Sociedade 5.0: os impactos positivos do avanço tecnológico

por Ana Carolina Sitta Terça-feira, 20 de abril de 2021   Tempo de leitura: 18 minutos

Para entender a importância e os impactos da sociedade 5.0, vamos iniciar este conteúdo com alguns dados do projeto Our World In Data, em que a projeção estima que, em  2050, 68% da população mundial viverá em áreas urbanas.

Com esse movimento, em média 2,5 bilhões de pessoas devem passar a viver nas cidades nas próximas três décadas.

Neste contexto, garantir a eficiência ambiental, social e econômica é um dos desafios.

Com o surgimento da Indústria 4.0, todos os setores da manufatura passaram a se beneficiar da automação, da digitalização e do uso de novas tecnologias que estão aumentando a produtividade e transformando as fábricas.

Contudo, muito além das vantagens, existem preocupações sobre consequências sociais potencialmente adversas.

O deslocamento de funções humanas pela automação e o aumento da disparidade e da distribuição desigual da riqueza são fatores que deixam dúvidas sobre o impacto da tecnologia digital na sociedade. Daí a importância da Sociedade 5.0.

Em um momento em que coisas, pessoas e dispositivos estão conectados, essa nova revolução social pode permitir que essas tecnologias atendam às necessidades das pessoas e do meio ambiente, garantindo conforto e qualidade de vida aos cidadãos.

Quer saber mais sobre esse conceito? Continue lendo o artigo!

O que é a sociedade 5.0

A Sociedade 5.0 pode ser definida como uma iniciativa que une o espaço físico (mundo real) e o ciberespaço, aproveitando ao máximo as TIC para a construção de uma estrutura social futura.

O objetivo é reunir uma série de iniciativas voltadas para a construção de uma sociedade superinteligente, um conceito a ser desenvolvido ao lado dos cidadãos e para o conforto deles.

Então, o que torna a Sociedade 5.0 diferente? 

Em vez de ter sistemas isolados operando dentro de um escopo limitado, como manter uma sala confortável com climatização adequada, fornecer energia ou garantir que os trens funcionem no horário, a Sociedade 5.0 terá sistemas que operam em toda a sociedade de forma integrada.

Afinal, para garantir felicidade e bem-estar às pessoas, não basta uma temperatura ambiente confortável. É preciso ter conforto em todos os aspectos da vida, incluindo:

  • energia;
  • transporte;
  • assistência médica;
  • compras;
  • educação;
  • trabalho;
  • lazer.

Para tanto, os sistemas devem reunir dados variados e volumosos do mundo real.

Esses dados devem ser processados ​​por sistemas de TI sofisticados, como a Inteligência Artificial. De tal modo, as informações geradas por esse processamento devem ser aplicadas no mundo real para tornar nossas vidas mais felizes e confortáveis.

Em resumo, a Sociedade 5.0 apresenta um ciclo iterativo no qual os dados são coletados, analisados ​​e, em seguida, convertidos em informações significativas, que são então aplicadas no mundo real.

Além disso, este ciclo opera em um nível de toda a sociedade.

Como a sociedade 5.0 surgiu?

Apresentado pela primeira vez na Alemanha, na Feira de Hannover ,em 2011, o conceito de Indústria 4.0 logo se tornou uma tendência que as empresas vêm adotando para orientar seu desenvolvimento e a modernização dos negócios.

Tendo como ponto de partida a Indústria 4.0, o Japão trouxe, em 2016, o conceito da Sociedade 5.0, baseada em tecnologia e centrada no ser humano.

A Sociedade 5.0 representa a quinta forma de sociedade na história humana. Cronologicamente, os demais períodos se destacam por outras formas de organização social. Veja só:

  • Sociedade 1.0: grupos de pessoas caçando e coletando em coexistência harmoniosa com a natureza;
  • Sociedade 2.0: grupos formadores baseados no cultivo agrícola, aumentando a organização e a construção da nação;
  • Sociedade 3.0: o principal foco se consistiu em promover a industrialização por meio da Revolução Industrial, tornando possível a produção em massa;
  • Sociedade 4.0: também conhecida como sociedade da informação, realiza o aumento do valor agregado conectando ativos intangíveis com redes de informação.

Por fim, a Sociedade 5.0 é construída sobre a Sociedade 4.0, visando uma estrutura social próspera centrada no ser humano.

O objetivo de contribuir para o bem-estar das pessoas certamente exigirá uma variedade de abordagens, e a Sociedade 5.0 é esse tipo de conceito amplo.

Sociedade 5.0: estrutura e funcionamento 

Também conhecida como a quinta revolução industrial, a Sociedade 5.0 gera uma série de mudanças repentinas na estrutura e na natureza da sociedade, como avanços na cultura, filosofia e tecnologia.

A Sociedade 5.0 combina a criatividade das pessoas com as tecnologias digitais visando estabelecer um modelo de desenvolvimento sustentável.

A Indústria 4.0 e a Sociedade 5.0 são conceitos que orientam uma mudança fundamental, mostrando como as economias podem ser estruturadas no futuro.

À medida que as indústrias e os governos integram tecnologias disruptivas, como Inteligência Artificial (IA), Internet das Coisas (IoT), robótica e Big Data nos processos de produção para fornecer bens e serviços, essa transformação da sociedade começa a acontecer.

Tecnologias disruptivas em uso na Sociedade 5.0

A seguir, mostramos como essas tecnologias são incorporadas na estrutura da Sociedade 5.0, proporcionando ganhos para as pessoas em três pilares fundamentais:

  • qualidade de vida;
  • inclusão;
  • sustentabilidade.
  • Inteligência Artificial (IA)

    Consiste na capacidade de sistemas e máquinas tomarem decisões de forma autônoma, sem a interferência humana. Na prática, outras tecnologias são associadas a IA, tais como:

    • Big Data: grande volume de dados disponíveis;
    • Analytics: análise e processamento desses dados;
    • Machine Learning: capacidade das máquinas aprenderem com os dados processados e as experiências adquiridas.

    Na medicina, por exemplo, a IA pode gerar redução de custos e do prazo necessário para elaborar um diagnóstico médico. Tudo isso é possível com base em exames, estudos, pesquisas e questionários usando todo o conhecimento da máquina.

    De outro modo, a IA pode conduzir atendimentos automatizados em sites, bem como fazer a análise de processos, reduzindo também o prazo de resposta.

    Internet das Coisas (IoT)

    Teoricamente, qualquer “coisa” pode ser conectada à Internet e trocar informações com sistemas e dispositivos. De eletrodomésticos a postes de luz e peças de um carro, tudo pode ser conectado com a IoT.

    Por exemplo, para tornar o tráfego das grandes cidades mais fluido, diminuindo o congestionamento, é possível usar IoT, Big Data e IA.

    Lanternas de veículos, luminárias e semáforos podem ser usados para otimizar a infraestrutura de transporte coletivo, transmitindo o posicionamento exato dos ônibus.

    Com o aprimoramento do sistema, além de diminuir o fluxo de veículos em um determinado horário, os usuários conseguem se programar antecipadamente, para evitar atrasos, por exemplo.

    A IoT também pode ser explorada na oferta dos serviços de saneamento.

    Com a instalação de sensores em toda a rede de água e esgoto, é possível monitorar o sistema a distância. Tal tecnologia permite observar e prever tendências de consumo, bem como corrigir problemas na rede com maior rapidez, evitando transtornos maiores.

    Cloud Computing 

    Com o armazenamento e processamento de dados em servidores remotos, a computação em nuvem garante a disponibilidade e a integridade dos dados. De tal modo, sistemas mais complexos podem ser executados com uma grande quantidade de dados processados em dispositivos pequenos e simples.

    Os serviços de computação em nuvem trazem uma série de vantagens, como:

    • Redução de custos com infraestrutura e softwares;
    • Economia do espaço em disco;
    • Centralização das informações;
    • Integração entre sistemas;
    • Trabalho remoto.

    Tudo isso viabiliza o crescimento da Internet das Coisas, essencial para o sucesso da Sociedade 5.0.

    Telemedicina

    Com o uso de ferramentas de comunicação remota, armazenamento e processamento de dados em nuvem e da Inteligência Artificial, a presença física de médicos e outros profissionais da saúde tende a ser substituída pela telemedicina.

    A Internet das Coisas deve proporcionar a construção de hospitais inteligentes, com dispositivos hospitalares e laboratoriais conectados, compartilhando informações importantes.

    Assim, os procedimentos e atendimentos poderão ser feitos remotamente, promovendo a inclusão das pessoas aos serviços essenciais de saúde.

    Robótica

    A robótica pode contribuir para diferentes setores, como fábricas, hospitais, entre outros.

    Dotados de Inteligência Artificial e machine learning, os robôs estão por todos os lugares na Sociedade 5.0.

    No chão de fábrica, eles passam a executar atividades de risco, reduzindo o número de acidentes de trabalho. Na saúde, os robôs-cirurgiões tornam alguns procedimentos mais eficazes e menos invasivos, garantindo a segurança dos pacientes e proporcionando uma recuperação mais tranquila.

    Sociedade 5.0: surgem as smart-cities, as cidades inteligentes

    Como conceito, a Sociedade 5.0 deve ser a estrutura para cidades inteligentes.

    A proposta é usar todas as tecnologias disruptivas que temos ao nosso alcance. Assim, será possível desenvolver, implantar e promover práticas e projetos de desenvolvimento sustentável, visando superar os desafios da urbanização.

    Case Japão: projeto de Sociedade 5.0 em construção

    No momento, a Sociedade 5.0 está em construção no Japão, que investe em diferentes iniciativas para resolver preocupações humanas usando recursos de ambientes com tecnologia avançada.

    O país está criando uma “sociedade superinteligente” para melhorar a saúde, mobilidade e infraestrutura para seus habitantes. O projeto será viabilizado a partir da adoção de novas tecnologias, como Inteligência Artificial (IA), robótica, Big Data e drones.

    O Japão está usando a Sociedade 5.0 para resolver problemas sociais com o suporte das ferramentas disruptivas. Os exemplos incluem:

    • corte de emissões de carbono com veículos sem motorista;
    • implantação de robôs para cuidar de idosos;
    • inserção de sensores para alertar profissionais da saúde sobre cuidados com o paciente, quando necessário.

    Essa é a revolução da Sociedade 5.0!

    Sociedade 5.0: desafios em pauta

    O avanço da Sociedade 5.0 exige atenção a diversos aspectos. As tecnologias estão disponíveis e o movimento de digitalização dos negócios já começou.

    Contudo, uma série de desafios estão em pauta na construção de uma sociedade inteligente, centrada no uso da tecnologia e no bem-estar das pessoas. Veja, a seguir, alguns deles:

    Evolução da mentalidade

    Ainda vemos uma mentalidade fortemente individualista na sociedade. Isso limita bastante o pensamento colaborativo característico da Sociedade 5.0 e o desenvolvimento de soluções que possam trazer benefícios reais em diversos setores.

    Muitas empresas continuam com o foco nos lucros, ignorando os fatores sociais. No entanto, esse mindset aos poucos está se modificando, e já vemos iniciativas interessantes.

    Envolvimento das lideranças

    Para tornar a evolução da Sociedade 5.0, é fundamental que o Estado acredite neste projeto, modernizando a gestão pública com a integração das tecnologias disruptivas e criando leis que considerem os seguintes pilares:

    • sustentabilidade;
    • inclusão;
    • qualidade de vida.

    Tecnologia pouco inclusiva

    Embora um dos pilares da Sociedade 5.0 seja a inclusão, vale observar que as tecnologias são programadas pelas pessoas e alimentadas com grandes quantidades de dados e textos relativos ao conhecimento produzido por elas.

    Por isso, a inteligência artificial acaba replicando, nas nuances da linguagem, as desigualdades sociais, o machismo e o racismo reproduzidos ao longo da história.

    Dessa maneira, um dos desafios é trabalhar para que as tecnologias não reproduzam ideias equivocadas, preconceitos e comportamentos inesperados.

    Fomento às iniciativas de digitalização

    Orientar o setor industrial para direcionar a transformação digital da melhor maneira possível é uma prioridade no atual contexto.

    Neste sentido, o Brasil tem uma iniciativa de destaque: o Programa Brasil Mais Produtivo, desenvolvido pelo governo federal em parceria com o Senai.

    O objetivo é prestar consultoria para pequenas e médias empresas no diagnóstico de pontos de melhoria que podem ser facilitados pela digitalização e lean manufacturing.

    As empresas precisam compreender que a transformação digital não precisa acontecer de maneira disruptiva. Ela pode ser feita gradualmente, sim, mas precisa começar logo. Afinal, o futuro é agora!

    Você recomendaria esse artigo para um amigo?

    Nunca

     

    Com certeza

    Deixe seu comentário

    0 comentários

    Comentários

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Comentando como Anônimo

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER