Acesso rápido

Supply chain, e-commerce e tecnologia: o que esperar nos próximos anos?

por Stefan Rehm Quinta-feira, 17 de janeiro de 2019   Tempo de leitura: 10 minutos

Tecnologia, globalização e conectividade: esses são apenas alguns termos que vêm mudando a gestão da cadeia de suprimentos nos últimos anos. Uma parte significativa dessa transformação está diretamente relacionada a popularização e consolidação dos e-commerces, que contribuíram em peso para transformar as operações da logística, cada vez mais rápidas e adaptáveis para suprir as demandas.

Nesse contexto, observa-se o aumento da competitividade e a soberania do consumidor. Dito isso, para se manterem relevantes, as empresas precisam apostar em inovação e investir na customização seus serviços. Um exemplo de uma iniciativa nesse sentido é a tecnologia de drones, conduzida pela gigante Amazon, que conseguiu realizar entregas superexpressas, em cerca de 30 minutos, ou estratégias que reflitam e se proponham a resolver problemas relacionados à logística urbana, como as cargo bikes da DHL.

Em um cenário de evolução contínua, é necessário manter-se atualizado frente às tendências, e aqui apontamos um caminho sobre os conceitos e novidades que gerentes de logística e de e-commerces devem se atentar, caso estejam dispostos a desenvolver mais profundamente as suas operações e acompanhar a evolução logística pelos próximos anos.

As demandas do e-commerce

O mercado do e-commerce evoluiu e amadureceu nos últimos anos no Brasil, conquistando um número de usuários ativos que já ultrapassa a marca dos 50 milhões. O consumo virtual ganhou a preferência de várias pessoas, e um dos motivos dessa preferência se dá graças à praticidade e ao conforto que esse segmento apresenta.

Entretanto, para vender mais, lojistas tiveram que se adaptar e buscar formas de aprimorar seus serviços e atender às expectativas dos clientes. Entre as demandas do e-commerce, destacamos:

Pedidos unitários

Uma característica de transações feitas em um e-commerce é que os pedidos são unitários. Se, muitas vezes, na gestão da cadeia de suprimentos tradicional, instituições trabalham com a movimentação esporádica de grandes volumes de carga — que geralmente ocupam um caminhão inteiro —, uma loja virtual lida com uma quantidade enorme de compras individuais de clientes distintos.

Maior índice no fracionamento de cargas

Como resultado dos pedidos unitários, um e-commerce raramente tem um número de entregas que justifique preencher um caminhão inteiro com suas mercadorias para serem enviadas ao mesmo tempo.

Pelo contrário, predomina a demanda por entregas pulverizadas, para diferentes regiões e endereços — e, consequentemente, com prazos e preços diferenciados. Para isso, o sistema de carga fracionada, no qual um cliente compartilha o espaço de um veículo e a rota com outras entregas, é o melhor custo-benefício.

Omnichannel

Apesar de toda a comodidade que o e-commerce oferece, o consumidor moderno quer ainda mais conveniência, o que exige soluções híbridas. Por isso, um dos maiores destaques é a necessidade de estar presente em múltiplos canais integrados, o que é amplamente conhecido como omnichannel.

Esse conceito fala sobre a integração entre lojas físicas e virtuais, proporcionando uma experiência mais completa para o cliente. Um exemplo de como isso funciona é o Click & Collect, no qual um usuário pode escolher e efetuar a compra online mas pode retirar e realizar o pagamento da sua encomenda em uma loja física próxima.

As tecnologias que devem causar disrupções na cadeia de suprimentos

O futuro da gestão da cadeia de suprimentos de um e-commerce está intimamente ligado à automação e aos avanços que a tecnologia viabiliza. As principais apostas que prometem romper barreiras no setor são:

Automação e robótica

A automação de processos e o uso de robôs da cadeia de suprimentos estão se tornando cada vez mais frequentes. Esses sistemas interconectados conseguem não somente cumprir tarefas em linhas de produção, como também posicionar e separar produtos, embalá-los, endereçá-los e deixá-los prontos para o transporte.

Internet das Coisas (IoT)

As siglas IoT (Internet of Things) e IIoT (Industrial Internet of Things) se referem à Internet das Coisas e à onipresença dessa tecnologia nas corporações. Em linhas gerais, esse recurso permite que diferentes dispositivos se comuniquem, potencializando a visibilidade e capacidade de toda a cadeia. Por exemplo, isso proporciona um melhor monitoramento da frota e de cargas à distância e maior precisão na gestão dos estoques.

Inteligência artificial

São muitas as aplicações da inteligência artificial nas operações de um e-commerce. Um exemplo são os chatbots, uma ferramenta que simula uma conversa humana e, assim, automatiza o atendimento ao cliente.

Com eles, a empresa ganha produtividade e oferece uma experiência de compra mais rápida para o usuário.

Caminhões autônomos

Caminhões que cumprem os trajetos sozinhos e dispensam a presença de motoristas já são uma realidade em alguns países. Como vantagem, a empresa consegue reduzir custos, elevar a produtividade das entregas e não depender tanto de mão de obra.

Uma técnica conhecida como platooning — em português, pode ser interpretada como “formar um pelotão” — coloca veículos para se deslocarem em comboio de forma sincronizada, via integração Veículo para Veículo (V2V). Os caminhões se movem de forma sincronizada, e como todo o sistema é pensado para reduzir o esforço de cada carro, o resultado é a diminuição com gastos de combustível.

Blockchain

Blockchain é uma tecnologia relacionada à governança e ao registro de dados cujos principais pilares são a transparência, segurança, descentralização e agilidade. Pode ser incorporado a diversos segmentos, viabilizando a otimização de processos e eliminação de erros e fraudes.

Na logística, as aplicabilidades da Blockchain são inúmeras, e tem crescido a cada ano, uma vez que é possível rastrear e compartilhar informações ao longo da cadeia e reforçar a fiscalização de cada etapa.

No caso dos processos de integração, como entre embarcadores e transportadoras, o tempo é reduzido drasticamente, em uma proporção onde um processo que levaria meses pode levar apenas alguns dias para ser concluído.

Isso traz benefícios para o monitoramento de rotas, precificação de produtos, acompanhamento de entregas, entre outros. Além disso, a redução de intervenção humana dentro dos processos, faz com que a possibilidade de erros e fraudes seja diminuta.

As possíveis consequências dessas transformações

Como vimos, são muitas as funções que diversas formas de inovação conferem para a gestão da cadeia de suprimentos em um e-commerce. Como prováveis resultados, temos:

Segurança nas transações

Quando as informações estão centralizadas em uma única base de dados, fica mais fácil encontrá-las. A própria Blockchain tem o intuito de garantir transações mais seguras com base na criptografia e rastreamento em cadeia.

Maior velocidade nos processos

A automação logística contribui no estabelecimento de um fluxo contínuo de atividades, uma vez que a empresa está totalmente interligada. Dessa maneira, é possível instituir um ciclo padronizado e linear de processos, sem erros e gargalos e, consequentemente, muito mais rápido.

Visibilidade em tempo real

Sistemas digitais concedem uma visão mais sistêmica de toda a cadeia, na qual cada etapa, ambiente, profissional ou recurso pode ser monitorado em tempo real e de qualquer lugar.

Aumento de produtividade e sustentabilidade

O uso da tecnologia promove a substituição de procedimentos lentos e a redução de burocracias, retrabalhos, excessos e erros. Isso colabora tanto para a economia de custos quanto para a sustentabilidade, por meio da redução de desperdício de materiais e gastos com combustível, por exemplo.

Inovação no mercado

A tecnologia, em essência, faz com que as operações logísticas fiquem mais inteligentes. Isso abre espaço para inovações de todos os tipos, capazes de potencializar o serviço e satisfazer as demandas dos consumidores.

Destaque para a economia colaborativa, que permite que usuários compartilhem suas rotas, seu tempo ou seus produtos e espaços com os outros envolvidos. Está a caminho do centro da cidade? Você pode oferecer uma carona ou fazer uma entrega para alguma pessoa.

Maximizar a gestão da cadeia de suprimentos é possível com o apoio da tecnologia. Ela propicia a incorporação de métodos ágeis e disruptivos, que colocam a logística em alta performance. Por isso, fique atento às tendências e alinhe sua empresa com o futuro, que já bate à porta.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.