Acesso rápido

Relacionamento com o consumidor é chave para o sucesso do seu e-commerce

por João Paulo Arraes Quarta-feira, 01 de junho de 2016

O consumidor é a peça mais importante dentro do processo de consumo. Afinal, o objetivo – puro e simples do comércio – seja físico ou virtual -, é vender e obter lucro. Para que isso seja possível, é preciso que alguém compre e consuma. Esse alguém é, obviamente, o consumidor.

Há muitos anos, essa “crença” seria uma completa heresia, pois o mercado considerava os consumidores indivíduos apáticos e simplórios, que comiam o que lhes dessem, vestiam qualquer coisa, dirigiam carros ruins, pagavam por isso e sentiam-se satisfeitos. Mas com o boom da informação, esse consumidor empoderou-se, tomou consciência de seus direitos e hoje, em boa parte dos casos, é quem dita as regras.

Apesar disso, há quem duvide e ainda lide com seus clientes como quem estivesse fazendo algum tipo de favor. No cenário atual, atitudes desse tipo podem destinar qualquer empresa ao fracasso.

Portanto, o empreendedor virtual – que não conta com o fator proximidade – precisa urgentemente tomar consciência da importância deste indivíduo, colocá-lo como prioridade, no centro de todas as estratégias de seu e-commerce para sempre refinar suas experiências e fidelizá-lo.

Isto surge do conceito de “Costumer Centricity” (consumidor no centro), um estratégia de marketing que vem se difundindo cada vez mais nas empresas e, mais recentemente, no e-commerce.

Neste conceito, o “atendimento ao consumidor” transforma-se em “relacionamento”, ou seja, passa-se a construir uma relação, estar em contato constantemente, trocando informações e ideias que melhorem, de fato, sua experiência de compra.

Um dos meios de se fazer isso é através de pesquisas de opinião. Liste todas as dúvidas que você tem em relação ao seus consumidores, elabore um questionário online, divulgue por meio do e-mail marketing e não se esqueça de dar algo em troca ao cliente que participar, como um cupom ou código de desconto.

Outro modo de começar a transformar a relação de um e-commerce com seus consumidores é atendê-los em suas demandas. Muitos clientes usam as redes sociais para comunicar seus problemas com as lojas/marcas que consomem. Um dos motivos pelos quais isso acontece é porque a empresa deixa de ser eficiente nos outros canais de contato que disponibiliza. Sendo assim, o mínimo que a loja pode fazer é responder o cliente, desculpar-se pelo ocorrido e conversar privadamente pelo chat ou pedir seus dados pessoais e entrar em contato via e-mail ou telefone. Caso não seja possível resolver o problema da forma como o consumidor deseja, o ideal é que a empresa ofereça outras possibilidades compatíveis, oferecendo um bom e real desconto, dando ao consumidor a opção de escolher outro produto ou até mesmo ter seu dinheiro de volta. Em qualquer um dos casos, é importante sempre assumir o equívoco e desculpar-se.

Neste contexto, vale ressaltar também a importância do tempo para a criação do relacionamento com o consumidor. Algumas lojas não têm essa consciência e logo que conseguem captar o e-mail do cliente, passam a lotar sua caixa de entrada com e-mails promocionais e ofertas, sem nem pensar em “apresentar-se”, agradecer o cliente pela confiança, mostrar a ele os valores da empresa, etc. Este processo prévio à venda propriamente dita é muito importante, afinal a loja e o indivíduo ainda não se conhecem e, para criar, um relacionamento saudável (e rentável) é preciso que o façam e a iniciativa deve partir, preferencialmente, da loja – já que é ela quem deseja obter algo do cliente, captá-lo e, mais tarde, fidelizá-lo.

A ideia pode parecer um tanto quanto abstrata e, por isso, exige reflexão e entendimento por parte do lojista ou do responsável pela parte de comunicação e marketing da loja. Caso a empresa não disponha de pessoal especializado internamente, a solução pode ser contratar uma agência de marketing ou comunicação digital. Nesse caso, é preciso expor os problemas (preciso conhecer meu cliente, quero encantá-lo e fidelizá-lo, etc.) e as expectativas (desejo fazer isso o mais rápido possível, posso investir x reais, etc.). Assim, a empresa saberá qual seu ponto de partida, onde precisa chegar e poderá começar a criar as estratégias para isso.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.