Projeto mantido por:

Entenda as oportunidades para o setor de beleza no online

por Fellipe Guimarães Quarta-feira, 16 de março de 2022   Tempo de leitura: 7 minutos

Nos últimos anos, o segmento de cosméticos e beleza é um dos que mais crescme no Brasil, e grande parte desse crescimento se deu pelas inúmeras mudanças de comportamento de consumo das pessoas durante a pandemia somada à onda de transformação digital que aqueceu o varejo online nos últimos dois anos.

Quando falamos do setor de beleza, os hábitos das pessoas tiveram grande impacto no aumento das vendas causado pelo Efeito Batom, caracterizado pela maior procura por produtos cosméticos em momentos de crise, em busca por autoindulgência. As pessoas passaram a ter uma relação diferente com seus corpos, saúde e bem-estar, o que provocou o aumento na procura por produtos de cuidado pessoal, cosméticos e perfumaria.

De acordo com a ABIHPEC, em 2020, o setor de beleza obteve um crescimento real de 2,2% no PIB do país, e as transações online tiveram boa representatividade nesse número. Segundo dados a ABComm, as transações online no primeiro semestre de 2020 registraram alta de 107,4%.

Com a rápida ascensão da tecnologia, em 2022, a promessa é de que o setor de beleza envolva cada vez mais o ambiente digital. Por isso, neste artigo, vamos falar um pouco sobre as oportunidades para o setor no varejo online.

Experiências inovadoras no e-commerce de Beauty

Sendo um setor sensorial, a transição para as vendas no ambiente virtual foi um desafio para muitos players do segmento, já que muitos dos produtos dependem da experimentação e do testes de fragrâncias, tons e textura.

A solução que muitas marcas encontraram foi a implementação do conceito “Try Before You Open”, com o envio de amostras para os clientes junto a suas compras para que o contato sensorial com o produto aconteça antes do rompimento do lacre.

Para os produtos de maquiagem, a solução pode ser a implementação de um provador online, que funciona como um espelho virtual para auxiliar na escolha dos tons certos. Grandes marcas como Grupo L’Oréal e Sephora já utilizam essa estratégia focada na experiência do usuário, inclusive em algumas de suas lojas online.

Essas experiências que buscam uma maior contato do cliente com o produto são uma forma de evitar o descontentamento do cliente e tentar deixá-lo mais confortável em comprar produtos de beleza sem erro.

Marketing de influência como aliado

Além da experimentação do produto, os consumidores se apegam a recomendações de amigos e influenciadores digitais para realizar suas compras, o que mostra que a atração por meio de conteúdo educativo é importante para a estratégia de vendas online.

Dessa forma, contar com influenciadores digitais para promover conversas sobre assuntos relacionados a autoestima e autocuidado, testagem de produtos e modos de usar no estilo “Faça você mesmo” são formas de manter dialogo com seu público e estabelecer um relacionamento mais concreto com a marca.

O live commerce também pode ser uma ferramenta muito forte para sua estratégia de vendas, uma vez que engaja e melhora a conversão do e-commerce através de promoções exclusivas ou com parceria com influenciadores que podem trazer sua própria audiência e aumentar o alcance da sua marca.

Credibilidade de grandes nomes do varejo

Essa é a estratégia mais utilizada quando o assunto é marketplace, pois consiste em vender produtos em canais terceiros e mais consolidados no varejo, pela facilidade de implantação da estratégia que, apesar de precisar seguir regras estabelecidas pelo marketplace, ainda traz muitas vantagens ao lojista.

Entre as vantagens está a isenção de investimento em tecnologia, uma vez que o lojista utiliza a estrutura de outro site. Além disso, a visibilidade no canal é maior se comparado com um e-commerce, por exemplo, pois os investimentos com mídia, anúncios e marketing em geral tendem a ser maiores favorecendo o lojista, mesmo com a concorrência acirrada.

Para integrar essa estratégia ao seu negócio, é preciso pesquisar sobre o público dos marketplaces para o qual você gostaria de estar vendendo, para evitar baixas conversões por não atender às necessidades do público daquele canal. Também é necessário se atentar às taxas e condições para atuar nos marketplaces.

É possível dizer que a pandemia acelerou uma tendência de digitalização no segmento de beleza. As expectativas são de que as vendas mundiais de produtos de saúde, beleza e cuidados pessoais deverão registrar, globalmente, um aumento de R$305 bilhões entre 2021 e 2026, alcançando R$1,34 bilhão, segundo relatório da Edge by Ascential. Para acompanhar as evoluções nos hábitos de consumo, as marcas do segmento de beleza precisam adaptar suas estratégias para um cenário multicanal e mobilizar os pontos de contatos digitais para que o cliente se sinta cada vez mais confortável para comprar.

Leia também: Beleza e cosméticos: um mercado 24×7

 

Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!
Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica?
Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER