Quantos e-commerces existem por aí?

por Ashwini Murthy Segunda-feira, 06 de novembro de 2017   Tempo de leitura: 16 minutos

“Quantas empresas de e-commerce existem por aí? Qual é o tamanho do mercado global de comércio eletrônico?”

Se você estivesse pesquisando sobre o tamanho do mercado de comércio eletrônico para fazer investimentos ou mesmo encontrar perspectivas do comércio eletrônico, ficaria confuso com essas questões.

O comércio eletrônico não é uma coisa homogênea. Existem varejistas com alguma presença no virtual. Existem empresas de comércio eletrônico e existem vendedores de marketplace, que vendem na Amazon, eBay, Lazada, Mercado Livre etc.

E também existem milhares de empresas que usam os carrinhos de compras, mas não vendem nada que os qualifique para ser uma empresa verdadeiramente de comércio eletrônico – como um consultor de gerenciamento aposentado que criou alguns modelos de gestão e implementou em algum site Magento para vendê-los on-line!

Nota de rodapé: Existem muitas opções móveis para estimar o tamanho do mercado de comércio eletrônico e isso não é trivial.

Abordaremos estas complexidades para você neste texto.

Como estimamos o número de empresas de comércio eletrônico?

Nosso banco de dados rastreia cerca de 750 mil empresas de comércio eletrônico, examinando várias fontes. Construímos nossos próprios modelos de processamento de linguagem natural e de modelos de machine learning para entender o que cada empresa faz e agregar os insights inteiramente.

Nós nos associamos com o mercado de capital e os provedores de dados firmográficos das empresas para obter receita corporativa (o que é diferente da receita da web), e outras informações desse tipo. O resto – dados de uso de tecnologia, insights de satisfação, idéias de SKU -, é todo construído por nós, usando uma combinação de tecnologia e revisão humana.

Vamos fazer comentários sobre a metodologia que usamos, à medida que avançarmos no texto.

Então, quantas empresas de comércio eletrônico existem por aí?

  1. Na nossa estimativa, existem entre dois e três milhões de empresas de comércio eletrônico no mundo (excluindo a China);
  2. A América do Norte (EUA e Canadá) tem cerca de 1,3 milhão de empresas de comércio eletrônico,
  3. As empresas que apenas utilizam o comércio eletrônico (Pure-Play) em todo o mundo são menos de 100 mil.O que significa que o e-commerce, por padrão, é omnichannel. Lojas pure-play são uma exceção. Você pode pensar de outra forma, porque o comércio eletrônico como uma categoria tornou-se visível por causa de empresas pioneiras como Amazon e eBay, mas o varejo é tão grande que, uma vez que começaram a ver o comércio eletrônico como algo sério, os lojistas online começaram a superar os números do pure-play numa magnitude nunca vista antes (sim, estamos usando “ordem de magnitude” em um sentido matemático).

Mas você deve estar se perguntando se estamos certos.  Afinal, basta olhar para o BuiltWith e eles afirmam que 300 mil sites usam o Shopify. Da mesma forma, se você olhar para o Magento, existem 500 mil sites que usam a plataforma, também segundo o BuiltWith.

Então, é justo dizer que cerca de 40% dos sites mundiais de comércio eletrônico são hospedados nessas duas plataformas? Nós não pensamos assim. Ou, por outro lado, se elas empoderam cerca de 10% dos sites que fazem comércio, então as empresas globais de comércio eletrônico contam 8 milhões? Definitivamente, não!

Metodologia é importante

Ferramentas como o Builtwith consideram a “presença de fragmentos de código” como um critério de qualificação para decidir se uma empresa está no comércio eletrônico. A presença de um carrinho de compras nem sempre é um bom indicador da atividade de comércio eletrônico – especialmente se você está considerando prospectar ou investir.

Se você ignorar as centenas de milhares (não exagerando!) de sites irrelevantes (duvidosos, spam de língua chinesa e russa, vendedores de produtos digitais, cujo principal negócio não é vender on-line, sites que pertencem a uma única entidade corporativa), estimamos que as top quatro ou cinco plataformas de e-commerce possuem cerca de 30 % a 40% do total de sites de comércio eletrônico.

Vale a pena notar que incluímos sites adultos na estimativa, já que vários deles usam tecnologia, inventário de propaganda e tecnologia de pagamento. Alguns deles embarcam brinquedos para adultos e, portanto, são relevantes para as empresas de fulfillment.

No varejo online, há uma desenfreada classificação incorreta de sites com base nos itens que eles vendem (“categorias de merchandising” como as chamamos). Isso ocorre porque a maioria dos provedores de dados classificou as empresas de e-commerce como um subconjunto no varejo e forçou-as a categorias que se enquadram nos códigos SIC ou NAICS (são duas padronizações para classificar empresas).

Além disso, o processo tradicionalmente tem sido manual, levando a interpretações ou às vezes à inadequação da pessoa que os marca.

Criamos um dicionário de itens variados para descobrir os itens vendidos em cada empresa de comércio eletrônico e classificá-los em categorias de mercadorias lógicas. Então, se dissermos que uma empresa pertence a categorias “Moda”, ela definitivamente pertencerá a essa categoria.

Quantas empresas de e-commerce existem nos EUA?

Cerca de 1,3 milhão, como dissemos no início. Mas apenas meio milhão delas importa.

Existem cerca de 660 mil empresas de comércio eletrônico com receitas on-line  abaixo de US$ 1 milhão provenientes de vendas na web.  Apenas 13% têm mais de  US$ 1 milhão em faturamento online. No entanto, não seremos rápidos em descartar essas empresas como insignificantes. Vários grandes varejistas nacionais e regionais estão configurando a presença do comércio eletrônico e os vemos cair no segmento de vendas da web do “menos de um milhão de dólares”.

Nos próximos anos, uma fatia significativa desse grupo “omnichannel com baixa contribuição on-line” se formará para os níveis mais altos de receita. Seus padrões de gastos atuais refletem os números da entidade corporativa (derivada principalmente da receita das lojas físicas) e, portanto, se você está planejando suas estratégias de “Go to Market” como um fornecedor, mantenha esses dados em perspectiva.

Como a receita de comércio eletrônico dos EUA se compara à receita de varejo dos EUA?

As vendas de varejo dos EUA em 2016 foram de cerca de US$ 4,8 trilhões. Se a taxa de crescimento continuar, será mais de US$ 5,3 trilhões em 2017. Globalmente, as vendas no varejo em 2016 foram estimadas em US$ 22 trilhões. Os EUA são 22% das vendas no varejo globais. Esta estimativa exclui viagens, restaurantes e ingressos para eventos.

Vendas de varejo globais vs. Vendas no varejo dos EUA

Global e-commerce sales vs. US e-commerce sales

Um pequeno passo para o comércio eletrônico, um salto gigante para o varejo dos EUA

O e-commerce representa 11,7% do varejo – que é de aproximadamente US$ 394 bilhões nos EUA para o ano de 2016. Em 2015, era 342 bilhões (ou cerca de 10,8% do tamanho de varejo dos EUA).

Apenas um aumento de 1%, certo? Esse 1% representa um aumento de quase US$ 50 bilhões nas vendas de comércio eletrônico em apenas um ano. Quantas indústrias conhecemos que tiveram US$50 bilhões em gastos se movem de um canal para outro em apenas um ano?

(Nota: retirando itens que geralmente não são comprados on-line, como combustível, automóveis e vendas em restaurantes e bares, o total de vendas no varejo dos EUA totalizou US$ 3,3 trilhões em 2016. O comércio eletrônico é de 11,7%, ou seja, US$ 394 bilhões nesse cenário)

Entrando na Amazon

O principal motivo para a mudança é a Amazon. Vamos deixar essa informação ser absorvida por um momento: se amanhã as autoridades proibirem as vendas on-line nos EUA, nada acontecerá. As pessoas vão felizes comprar no Walmart e no Kmart. Os EUA não pararão de funcionar.

O comércio eletrônico, mesmo nos EUA, pode ser considerado pequeno e incipiente. É como o famoso argumento de vitamina ou analgésico – você não precisa “de vitaminas”. Mas, se você tiver dor, você precisa de analgésicos. O varejo é o analgésico. O comércio eletrônico é a vitamina.

Foi apenas uma jogada de gênio de execução da Amazon que cirou uma indústria de US$ 400 bilhões (US$ 394 bilhões para ser específica) nos Estados Unidos sozinho!

Quantos marketplaces existem?

Mantivemos os marketplaces fora da conversa por um tempo. Como eles estão indo? Quão grandes são eles? No futuro, o comércio eletrônico será dominado pelos marketplaces.

Olhe para a China e os EUA – duas das maiores economias do mundo. Em cada um deles, o e-commerce é de propriedade dos marketplaces. Na verdade, das 250 empresas privadas com avaliação de mais de US$ 1 em todo o mundo, de 35 a 40 são de comércio eletrônico (se você incluir marcas de roupas e acessórios com presença on-line). Destes, cerca de 30 são marketplaces.

Então, se você estiver no varejo virtual americano e quiser ser uma empresa de US$ 1 bilhão de dólares, você precisa ser um marketplace.  Vejamos a gigante Amazon:

  1. 37% dos US$ 394 bilhões foram para Amazon sozinhos.Isso equivale a US$ 147 bilhões. Os US$ 112 bilhões que a Amazon vendeu produtos em 2015 ajudaram a registrar um aumento de US$ 35 bilhões em um ano!
  2. Lembra-se de como as vendas de comércio eletrônico nos EUA aumentaram US$ 50 bilhões no mesmo ano?US$ 35 bilhões foram apenas por causa da Amazon. Então, nos EUA, ela é o e-commerce!
  3. Da receita de US$ 114 bilhões do comércio eletrônico em 2016 (não incluindo a AWS, Prime, Alexa), US$ 22 bilhões vieram de comissões e serviços do vendedor (incluindo a FBA, que é o serviço de frete da Amazon que faz em nome de seus vendedores).Isso representa 20%.
  4. A receita de 2017 da Amazon é estimada em cerca de US$ 150 bilhões, dos quais US$ 30 bilhões serão provenientes de comissões do vendedor
  5. A Amazon possui mais de dois milhões de vendedores em todo o mundo.Mas os que fazem pelo menos US$ 100.000 em lucro por ano (o suficiente para sustentar a família de uma pessoa por ano nos EUA) seriam cerca de 100 mil vendedores. Então, são esses que dão US$ 30 bilhões em comissões para a Amazon.
  6. Amazon cobra em qualquer lugar entre 15% – 40% de comissão. Vamos assumir que seja 15%. Então, se US$ 30 bilhões = 15%, qual seria a receita real dos vendedores da Amazon? US$ 200 bilhões, por essa conta. Então, em média, se houver 100 mil vendedores que importam, cada um ganha US$ 2 milhões (claro, isso não é como parece – alguns irão fazer mais e alguns, muito menos, mas imagine um mercado onde haja 100 mil empresas com esse faturamento). Este é o ecossistema que a Amazon alimentou.

Artigo original publicado em http://blog.pipecandy.com/e-commerce-companies-market-size/. Tradução de Fung Hui, da redação do E-Commerce Brasil

Deixe seu comentário

0 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Hospedado por: Dialhost Transmissão de Webinars: Leads Qualificados: Dialhost Recrutamento & Seleção: Dialhost Métricas & Analytics: MetricasBoss People Marketing: Dialhost

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.