Acesso rápido

Se o Papai Noel tivesse um e-commerce no Brasil

por Mauro Tschiedel Terça-feira, 26 de abril de 2016

O Papai Noel era um cara gente boa e seu sonho era um sistema de doação de presentes não presencial (e-commerce por meio de cartas). A estratégia era divulgar para o mundo todo que daria presentes para quem enviasse uma cartinha. Em pouco tempo ele se tornou o maior distribuidor de sonhos de todo o planeta. Mas o seu negócio ficou grande, suas renas estão cansadas e os defensores dos animais, estavam de olho.

Assim, as cartinhas começaram a chegar atrasadas, em cima da hora. A fábrica não conseguia produzir os presentes, os duendes estão estressados, as crianças estão tristes. Você precisa de mais renas voadoras. Após várias horas pensando, chega a conclusão. Vou contratar uma empresa de logística para trazer as cartinhas e para entregar os presentes e vou para praia.

O primeiro país que o Papai Noel instalou o novo modelo foi no Brasil, que equívoco.

Ele começa a receber as cartas das crianças, logo nas primeiras, chegam com os cantos amassados, algumas molhadas, rasgadas, prazo vencido, etc, Mas pensa, consigo ler, vai dar certo.

Na sua primeira entrega ao Rio de Janeiro, foi postada dia 11 de Fevereiro, com previsão de chegada no dia 01 de Março.  Não chegou e ele começa ficar nervoso. No dia 02 de Março ele liga para o 0800 e abre uma reclamação, pedindo agilidade. Alguns dias depois liga para o ‘gerente’ da empresa de logística, e obtém a resposta abaixo no dia 24 de Março. Após 22 dias de atraso, ler isto é para desistir do mundo.

artigo_mauri_correio

Gerentes do meu Brasil, isto se diz a um cliente? Está no Pallet?  A falta de senso para lidar com clientes, falta de treinamento, falta de vontade, etc, seja o motivo que for, não consigo achar uma explicação. O mais triste é não ter para quem recorrer.

Se tu fosse o papai noel, como iria resolver este problema? O mais tenso é pensar que isto irá piorar, teremos mais problemas com os correios devido às investigações que em algum momento vão chegar lá. Se agora está ruim, imaginem amanhã ou depois.

Mas existem alternativas com cobertura nacional? Liguei dias atras para a empresa do “Wilson – do filme O Naufrago”, e estou a 10 dias esperando o retorno da área comercial.

Temos que pensar em alternativas logísticas consistentes, de cobertura nacional e de qualidade. Pequenos e-commerces não poderão ter frota própria e os grandes terão seus meios de fazer cumprir os termos do contrato, mas qualidade não se faz com contratos.

Espero que na próxima investida, o papai noel consiga ter sucesso em substituir as renas por uma ou mais empresas de logística e ter a entrega feita com sucesso.

O Fato:
– Foi enviada outra carga para o cliente, e também parou no mesmo ‘pallet’, e não foi entregue.
– Efetuei a devolução do dinheiro ao cliente;
– Não tenho as duas entregas de volta depois de mais de 60 dias.
– A entrega que voltou, veio faltando R$ 600,00 e os correios não viram que faltou 9kg na embalagem.

Sugestão:
– Crie uma empresa de logística.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.