Projeto mantido por:

Os principais erros de SEO em páginas de produto

por Juliana Spadotto Pineda Sexta-feira, 14 de janeiro de 2022   Tempo de leitura: 13 minutos

Muitas vezes os erros cometidos em uma loja online, além de dificultarem que o site seja encontrado pelos buscadores, fazem os empreendedores perderem dinheiro.

Afinal, pense comigo: quem de nós, ao buscar um produto ou serviço no Google acessa a segunda página de resultados? Tenho certeza que você sempre clica nos primeiros resultados!

Se o seu site ainda não está ranqueando na primeira página dos buscadores, pode ter certeza que alguns desses erros a seguir, você está cometendo na sua loja.

A seguir, falarei sobre os principais erros de SEO que fazem as páginas de produto não ranquearem e te ensinarei a como aplicar as técnicas de SEO em uma das páginas mais importantes da sua loja virtual. Acompanhe.

Caso deseje melhorar a estrutura da sua loja como um todo, não deixe de conferir as dicas neste guia completo do e-commerce.

A importância de inserir técnicas de SEO na página de produto

As técnicas de SEO (Search Engine Optimization) são importantes porque auxiliam que seu produto ou serviço seja facilmente encontrado pelos usuários.

Afinal, o processo de busca no Google sobre determinado produto já se tornou um hábito do consumidor brasileiro que antecede o ato da compra.

E mesmo que muita gente não saiba, é possível aplicar as técnicas de SEO na página de produto de um e-commerce, prática que muitos lojistas deixam para lá.

Confira os erros de SEO em páginas de produto mais comuns que atrapalham seu negócio e o que fazer para nunca cometê-los no seu e-commerce:

1 – Usar a descrição do fabricante

Usar a descrição do fornecedor ou fabricante na sua loja virtual é um dos piores e mais comuns erros que vemos por aí nas páginas de produto.

Nunca, jamais, em hipótese alguma permita isso na sua loja virtual mesmo que seu e-commerce tenha milhares de páginas de produtos.

Quando você copia e cola no seu site um conteúdo que outros sites já possuem, o Google não vai considerar seu site. Muito pelo contrário: dará preferência ao site que o conteúdo foi publicado primeiro.

O que fazer:

Fuja dos conteúdos duplicados! Utilize a descrição do fabricante como ponto de partida para a sua e escreva o texto com outras palavras. Neste caso, destaque os pontos fortes do produto, modo de usar e outras características que julgar relevante.

Na dúvida sobre o que destacar na descrição, dê uma conferida no site do concorrente, mas de forma nenhuma copie o conteúdo.

2 – Texto sem escaneabilidade

Você já deu uma olhadinha em como fica a página de produto do seu site em telas menores, como celular e tablet?

Aposto que foi olhar agora não é? É importante ficar atento à escaneabilidade e na diagramação do texto, evitando que ele fique em blocos muito grandes, sem espaços e respiros — principalmente nas telas menores.

O que fazer:

Aposte na melhora da escaneabilidade do seu texto na descrição do produto.

Escreva frases curtas, bullet points e dê espaços que facilitem a leitura.

Dessa maneira fica mais fácil para o leitor identificar os principais pontos e ser instigado para ler o conteúdo na íntegra.

A falta de otimização na página de produtos também traz consequências e dificulta que o seu produto seja encontrado pelos buscadores.

Por isso, após escrever a descrição do seu produto, se atente às otimizações on page e não cometa esses erros na sua página de produto.

3 – Não utilizar a meta title e a meta description

Você já reparou naquela pequena descrição que aparece abaixo do título de uma página da Web?

O título e a descrição são conhecidas no mundo do SEO como as meta tags. São tags HTML usadas para descrever o conteúdo de uma página da web.

As meta tags podem ser muito bem aproveitadas na sua estratégia de SEO e quando não utilizadas podem prejudicar a taxa de cliques do site.

Meta titles e meta descriptions precisam ser exclusivas em cada uma das páginas.

Não copie e cole a mesma meta tag em várias páginas. Afinal, isso não vai ajudar na sua estratégia de SEO.

O que fazer:

Preencha o campo das meta tags do seu site. Mostre, num pequeno texto de até 160 caracteres os motivos principais para que os usuários cliquem na sua página e acessem seu site.

Utilize CTAs e transmita confiança para esses potenciais clientes.

Procure escrever titles e descriptions exclusivas em cada uma das páginas.

Nas páginas de produto da sua loja virtual, use sempre a palavra-chave no título e faça uma descrição persuasiva, que fale dos benefícios, funcionalidades do produto, formas de pagamento etc.

4 – A Falta das Heading Tags (H1, H2, H3 e H4)

As heading tags servem para marcar e definir quais são os títulos e subtítulos do texto.

Através dela é possível fazer a hierarquização do conteúdo, sinalizando ao algoritmo do Google quais pontos do texto são mais importantes que outros.

A não utilização da heading tags prejudica a indexação do conteúdo pelo algoritmo e também auxilia na hora de trabalhar com as palavras-chave complementares. Por isso é bastante importante usar este recurso.

O que fazer:

Use as tags para deixar seu conteúdo legível e destacar os títulos e subtítulos do texto.

É essencial que você utilize somente uma tag H1, no título de preferência e contenha a palavra-chave.

Você pode utilizar as tags H2, H3 e H4 para inserir os termos relacionados do seu conteúdo.

5 – Imagens não otimizadas

Otimizar as imagens dos produto para SEO é uma ótima maneira de aumentar o tráfego potencial do seu site.

Uma vez que auxilia no ranqueamento de páginas específicas, no reconhecimento de marca e possibilita a aquisição de backlinks através das imagens.

Lembrando que é extremamente importante que as imagens inseridas tenham uma boa resolução. E mais: que apresentem o produto de forma clara ao consumidor.

Evite colocar filtros nas imagens que alteram a cor do produto. Além disso, evite também fotografar em ângulos que não mostrem o real tamanho do produto vendido. Isso atrapalha bastante a experiência do cliente e pode gerar problemas futuros.

O que fazer:

  • Evite salvar as imagens como (DDC23.JPG). Renomeie com a palavra-chave;
  • Use o alt. Text de maneira correta;
  • Posicione as imagens em pontos estratégicos na página de produto, não jogue a imagem em qualquer lugar do texto.

6 – URLs longas e incompreensíveis

As Urls são extremamente importantes. Isso porque, além de serem um fator importante de ranqueamento para os buscadores, precisam ser claras e concisas, de modo que o usuário bata o olho e saiba o que vai encontrar no site.

Não há nada pior para um usuário do que bater o olho em uma URL e ela ser muito longa, repleta de números, códigos e caracteres especiais.

Exemplo de URL que deve ser evitado:

https://www.escoladeecommerce.com/artigos/e-commerce/?s=ecommerce-o-que-e-e-commerce/

Exemplo de URL amigável:

O que é E-commerce? Tipos, como funciona e como criar o seu, na prática!

O que fazer:

  • Evite URLs que não façam sentido para o leitor;
  • Não coloque números, caracteres especiais e não crie URLs longas demais;
  • Não abuse do uso de subdomínios.

7 – Falta de linkagens internas

Além de facilitar a navegação no site, a linkagem interna mostra para os buscadores (e principalmente para os usuários) as páginas relacionadas, guiando o leitor pelo funil.

Não trabalhar com linkagem interna no seu site é perder tempo. Digo isso porque elas são importantes para os buscadores, assim como uma grande oportunidade de aumento do ticket médio.

O que fazer:

O ideal é trabalhar com linkagens internas na página de produto que mostrem produtos relacionados que possam interessar o cliente, durante a jornada de compra.

Utilize CTAs na descrição do produto, apresentando produtos relacionados que possam ser também do seu interesse.

Além de fortalecerem e passarem autoridade para sua marca, links internos são uma grande oportunidade de conversão.

8 – Não focar na experiência mobile

Apesar das diversas variáveis que fazem um determinado site ranquear no Google ou não, a experiência mobile é com certeza uma das mais importantes.

Já que a grande maioria das pesquisas no Google é feita por smartphones e tablets — e não é de hoje que o Google vem priorizando a versão mobile dos sites.

Aí a importância de analisar como está a navegabilidade do seu site no mobile e apostar em melhorias que ajustem a experiência mobile do seu e-commerce.

O que fazer:

  • Certifique-se que seu site carrega todo o conteúdo na versão mobile, assim como na versão para desktop;
  • Fique de olho na velocidade de carregamento do site;
  • Não esconda conteúdos na versão mobile;
  • Ofereça uma excelente usabilidade em qualquer dispositivo.

Viu só? Agora você já sabe quais são os principais erros de SEO nas páginas de produto de um e-commerce e o melhor: como se livrar deles! Basta colocar a mão na massa e estruturar a sua página de produto. Afinal, assim o seu e-commerce vai obter muito mais sucesso nas vendas online.

Aproveite para saber quais nichos de mercado estão em alta em 2022 e as melhores opções de produtos para vender na internet.

Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!
Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica?
Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER