Acesso rápido

Sistemas de recomendação: como funcionam e como podem bombar suas vendas?

por Gustavo Chapchap Segunda-feira, 03 de dezembro de 2018   Tempo de leitura: 7 minutos

A era digital trouxe aos usuários a facilidade de encontrar, em poucos cliques, as mais diversas opções de produtos. Nesse caso, os sistemas de recomendação são muito importantes às lojas virtuais, pois permitem ao usuário ter mais comodidade na hora de fazer as suas escolhas.

O sistema de recomendação é um conjunto de técnicas computacionais. Ele faz uma filtragem das opções disponíveis aos consumidores e gera recomendações, baseado na análise de dados referentes ao comportamento do cliente.

Quer entender como utilizar esse recurso no seu e-commerce e saber como ele pode alavancar as suas vendas? Então acompanhe a leitura e aprenda tudo sobre essa poderosa ferramenta!

Como funciona?

Entender como funcionam os sistemas de recomendação na prática é bem simples. Basta lembrar da experiência em sites como YouTube, Netflix, Amazon e até mesmo em redes sociais, como o Facebook e o Instagram.

Todos eles geram recomendações baseadas no perfil do usuário. No caso da Amazon, são livros e demais produtos que esse marketplace comercializa; no Netflix, filmes e séries; no Facebook, amigos e páginas. E assim por diante dentro da realidade de cada exemplo citado.

E qual o objetivo de contar com um sistema como esse? As respostas são várias, mas a principal delas está na constante busca por oferecer soluções mais personalizadas. E, dessa forma, proporcionar uma experiência melhor para o usuário.

Por que vale a pena tê-lo em sua loja virtual?

Primeiro, é importante dizer que os sistemas de recomendação vão bem além do mero uso de uma aplicação tecnológica para tornar o seu site mais moderno. Quando escolhemos ferramentas desse tipo, o mais importante é a relevância que ela trará para a jornada de compra.

Nesse sentido, o sistema de recomendação é um excelente aliado para as lojas virtuais. Ele aumenta o poder de interação entre a marca e os clientes, possibilitando expandir o alcance dos principais indicadores da loja. Como por exemplo o tempo de permanência no site, a taxa de conversão e a melhoria do ROI (Retorno sobre o Investimento).

Um e-commerce trabalha com foco em uma persona, ou seja, aquele tipo de cliente tido como ideal. Ao mesmo tempo que isso torna o processo mais específico, é preciso aprofundar a experiência, para que ela se torne ainda mais personalizada.

Logo, o sistema de recomendação contribui de maneira ampla para gerar uma experiência diferente para cada pessoa — e sem deixar de lado o padrão de qualidade da sua marca. Pelo contrário, essa capacidade de apresentar soluções melhores só aumenta a qualidade do serviço prestado.

Outro grande benefício desse recurso é a capacidade que ele tem de eliminar dúvidas referentes à escolha dos produtos por parte do cliente. Ao otimizar as ofertas e exibir esse mix de forma espontânea, é apresentado um panorama mais relevante para o usuário. Isso faz com que ele tenha acessos às melhores oportunidades para o seu perfil.

Esse esforço tende a ser recompensado. Afinal, quando o cliente nota que a loja busca oferecer a melhor experiência, ele tende a fazer a compra e voltar mais vezes. O que é essencial para gerar vendas recorrentes e ter sucesso no processo de fidelização.

Cuidados nos sistemas de recomendação

Como toda ferramenta, o sistema de recomendação exige estudo e cuidados para sua aplicação ser bem-sucedida. Engana-se quem pensa que simplesmente inseri-lo sem uma estratégia trará um grande aumento de resultados no e-commerce.

Portanto, há diversos pontos que precisam de atenção na utilização desses sistemas. O principal está ligado ao fato de cada loja ter suas próprias características. Considerando esse aspecto, é preciso se basear na forma como outros e-commerces utilizam a ferramenta, mas nunca copiá-la.

Mesmo que haja similaridade de nicho, cada loja deve focar a sua própria experiência. Fique atento: o não entendimento desse ponto pode gerar problemas ao lojista na hora de usar um sistema de recomendação.

Por mais inteligentes que sejam os algoritmos, há algumas questões que eles não conseguem entender de imediato. Como aspectos culturais e questões de negociação — por exemplo, oferecer um produto similar e com maior margem de lucro para você. Lembre-se: o foco é o cliente.

Por isso, é essencial o papel do gestor na hora de acompanhar quais recomendações estão sendo geradas. É ele que valida as regras do sistema. Quer um exemplo prático? Imagine oferecer a camisa do Corinthians para um torcedor que está pesquisando itens do Palmeiras.

É claro que ambas entram no mesmo tipo de produto, “camisas de times de futebol”. Mas, na realidade, não há similaridade nenhuma entre os itens. E mais do que isso: uma oferta como essa pode ser considerada ofensiva pelo usuário.

Nesse tipo de situação será necessária a interferência do gestor para que não ocorra mais essa recomendação. Em resumo, o sistema automatiza o processo, mas o olhar humano especializado é imprescindível para garantir o melhor uso possível da ferramenta.

Como aumentar as vendas?

Conforme vimos, o uso dos sistemas de recomendação sob a supervisão do gestor ajuda a gerar as melhores ofertas ao usuário e favorece uma maior conversão. Mas é possível melhorar esses números?

Sim, porque além de utilizar os dados coletados sobre os produtos visualizados pelo cliente, um sistema de recomendação precisa trabalhar também com o que não foi clicado. Dessa forma, é possível mesclar entre itens que naturalmente geraram o interesse do usuário e outros que estão dentro do perfil dele, mas que ele ainda não visualizou.

Em relação aos produtos que você quer vender mais, como aqueles que estão com baixa saída, é possível inseri-los na estratégia de recomendação mesmo que o cliente não tenha demonstrado interesse inicial em comprá-los.

Não há como saber se o decepcionante número de vendas está relacionada ao baixo número de visitas. Tomando isso como base, aumentar a exposição desses produtos é uma alternativa válida para gerar mais vendas.

Por fim, é preciso estar atento à mudança contínua de comportamento dos consumidores. Um produto que despertou o seu interesse no mês passado pode não fazer sentido hoje.

Sabendo disso, é importante não ficar refém da inteligência artificial, e sim usá-la em uma estratégia mesclada. Aqui, é função do gestor definir as regras do negócio e, assim, atingir a alta performance.

Contar com um sistema de recomendação pode trazer grandes benefícios, desde que você saiba como tirar proveito dele. Usar este artigo para guiar suas ações é uma forma bem funcional de fazer isso. Use-o sempre que precisar tirar dúvidas e melhorar a forma de utilizar essa ferramenta em sua loja virtual.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

O projeto E-Commerce Brasil é mantido pelas empresas:

Oferecimento:
Hospedado por: Dialhost Transmissão de Webinars: Recrutamento & Seleção: Dialhost Métricas & Analytics: MetricasBoss

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.