4 dicas para reduzir os custos do frete na loja virtual

por Lucimara Leandro Segunda-feira, 26 de julho de 2021   Tempo de leitura: 10 minutos

As projeções para o e-commerce brasileiro em 2021 são bastante promissoras. Segundo levantamento de um órgão especializado, o crescimento anual do setor pode chegar a 26% com um faturamento estimado em R$ 110 bilhões. No entanto, os gastos com fretes de uma loja online são um obstáculo para a maioria dos lojistas, já que podem representar até 65,9% das despesas logísticas de um negócio.

Imagem de uma calculadora apoiada em uma caixa de papelão
Gastos com fretes de uma loja virtual podem representar até 65,9% das despesas logísticas do negócio.

Por isso, reduzir os custos do frete e apostar em soluções capazes de otimizar a logística como um todo (do abastecimento do estoque até a entrega para o consumidor final) é uma estratégia certeira para empreendedores interessados em aproveitar as novas oportunidades do setor. A seguir, confira quatro dicas para diminuir os custos com o frete na loja virtual.

O primeiro passo para reduzir os custos do frete é conhecer o negócio

Antes de aplicar qualquer estratégia para reduzir os custos do frete é preciso fazer um levantamento dos gastos mensais com o serviço e conhecer a fundo as demandas internas do e-commerce. Ferramentas de gestão de transporte e monitoramento de frete podem ajudar muito nessa etapa de coleta de informações.

Além de identificar os custos operacionais, por meio dessas soluções é possível conhecer a localização geográfica dos clientes. Isso acaba facilitando o mapeamento das rotas e, consequentemente, serve de base para planejar ações mais eficientes para otimizar o transporte das encomendas. Os softwares também permitem verificar quais são os serviços mais utilizados pelos consumidores: as transportadoras mais usadas; preferência por frete expresso ou convencional; entre outros.

Com esses dados, será possível fazer os cortes necessários para diminuir o valor do frete, reajustar metas e tomar decisões mais assertivas, sem prejudicar a qualidade dos serviços prestados.

Agora, se a loja virtual estiver na fase inicial ou se o orçamento estiver curto para investir em soluções mais completas de gestão e monitoramento, o ideal é começar com ferramentas mais simples, como o uso de planilhas para controlar os gastos com o frete. Independente do tamanho do e-commerce, conhecer o histórico de fretes é fundamental para um bom planejamento logístico e para manter o fluxo de vendas constante.

Ao longo desse levantamento, vale observar para quais regiões é possível oferecer um frete mais barato. Dessa forma, o lojista pode reforçar ações de marketing para clientes dessas localizações, aumentando as chances de conquistar o público com preços atrativos nas entregas.

Alternativas de frete

Depois de conhecer um pouco mais sobre a estrutura e processos logísticos da sua loja virtual é hora partir para a prática. Sabemos que o custo do frete no Brasil é muito alto, podendo ser até mais caro que o preço do produto em si, e isso acaba desestimulando o cliente a finalizar a compra, gerando situações como o abandono de carrinho.

Portanto, oferecer diferentes alternativas de fretes é uma forma atrativa de estimular o consumidor a finalizar a compra. A seguir, confira três opções que podem ser vantajosas:

Frete econômico

Como o nome já diz, essa opção de frete custa menos que as demais. Em contrapartida, o tempo de entrega costuma ser mais demorado. Mas como alguns clientes não se importam de esperar mais para receber o produto, o frete econômico pode ser uma ótima opção custo-benefício para esse perfil específico de consumidores.

Frete expresso

O preço dessa modalidade de frete é um pouco mais cara que o econômico, porém a entrega chega mais rápido. Nesse sentido, o frete expresso é uma boa opção para clientes mais apressados, que topam arcar com um custo maior para ter o produto entregue em menos tempo.

Frete grátis

O frete gratuito pode ser usado para alavancar as vendas e ainda auxilia nas estratégias de fidelização do cliente. Mas antes de oferecer essa modalidade de frete é preciso saber quando é viável disponibilizar a entrega gratuita. Afinal, uma ação promocional mal elaborada pode acabar gerando prejuízos.

Terceirizar o serviço de entrega

Apesar de a frota própria permitir mais autonomia e personalização do serviço, já que é possível, por exemplo, fazer a plotagem dos veículos, o investimento costuma ser bastante elevado. Afinal, será preciso cuidar de detalhes operacionais como a manutenção dos carros, documentos, multas, treinamentos de motoristas, definição de rotas e muito mais. Resumindo, investir em uma frota própria além de caro, é trabalhoso.

Uma alternativa interessante para reduzir custos, otimizar o tempo e prestar um serviço eficiente é terceirizar a frota inteira ou parte dela. Neste caso, cabe avaliar qual é a melhor opção para o seu e-commerce.

Firmar parcerias com transportadoras, além de proporcionar mais opções de fretes para os clientes, ainda traz o bônus de permitir que o gestor de frotas cuide de outros pontos do negócio, como desenvolver estratégias para melhorar a produtividade e amenizar os desafios logísticos.

O lojista pode entrar em contato diretamente com a empresa que deseja contratar para terceirizar as entregas. Porém uma maneira simples para firmar tais parcerias é usando plataformas de intermediação de fretes. Por meio dessas ferramentas é possível fazer cálculos de fretes e prazos de envio em diferentes transportadoras. Além disso, algumas plataformas não exigem contratos e nem cobram mensalidades, assim o lojista ou o cliente só irão pagar pelos fretes contratados.

Modelos de negócio omnichannel e pontos de retirada

Apostar em um modelo de loja omnichannel pode ser uma vantagem competitiva para negócios B2C (Business-to-consumer). Além, é claro, de ajudar a reduzir os custos com o envio dos produtos.

Basicamente, o e-commerce omnichannel (multicanal) é aquele que mescla o offline com o online, ou seja, o consumidor pode comprar na loja virtual e retirar o produto em uma loja física. Ou fazer o caminho contrário, comprar na loja física e solicitar a entrega na residência. Inclusive, grandes players do varejo já adotam o modelo de lojas multicanal para atingir diferentes perfis de clientes.

Para e-commerces que não possuem lojas físicas uma alternativa mais econômica é oferecer pontos para retirada da mercadoria. Existem diversas empresas especializadas nesse tipo de serviço, que ficam responsáveis por armazenar os produtos até o dia em que o cliente for ao local fazer a retirada. Também é possível firmar parcerias com outros estabelecimentos. Nestes casos, o lojista envia a mercadoria para a loja parceira e o cliente vai buscar o item no endereço informado.

Smart lockers

Outra solução é usar os smart lockers ou armários inteligentes. Para concluir a entrega do produto, o lojista deixa a encomenda em um smart locker e fornece ao cliente uma senha para abrir a porta do armário. Os lockers são opções simples e eficientes para otimizar as entregas e reduzir custos com frete.

Uma das principais vantagens de utilizar os pontos de retirada é que não é necessário manter a estrutura de uma loja física, nem contratar funcionários. E ainda tem o bônus de diminuir os custos logísticos da entrega.

Embora ainda represente um desafio para empreendedores do e-commerce, o frete da loja virtual pode funcionar como um forte ponto competitivo no setor. O segredo, como deu para perceber, está em encontrar as melhores estratégias logísticas de acordo com as necessidades do seu negócio.

Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!
Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica?
Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER