Projeto mantido por:

Como o plágio pode afetar o SEO do seu e-commerce

por Lucas Maranho Segunda-feira, 07 de março de 2022   Tempo de leitura: 9 minutos

Varejista! O plágio é uma palavra que tem certo peso negativo, principalmente quando aplicada ao contexto das produções de conteúdo para um site ou e-commerce. Por isso é importante estar ciente dos riscos que você pode estar exposto ao realizar práticas como essa.

E, para ser bem franco, o Google não tem dó de punir conteúdos sem autenticidade!

A seguir, você entenderá o que é plágio, como evitar o plágio não intencional e como se manter relevante em meio a tanta concorrência de conteúdo, além de conhecer ferramentas para se destacar com um SEO autêntico!

Então, preste atenção, pois as penalizações podem afetar negativamente o seu ranqueamento.

O que é plágio?

Para poder contextualizar e explicar o que o termo “plágio” significa, você precisa entender que qualquer tipo de conteúdo, ideias materializadas, imagens e obras artísticas que sejam replicados e publicados com um nível alto de similaridade serão considerados plágio se forem tomados como propriedade sem inserção de créditos do real autor de dita obra.

Existem diversos tipos de plágio. Segundo o professor Lécio Ramos, citado por Garschagen (2006), são eles:

  • Plágio integral: o famigerado “copy and paste”.
  • Plágio parcial: a colagem de frases sem citações referentes ao autor.
  • Plágio conceitual: que se utiliza da essência da obra original, mas se expressa de forma diferente.

Dentro do SEO, há muitas demandas de conteúdo, como titles, descriptions, textos de categoria, descritivos de produtos e blogposts. Durante a execução desses conteúdos, podemos nos encontrar observando como nosso concorrente está aplicando o SEO em sua página, na constante busca de fazer melhor.

Apesar de necessário, esse pode ser um movimento arriscado. Afinal, não é difícil ultrapassar a fronteira entre inspiração e cópia durante a produção de textos de categoria ou descrição de produtos.

Por isso, seja sempre autêntico e criativo nesses momentos e não copie diretamente de seus concorrentes. Até porque cada empresa tem um tom de voz e comunicação singular com seus clientes. Isso tudo sem esquecer o SEO, combinado?

Quais outros fatores podem ser considerados plágios no SEO?

A seguir, comento outras práticas que, para o Google, podem significar duplicação de conteúdo:

Traduções

Quantas vezes você já leu um conteúdo bacana em outros idiomas e considerou a ideia de traduzi-lo para compartilhar aquilo com seus usuários e clientes? Queremos, na melhor das intenções, propagar assuntos que gostamos, mas isso deve ser feito de forma devida. Caso contrário, pode ser considerado plágio.

Conteúdos com estrutura muito semelhante

Essa é uma dica que pode ser dada para quem escreve blogposts! O plágio não é somente a cópia exata, e sim a reprodução de uma ideia muito similar à de um outro autor. Parafrasear e utilizar sinônimos nem sempre vai esconder um plágio.

Google Panda: a atualização que colocou o conteúdo em pauta!

Em 2011, o Google lançou mais uma atualização de seu algoritmo que trouxe diversas mudanças nos resultados de pesquisa. A partir do Panda, o buscador passou a ser mais rigoroso com os conteúdos que apareceriam para o usuário. Portanto, conteúdos de baixa qualidade já não estariam mais na SERP com tanta facilidade.

Além da baixa qualidade, fatores como plágio e conteúdos magros entraram para a “zona de perigo”. Desde então, o investimento em redatores que produzem conteúdos que agregam valor e sentido ao site/página só aumentou, e estratégias no momento de utilizar palavras-chave, headlines e outros foram adotadas.

O algoritmo segue em constantes atualizações, sempre pensando na melhor experiência para o usuário.

Por isso é importante sempre se manter atualizado junto ao Google, para ter essa sinergia e evitar comprometer seu ranqueamento. Clique e veja mais sobre os Google Updates.

Como ser relevante em meio a um mar de informações?

Você já está cansado de ouvir que precisa criar conteúdo relevante e não saber como fazer isso? Calma, é mais simples do que você imagina.

Primeiramente, entregue o que você prometeu. Muitas vezes, o leitor espera com ânsia por uma resposta, a headline faz uma promessa e demora a entregar, ou apenas sonega em meio a outras informações. Essa situação torna a leitura maçante, fazendo com que o leitor canse e desista de continuar navegando em sua página.

Qualidade é definitivamente mais importante que quantidade, mas não é com 250 palavras que você faz a entrega de uma informação completa e que alimente a necessidade do usuário, ok?

Sobre o que o seu concorrente online e offline está falando? Seja capaz de extrair essa informação e melhorá-la. Afinal, o SEO é sobre otimizações! Traga infográficos, faça pesquisas originais sobre o tema, crie tabelas, convide especialistas para escrever no seu espaço: tudo isso agrega ao seu conteúdo.

Lembre-se: criar conteúdo é pensar no usuário

Pense sempre na experiência do leitor e utilize técnicas de escrita para SEO. Aqui vão algumas perguntas que podem te direcionar ao avaliar se o seu texto está de acordo com boas práticas de criação para a web:

  • O texto é escaneável?
  • O material é útil para quem lê?
  • A redação contém palavras-chave estratégicas?
  • A headline atrai atenção?
  • Tenho uma CTA (Call To Action) de qualidade?

Ferramentas para identificar plágio ou duplicidade interna de conteúdo

Algumas ferramentas e softwares que podem auxiliar no momento de redigir seus textos, evitando plágio (similaridades com outras páginas da web) ou conteúdos duplicados (quando as páginas do seu próprio site exibem textos muito parecidos entre si). São duas as principais:

  • Screaming frog: uma das melhores ferramentas de simulação de rastreio disponíveis no mercado, ideal para identificar conteúdos totalmente ou parcialmente duplicados dentro do seu próprio site.
  • Copyleaks: É um software certificado por várias instituições confiáveis para a identificação de plágios. Ele gera relatórios e utiliza inteligência artificial para a detecção de cópias pelos sites na web.

Trabalhar com uma linguagem própria e entender que a presença de um conteúdo original e livre de plágios faz falta são fatores muito importantes. Isso manifesta de forma objetiva o posicionamento do seu e-commerce. Pode ser o caminho mais árduo, mas vale a pena!

Leia também: Produtos temporariamente esgotados: qual a recomendação do SEO?

 

Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!
Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica?
Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER