Prepare-se para 2020: 4 tendências macro que você precisa saber

por Leandro Dettenborn Quarta-feira, 30 de janeiro de 2019   Tempo de leitura: 6 minutos

Mobile Commerce? Omnichannel? Marketing de conteúdo? Algum desses soa familiar? Aposto que sim. Afinal, o segmento de performance digital destacou, e muito, esses temas nos últimos anos.

Mas o que quero trazer para destaque hoje: esses temas ainda são as grandes tendências para o segmento em 2019? Ou são os temas de casa que ficaram de outros anos?

M-commerce, por exemplo, se fala desde 2012. E embora seja um assunto que sempre está atualizado, hoje o m-commerce já é uma realidade cada vez mais popular, não uma tendência ou novidade. O mesmo vale para omnichannel, e ainda mais para o marketing de conteúdo.

Com isso em mente, avaliei o contexto de diversos clientes e outras marcas que nos procuraram a consultoria da Trinto ao longo de 2018 e nesse início de 2019. E, principalmente, suas necessidades reais a partir do problema que nos apresentaram.

Também pesquisei e estudei com parceiros, como Google, plataformas de e-commerce e profissionais da área sobre suas percepções do setor. Além de buscar as novidades no segmento de e-commerce nos Estados Unidos, dominado pela Amazon (que inclusive acabou de abrir operação própria no Brasil).

E cheguei a 4 tendências macro em marketing digital que estão em alta e em pauta no momento, que tem previsão de serem realidade já em 2020.

1 – Customer-Centric Marketing

Essa é uma abordagem de marketing que entende o cliente no centro da estratégia. Isso significa que todo o investimento, esforço, ações, comunicação, estoque e etc. são pensados para e a partir do nosso cliente específico.

No Brasil, a abordagem que ainda domina o mercado digital é o de channel-centric marketing. Nesse modelo, channel-centric, e tenho certeza que você vai identificar essa abordagem, a estratégia de marketing está pensada e otimizada para canais ou canal utilizado.

Nessa abordagem existe um grande esforço para melhorar as taxas de algum canal específico. Por exemplo, o canal e-mail marketing. Ao rever sua estratégia atual, você decide fazer alguns ajustes para melhorar o desempenho desse canal.

Nesse caso, você consegue ter resultados com esses ajustes: as taxas de abertura e clique do canal aumentam consideravelmente. Seus clientes estão consumindo mais da sua comunicação (relacionamento) por e-mail.

Mas e se estiverem consumindo esse material e adorando, mas indo comprar na loja física ou até mesmo finalizando a compra por outro canal utilizado? Isso significa que sua estratégia de e-mail marketing é um fracasso?

Você colocou o canal no centro da estratégia, sem analisar ou pensar no que de fato o seu cliente quer ou precisa. Essa é a mudança com o customer-centric marketing. Você coloca o seu consumidor no centro da estratégia, não mais um canal.

O resultado: estratégias e táticas mais eficientes para converter hoje e incentivar o retorno do seu cliente.

2 – Evoluçāo do Google Ads

Não é apenas o nome da ferramenta que mudou em 2018. O marketing por keywords já está mudando radicalmente e técnicas de performance que eram utilizadas há anos estão cada vez mais ineficientes.

Os simples CPC e keywords como conhecemos deixarão de existir e os próximos anos estarão baseados nos 3A’s do Google: audiência, atribuição e inteligência artificial (AI).

O Google é provavelmente o maior case de sucesso quando se fala em colocar o usuário/cliente no centro da estratégia. E por isso, entender a sua audiência, pensar em como você atribui valor aos canais ao longo da jornada dessa audiência e então automatizar o seu sucesso são as grandes dicas do momento.

3 – Voice Search Marketing

Até 2020, metade de todas as buscas será por voz, aponta pesquisa da ComScore. A pesquisa por voz já pode ser identificada em relatórios do Google Ads desde 2016. E já analisamos um aumento nas buscas por voz em cenário nacional.

Mas esse comportamento de busca está sendo acelerado pela chegada de assistentes pessoais, dispositivos de connected home e smartphones cada vez mais avançados. Sua loja e sua estratégia de canais está preparada para atender esse comportamento?

4 – Anúncio x criatividade

É uma verdade que o retorno do investimento em formatos tradicionais e conteúdos pouco relevantes (que não pensaram o cliente como centro da estratégia!) são cada vez menores.

A principal dica do Google e vários outros parceiros do segmento de mídia e conteúdo é: o anúncio deve ser sinônimo de criatividade.

Mas, por que? Porque existem milhares de marcas disputando a atenção e interesse do mesmo consumidor e o seu anúncio precisa se destacar.

Apenas animar imagens ou destacar o “preço à vista + frete grátis” em seu banner não são estratégias recomendadas se você quer se destacar da concorrência.

Ter uma metodologia de criação voltada para performance, com artes e peças apoiadas num processo de avaliação de dados, já é outra história. O segredo está em aliar essa metodologia e pensar no seu cliente primeiro, antes mesmo de pensar na estratégia de investimento.

Agora, se você se interessou por esses temas, tem algo a acrescentar, discordar, ou quer trocar uma ideia sobre algum deles, estou à disposição para para marcarmos um bate-papo!

Fontes:
administradores.com.br
exame.abril.com.br
nerdweb.com.br
www.go-agency.com
blog.keepi.media

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.