Storytelling: seu produto conta uma história

Por Bruno Rodrigues Segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Embora há décadas o ato de contar histórias renda bilhões e bilhões de dólares às indústrias de cinema, TV e games, ainda existe bastante preconceito quando se tenta associar storytelling a conteúdo. A produto ou a serviço, então, nem se fala.

Storytelling, como diz o nome, é o esforço despendido para se contar bem uma história, torná-la sedutora e interessante. Na maioria das vezes, é tiro n’água. O motivo? Nenhuma metodologia é utilizada. Afinal, uma história se conta com a alma, não é?

Não. Uma história se conta com um roteiro em mente; quem a escuta é que deve sentir com o coração.

É exatamente como quando queremos convencer um cliente que está namorando um produto, seja um conteúdo vendável ou não: informação leva a convencimento, e convencimento leva a conversão. Há uma trajetória a seguir, e é essencial ter uma bússola em mãos. Ou seja, uma metodologia.

Para quem deseja trabalhar ainda melhor a venda de seu conteúdo – seja produto ou serviço – utilizando técnicas de storytelling, seguem alguns esclarecimentos e itens básicos da metodologia que costumo recomendar:

Esclarecimentos

O que é storytelling?

É apresentar uma informação lidando com os aspectos subjetivos que a envolvem e trabalhar a persuasão a partir do emocional, longe da lógica da objetividade.

Por que storytelling merece atenção?

A informação precisa capturar a atenção dos usuários de mídia digital, e trabalhar os aspectos subjetivos da mensagem é um imenso diferencial.

De que forma o stoytelling deve atuar?

Ao contar uma história, o estudo de uma informação (seja institucional, serviço ou produto) recai sobre como contá-la.

Metodologia

Ferramental

Como forma de webwriting, o storytelling deve focar no estilo. É a forma com que você apresentará seu conteúdo, seja produto ou serviço, que fará a diferença. Utilize as regras obrigatórias de SEO e usabilidade, mas vá além: apresente seu conteúdo de uma maneira que nenhum outro até então se dispôs.

Conheça a história de seu produto, investigue o processo de criação do serviço que está sendo oferecido. Há muitos aspectos que são desprezados no momento da definição de um conteúdo que vão muito além de características básicas, como modelo, tipo, aspectos técnicos, abrangência etc. Abordar estes aspectos aparentemente periféricos pode ser o motivo pelo qual um cliente fechará com você, e não com outro site.

Procedimento

Deve-se “abrir uma informação” para contar uma história. Qual momento da vida de seu produto ou serviço conta a melhor história? Toda história supõe prólogo, origem, apresentação, clímax, rotina e fim.

Como prólogo da sua história, você deve abordar as motivações que levaram à criação do produto e/ou à disponibilização do serviço. Mostre o porquê de os consumidores desejarem tanto que fosse oferecido o que ele está prestes a comprar. Como origem, cerque todo o processo de criação e fabricação, investigue o que há de mais moderno e curioso. O objetivo é mostrar o esforço despendido desde o momento em que o produto ou serviço foi pensado até a hora em que ele chega às mãos do consumidor.

Já como apresentação, aposte em preço e qualidade – e parta para a luta. Nesta etapa, muito não depende de você, mas a maneira com que o conteúdo é apresentado, seja em uma página especial ou comum de produto ou serviço de um site, o fundamental pode estar na mão do design e do uso da tecnologia (animação, vídeo, etc.). É matar ou morrer.

Como clímax, leia-se os benefícios. O que seu cliente vai ganhar no dia a dia ao adquirir o produto ou serviço? O clímax é ponto central entre os momentos de vida do conteúdo. Faça-o imaginar como será quando ele o adquirir. Conte, mostre, descreva. Seja didático e esclarecedor.

Como rotina, o que vale é o depois. Fale da garantia, do atendimento pós-venda, da facilidade de manutenção. Mostre como e onde ele pode resolver problemas, sejam canais físicos ou virtuais. Passe tranquilidade e segurança. Por último, como fim, mostre que aquele foi apenas… o início! Que existem outros produtos ou serviços da mesma marca, e aquele foi só o primeiro capítulo da ‘história’ que ela é capaz de contar.

Associação

Qual aspecto pode ser destacado em cada momento da vida de seu produto ou serviço? O que mais emociona, o que mais que mobiliza, o que mais transforma em cada uma destas etapas? Tente associar cada uma delas – prólogo, origem, apresentação, clímax, rotina e fim – a um dos aspectos da informação – o quê, onde, como, quando, por que, quem.

Talvez o maior impacto no ‘prólogo’ esteja no ‘porquê’ de um produto ter surgido. Ou, no momento da ‘origem’, o aspecto a abordar com mais força seja o ‘como’. O ‘quem’, o próprio cliente, pode ser o ponto principal do ‘clímax’ – ou não, quem sabe não é a própria marca? Tudo é possível.

Permanência

Contar uma boa história é tornar uma informação parte permanente da memória de quem a ouve. Por isso, tente fazê-la simplesmente inesquecível.

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

O projeto E-Commerce Brasil é mantido pelas empresas:

Hospedado por: Dialhost Transmissão de Webinars:

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.