Projeto mantido por:

Seu e-commerce está preparado para fazer SEO? Confira!

por Lucas Maranho Segunda-feira, 31 de janeiro de 2022   Tempo de leitura: 12 minutos

O marketing digital é uma área de conhecimento que vem ganhando proporções cada vez maiores nas empresas que anseiam por crescimento e inovação, e uma das estratégias mais eficientes nesse sentido é, sem dúvidas, o SEO.

A partir do descobrimento das possibilidades vindas de tal estratégia, cabe à equipe interna avaliar se este é ou não um investimento a ser feito na atual conjectura da empresa. Até porque, em casos de negócios mais conservadores, a ação pode representar um anseio um quanto ousado — e colocar a mão no fogo por uma aplicação tão importante pode significar pôr a conta em risco na gestão.

Por outro lado, o SEO pode ser um motivo influente no sucesso, e quando um gestor de e-commerce sugere ações internas, está compactuando com retornos generosos a longo prazo.

Aqui, trouxemos as munições necessárias para você utilizar nos debates internos da empresa e contribuir com as tomadas de decisões de modo assertivo quando o assunto for aplicar ou não recursos em tráfego orgânico.

Nesse sentido, a primeira dúvida é: vale a pena mesmo investir em SEO? Confira a seguir.

Por que investir em SEO?

Queda de tráfego, dependência desproporcional de um único canal e carência de backlinks são alguns dos sinais que você deve investir em SEO em seu e-commerce. Isso porque a otimização dos motores de busca oferece autonomia orgânica ao seu site e, consequentemente, ao seu negócio.

Em relação às vantagens, podemos destacar:

Mais visibilidade

Parece uma ideia trivial, mas a verdade é que de nada adianta ter um negócio e ele não ser visto — nem mesmo o produto com a maior qualidade do mercado sobreviveria. Por esta razão, o SEO pode ser uma ferramenta de atração eficaz para o inbound marketing. Afinal, traz pessoas qualificadas e com potencial de compra por meio do uso de palavras-chave oportunas, conteúdos adequados à intenção de busca da persona e estrutura otimizada.

Melhor posicionamento

Que todo mundo quer ser visto (e de preferência antes dos concorrentes), é fato. E ao realizarmos melhorias técnicas e de conteúdo dentro da página, verificamos as métricas do Analytics crescendo positivamente.

Com as métricas de comportamento e conversão positivas, o Google entende que seu site é bom e deve estar bem posicionado para mais pessoas chegarem até ele. Assim, as chances são maiores de seu domínio aparecer antes dos concorrentes e fortalecer seu posicionamento no mercado.

Mais vendas

Aparecer primeiro é uma boa tática para aumentar o número de visitas, mas há muitos critérios responsáveis por garantir a venda a partir do momento que o prospect entra no site.

Alguns exemplos são: velocidade de carregamento, navegabilidade, dados estruturados e, claro, conteúdo de qualidade (que envolve a criação imagens, vídeos e textos). Tudo isso recebe apoio sólido do SEO.

Em resumo, com o SEO buscamos autoridade e relevância, dois critérios importantes de ranqueamento. Tendo em vista as diversas razões para investir em tráfego orgânico, chegamos à conclusão de que vale a pena, sim, investir em suas boas práticas. O que importa é compreender o momento certo de agir.

Como saber o melhor momento para fazer SEO

Idealmente, SEO é uma estratégia que deve ser colocada em prática desde o nascimento do site. Portanto, quanto antes iniciar, melhor. Isso porque normalmente os resultados mais significativos aparecem a longo prazo, levando-nos à lógica de que quanto mais tarde for o “plantio”, mais tarde será a “colheita”.

Também podemos fazer uma analogia com a Teoria do Oceano Azul a qual incentiva a exploração de novos nichos de mercado para se esquivar da saturação de negócios e inovar para se sobressair entre a concorrência.

Adaptando a teoria a tal contexto, podemos ver que, em alguns segmentos, o SEO ainda se apresenta como uma inovação. Em outras palavras, você não precisa mudar seu nicho de atuação, mas se otimizar seu orgânico antes de seu concorrente direto — mesmo que ele tenha mais popularidade no mundo offline —, há grandes chances de seu e-commerce se sobressair no meio digital com as estratégias corretas.

Isso não traduz a hora certa de fazer SEO, muito embora ilustre sua importância. Mas, apesar de haver uma sede de dar início imediatamente, não há como desconsiderar o contexto real da maioria das pequenas e médias empresas: recursos limitados e falta de preparo, que podem interferir negativamente no andamento das ações.

Portanto, a resposta mais adequada para a dúvida de quando começar é: depende. Depende do seu orçamento disponível, do momento em que seu site se encontra, das necessidades prioritárias de investimento, entre outros fatores.

Para ajudar, preparei um checklist com as condições básicas que indicam o momento ideal de começar.

Checklist: critérios básicos para começar a fazer SEO

Visto que o momento mais adequado para apostar no posicionamento orgânico depende do nível de maturidade do e-commerce, trouxe um checklist com os elementos básicos necessários para iniciar as otimizações no timing mais propício:

Consiga apoio de desenvolvedor ou plataforma para otimizações técnicas

Se seu site já tem bom funcionamento, o passo seguinte é ter o apoio de um desenvolvedor ou uma plataforma que ofereça as otimizações técnicas necessárias. Esse critério é especialmente importante para garantir que as tarefas não tenham nenhum entrave de evolução. Consequentemente, que os resultados venham.

Alguns benefícios de ter um desenvolvedor são:

  • Suporte para alterações mais complexas no layout (filtro nos menus, por exemplo);
  • Direcionamento da modo mais adequado de adicionar dados estruturados e /ou qualquer alteração em tags não customizáveis no CMS;
  • Interpretação de problemas no servidor ou redirecionamentos com um olhar mais técnico;
  • Atuação mais que necessária em demandas sobre velocidade, especialmente em casos em que há necessidade de alterações mais complexas durante o código.

Desenvolva uma persona para sua marca

Fazer SEO vai muito além de trabalhar keywords do nicho, envolve também compreender seu público para solucionar seus problemas ao corresponder à sua intenção de busca.

Mais especificamente, ter conhecimento pleno da sua persona (buyer, audience, entre outros tipos) desbloqueia o “poder” de compreender as reais necessidades do seu comprador e interagir com suas intenções ao realizar buscas na internet.

Com essas informações, podemos atuar estrategicamente em ações que vão desde a definição da árvore de categorias do site até a escolha dos assuntos elementares do blog.

Consciência da Curva A do seus produtos

Para garantir um retorno financeiro satisfatório em seu negócio, vale empregar o método da curva ABC, desenvolvido com base no Princípio de Pareto — que foi desenvolvido pelo economista italiano Vilfredo Pareto.

A curva ABC permite que você direcione os seus esforços para as categorias e subcategorias que geram o maior impacto para a operação. Dessa forma, você consegue alocar recursos, estratégias e investimentos, seja no processo de vendas ou na gestão de estoque do seu negócio.

Os benefícios da utilização assertiva dessa metodologia são ímpares:

  • Otimização de estoque;
  • Previsão aprimorada;
  • Identificação de oportunidades;
  • Negociações informadas com fornecedores;
  • Alocação estratégica de recursos (Inclusive do SEO);
  • Melhor atendimento ao cliente;
  • Gerenciamento do ciclo de vida do produto;
  • Controle sobre itens de alto custo;
  • Despesas de armazenamento reduzidas;
  • Gerenciamento simplificado da cadeia de suprimentos.

Pés no chão

Por fim (e não menos importante), para iniciar um trabalho de SEO é necessário ter os pés no chão. O que quero dizer com isso é: você deve ter expectativas tangíveis e próximas à realidade.

O tráfego orgânico recebe esse nome especialmente por acontecer de maneira natural. Isso quer dizer que, ao investir em SEO, você não paga para receber tráfego — como acontece com o Ads —, mas sim pelas otimizações que serão feitas no site como um todo. Nesse sentido, otimizar implica oferecer mais qualidade ao usuário e ao crawler e, consequentemente, gerar mais tráfego qualificado. Assim mesmo, na ordem natural das coisas.

Portanto, entendemos que o pré-requisito mais importante (até mais do que os itens mencionados anteriormente) é ter uma vontade genuína de crescer. A resiliência deve fazer parte do repertório de todo empreendedor, ainda mais quando falamos de resultados a longo prazo.

E é com esse ponto que fechamos nosso guia. Com este material, você tem um embasamento para analisar se seu e-commerce está ou não preparado para fazer SEO. Se não estiver, considere o checklist que preparamos para colocar em prática o quanto antes!

Espero que esse conteúdo tenha ajudado de alguma forma, e que seu e-commerce tenha muito resultado daqui para frente. E se restou alguma dúvida sobre o assunto, temos vários webinars de SEO para complementar o entendimento, vale a pena o estudo!

Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!
Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica?
Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

1 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  1. Um questionamento que sempre me fiz:
    Quando eu tenho uma boa otimização de SEO no meu site, consequentemente eu melhoro o alcance orgânico, pensando assim é correta a questão de que “Um ótimo SEO resulta em menor investimento na Rede de Pesquisa?”

    Responder
CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER