dar o luxo de sermos negligentes. Todas as coisas estão apontando para o mobile e os lojistas não podem mais enfrentar dilemas como ter um site responsivo ou não.

Em meio à uma grande crise é que surgem as grandes oportunidades e as melhores idéias.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER