Acesso rápido

A tecnologia como protagonista do novo varejo

por Maurício Trezub Quarta-feira, 15 de março de 2017   Tempo de leitura: 6 minutos

Com o empoderamento de um novo consumidor, o millennial, vivenciamos de perto uma transformação na maneira de se executar o varejo (e-commerce ou não) no Brasil e no mundo. Podemos afirmar que já se iniciou uma reorganização do setor, dando origem a um novo mapa do varejo global.

O relatório da Deloitte, “Os Poderosos do Varejo Global – A arte e a ciência dos clientes” –, de 2015, mostra que nos próximos anos haverá importantes mudanças de cenários. O destaque é a Amazon, que figurou pela primeira vez no top 10 do ranking e que, com uma projeção sobre as suas taxas de crescimento, em cerca de apenas três anos, deve se tornar a segunda maior varejista do mundo, encostando no Walmart, líder há um bom tempo. A verdade é que quem tiver um novo olhar sobre como entregar produtos e serviços, por meio de experiências diferenciadas aos consumidores, sairá à frente.

Se antes algumas tecnologias eram consideradas futuristas, hoje passam a ser desenvolvidas e incorporadas pelo varejo de forma muito mais acessível e totalmente viável. A robótica, por exemplo, vem para a automação e chega mais barata e humanizada à operação do varejo, seja para a vigilância e monitoramento de estacionamentos ou, mesmo, atendimento prévio e personalizado aos clientes na entrada de uma loja, entre diversas outras aplicações.

Outra tecnologia emergente é a realidade virtual. Com preço baixo e adoção massificada pelo entretenimento, a ferramenta se torna uma estratégia transformadora, inclusive para os canais de e-commerce. O varejo alimentar europeu tem uma iniciativa de comércio eletrônico combinado à realidade virtual aumentada, que muda totalmente a experiência de compra.

O cliente acessa o portal de vendas online e, usando os óculos de dentro de casa, passeia pelos corredores do supermercado, como se estivesse em uma loja física, mas com a vantagem de ter inúmeras informações proporcionadas pelo sistema ao seu dispor, como receitas e até hábitos de consumo dos seus amigos. Finalizada a compra, o consumidor faz o pagamento e recebe os produtos em casa. Conclusão: uma experiência sensacional e sem atritos, com a aplicação prática do comércio digital, pelo uso de tecnologias transformadoras.

O e-commerce se consolidou como peça chave da transformação do varejo, agregando, cada vez maiores parcelas nas vendas totais. No mapa do varejo global, o comércio eletrônico representa 19,6% do varejo chinês, 18% do Reino Unido, 10% do americano e apenas 3,3% do brasileiro. Mesmo que em algumas categorias específicas no país (eletro, livros e informática), este percentual alcance 30%, existe uma grande janela de oportunidades para as empresas explorarem nas transações locais. A demanda já se preparou para comprar online –  falamos de consumidores milennials, totalmente conectados. Mas a oferta de muitos segmentos ainda está a muitos passos dessa realidade.

A tecnologia digital é fundamental para o varejista inovar a entrega da sua marca e, assim, proporcionar experiências novas e surpreendentes. O consumidor dita as regras sobre o que espera e cabe às empresas se transformarem para superar essa expectativa. Há uma nova lógica de consumo para os negócios e a tecnologia passa a ser protagonista e não mais peça complementar no processo de vendas.

A Uber, por exemplo, maior companhia de transporte privado do mundo, não possui carros, mas uma plataforma tecnológica. O Facebook, maior veículo de mídia, não cria conteúdo, mas disponibiliza uma ferramenta online. O Alibaba, maior serviço de vendas, não tem estoque e, mesmo assim, é uma gigante de comércio virtual. O Airbnb não comprou uma única cama e é o maior serviço de hospedagem do mundo.

A transformação do varejo global é palpável. A experiência nada menos do que sensacional é o que o consumidor espera e, de forma rápida, ele vai descartar das suas escolhas marcas que não realizem essa entrega.

Suportada por uma estratégia bem definida, a tecnologia é a única forma de atender a essas expectativas. Acertar no uso dessas ferramentas e plataformas é o que faz destes recursos os astros principais capazes de transformar o mercado e encantar o consumidor.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.