Acesso rápido

Plataforma para e-commerce: o que avaliar antes de escolher

por Gustavo Chapchap Quinta-feira, 31 de janeiro de 2019   Tempo de leitura: 7 minutos

O momento de escolha das plataformas para e-commerce é um dos mais críticos para quem está estruturando uma operação de venda no ambiente online.

Compreensível que haja certa dificuldade, uma vez que o mercado dispõe de diversas opções de sistemas, e nem sempre temos todas as informações necessárias para fazer os comparativos.

O e-commerce tem mesmo algumas terminologias específicas e sem compreender o que está por trás de cada conceito, é complicado escolher a melhor plataforma para o seu negócio.

Este artigo foi pensado justamente para esclarecer algumas dúvidas recorrentes nessa área. Esperamos que seja útil para o seu caso!

Plataforma para e-commerce: as vantagens das soluções SaaS

Para ter mais convicção na escolha da sua plataforma, o primeiro passo é entender o que está por trás diversas soluções oferecidas pelo mercado.

No caso de e-commerce, o modelo mais utilizado atualmente é o SaaS, que tem superado os sistemas Open Source e On-Premises.

Por que isso tem acontecido? Simples, as plataformas de e-commerce SaaS apresentam mais vantagens para a maioria dos negócios na internet, principalmente nos quesitos atualização.

Para entender a diferença: a sigla SaaS significa Software as a Service e isso significa que o sistema pertence ao fornecedor, que fica responsável por toda a infraestrutura tecnológica, como a parte de hospedagem e de servidores.

A contratação do serviço é feita a partir da assinatura de um contrato e você fará o pagamento de uma parcela mensal, como um aluguel.

Esse é um aspecto que a diferencia das plataformas On-Premises. Nesse sistema a loja adquire a licença de uso do código e, a partir daí, cuida de toda a implantação e manutenção do sistema.

O modelo Open Source, também conhecido como lojas virtuais de código aberto, tem outra característica: são desenvolvidas por comunidades de programadores e liberadas para download.

Na implementação, contudo, é preciso aplicar uma boa quantidade de recursos, uma vez que é preciso ter mão de obra especializada para desenvolver as aplicações apropriadas para a sua loja.

Uma questão a ser levada em conta é o quanto você pretende dedicar de atenção, esforços e recursos para ter em mãos o modelo ideal para o seu negócio. Comparando com a SaaS, nesse caso a operação também tem flexibilidade, porém, tem todo o suporte técnico necessário.

Entenda os recursos imprescindíveis para a conversão

Além do tipo de sistema que vai abrigar a operação de comércio eletrônico, é essencial analisar, entre as funcionalidades disponibilizadas, quais são mais adequadas para a loja.

Nesse sentido, ter uma plataforma focada em conversão faz muita diferença, uma vez que isso significa que todos os seus processos foram desenvolvidos para facilitar a navegação e a compra.

Parece óbvio, porém, nem todos os fornecedores privilegiam esses aspectos, o que pode prejudicar o desempenho comercial da sua operação de venda via internet.

Considerando a evolução do varejo online, certifique-se de que o serviço contratado disponha dos seguintes recursos:

Checkout inteligente

Quanto mais facilidades o cliente tiver para fechar a compra, melhor. Assim, verifique se a plataforma permite o login social (o usuário pode fazer a compra usando os dados das contas nas redes sociais) e oferece o suporte necessário na hora do pagamento.

Em algumas plataformas o preenchimento dos dados do cartão de crédito é feito com auxílio visual. Além disso, o resumo do pedido fica disponível de maneira não obstrutiva durante toda a jornada de compra.

Omnichannel

Com o crescimento do mobile commerce, tornou-se imprescindível ter um sistema responsivo. Isso significa que o consumidor terá a mesma experiência se acessar a loja via desktop ou dispositivos móveis.

Para o gestor, a vantagem de uma plataforma omnichannel é a integração das informações sobre as vendas, que permite a gestão completa da operação, independentemente do canal usado, incluindo a loja física.

Integração com marketplaces

Apenas no primeiro semestre de 2018 as vendas via marketplace tiveram um crescimento nominal de mais de 60%.

Então, esse é outro aspecto que precisa ser analisado: a integração com os principais marketplaces do país.

Se for feita via hub nativo, o fluxo de trabalho do vendedor diminui bastante, uma vez que ele consegue administrar todo o processo na própria plataforma.

A partir daí, além de mais facilidade para lidar com o operacional da loja, tem condições de desenvolver estratégias adequadas para cada canal, avaliando o que funciona melhor em cada situação.

Confira o que você precisa para a gestão do negócio

Tão importantes quanto a experiência do usuário são as ferramentas disponibilizadas para a gestão do e-commerce.

Nesse caso, uma das questões que deve ser analisada na escolha da plataforma é a integração com sistemas de terceiros. Para aproveitar os recursos do ambiente online ao máximo, é essencial que a loja seja integrada a meios de pagamento, sistemas antifraude, marketplaces, integradores, certificações, comparadores e logística.

Ainda em relação à gestão, confira também a qualidade dos relatórios gerados para o acompanhamento das vendas. O ideal é que você consiga acessar, via dashboard, a evolução dos pedidos, perfil dos clientes, carrinhos abandonados e produtos mais vendidos.

Devido à importância do marketing para que a loja tenha boa performance, é preciso avaliar também as ferramentas de promoção e de marketing digital.

Algumas plataformas para e-commerce têm painéis integrados às principais ferramentas do Google e do Facebook, e dispõem de diversos recursos para gestão de promoções.

Um dos destaques, nesse caso, é o cross selling ativo. Na prática, isso quer dizer que é possível, a partir da relação de produtos, aumentar o ticket médio oferecendo “Compre junto”, “Produtos relacionados” e “Quem comprou Também comprou”.

Visando o marketing digital, temos ainda outro diferencial importante: trata-se de uma plataforma SEO Friendly. Ou seja, o seu desenvolvimento foi feito com base nas melhores práticas de otimização, para que a loja obtenha relevância nas buscas orgânicas.

A contratação de plataformas para e-commerce deve ser feita de forma criteriosa, avaliando, principalmente as necessidades específicas do seu negócio.

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

 

Deixe seu comentário

1 comentário

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  1. Gostei do artigo 9/10

    Foi bem criterioso com as características que uma plataforma precisa ter, achei até um pouco excessivo para lojistas de primeira viagem no e-commerce.

    Acredito que mais que plataforma, o lojista deve-se conscientizar de gerar tráfego, o resto é questão de ferramenta e otimização do tempo.

    Vale a pena a leitura.

    Responder

  Assine nossa Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Obrigado!

Você está inscrito em nossa Newsletter. Enviaremos, periodicamente, novidades e conteúdos relevantes para o seu negócio.

Não se preocupe, também detestamos spam.