Os hubs e suas vantagens nas conexões diretas

por Cleber Piçarro Quarta-feira, 02 de junho de 2021   Tempo de leitura: 4 minutos

Conexões com marketplaces utilizando hubs ou plataformas mais elaboradas, como um OMS Omnichannel, são uma necessidade e não uma opção, seja por questões logísticas, de produtividade ou tecnológicas. Entenda o porquê.

Em termos logísticos é fácil de entender. Segundo dados desatualizados de 2017, o Mercado Livre já contava naquela época com mais de 10 milhões de vendedores (sellers). Mesmo utilizando este número desatualizado como referência, vamos fazer algumas contas. Por exemplo, se ao invés de homologar 10 ou 12 hubs de conexão, o Mercado Livre liberasse o acesso para qualquer um se conectar com suas APIs, o problema de qualidade para ser gerenciado pelo Mercado Livre, por exemplo, seria milhões de vezes maior. Logo, os hubs tornam-se uma necessidade sob o ponto de vista dos marketplaces. Sistemas mal configurados que acessam de forma livre as APIs dos marketplaces exigiriam um esforço enorme em termos de atendimento por parte dos canais de venda.

Por outro lado, em termos de tecnologia, os hubs são uma ótima solução para os vendedores de médio porte e grande que querem integrar seus ERPs com os marketplaces e manter vendas em vários canais simultaneamente. Como as tecnologias de integração estão sempre em evolução, toda vez que um vendedor (seller) tenta se integrar diretamente com vários marketplaces via API, ele traz uma responsabilidade técnica muito grande para dentro de casa, difícil de ser administrada.

As tecnologias para se conectar em diferentes canais são via de regra parecidas mas nunca idênticas. Para se conectar com 3 ou 4 canais, cada seller (vendedor) deveria dominar todos os detalhes necessários para fazer essa conexão com qualidade e desempenho. Além disso, terá que manter estas conexões monitoradas e em constante manutenção. Logo, se a empresa optar por um hub ao invés de conexão direta, ela estará simplificando muito a forma com a qual acessa diversos marketplaces. Além disso, estará transferindo a responsabilidade de atualização dessas integrações para um terceiro.

Por último, mas não menos importante, pequenos vendedores digitais que querem vender em diversos canais normalmente fazem isso manualmente. Ou seja, publicam seus produtos em vários canais e coletam os pedidos individualmente para depois processá-los na mão. Se optar por um hub, ele irá ganhar produtividade, assim se espera. Bons hubs facilitam o trabalho de publicação de produtos (anúncios) e coleta de pedidos. Isso facilita muito a vida dos pequenos vendedores. Afinal, mesmo trabalhando com 2 ou 3 marketplaces diferentes, poderão gerenciar seus pedidos e anúncios em poucas telas. Nunca é tão simples quanto parece mas de fato existe um ganho importante.

Os hubs e as plataformas OMS Omnichannel, de forma geral, trazem para si a responsabilidade de acompanhar as mudanças tecnológicas e blindar os sellers dessa preocupação. Portanto, prestam um serviço essencial para a manutenção do equilíbrio desse ecossistema.

Os pequenos problemas de um hub

Os hubs foram pensados inicialmente para permitir que um pequeno seller venda o mesmo produto em diferentes marketplaces de forma simultânea. Com o tempo, foram reconhecidos como uma boa solução multiplataforma por empresas de médio porte. Porém, à medida em que ganharam espaço, suas limitações ficam mais claras.

A principal delas é que apesar da conexão multiplataforma oferecida pelos hubs ser essencial, não é suficiente para entregar um processo de negócio completo para quem pretende crescer ou já vende muito. Assim, à medida em que o volume de vendas aumenta, as empresas precisam adotar soluções compatíveis com seu volume de venda digital.

Nesse sentido, processos como faturamento fracionado e em lote, pick-and-packing, conciliação com marketplaces, fulfillment, entre outros, são essenciais para suportar a operação de vendas online. Normalmente essas soluções são encontradas em backoffices especializados ou ERPs de e-commerce que usam os hubs como uma peça adicional importante. Sendo assim, as boas plataformas de integração OMS Omnichannel adotam hubs de terceiros ou mesmo próprios para garantir um processo de negócio mais integrado e seguro.

De qualquer forma, hubs e plataformas OMS são essenciais para uma integração de qualidade com os principais marketplaces — em especial para empresas que começam a vender 100 pedidos ou mais por dia, apenas como uma referência.

Gostou desse artigo? Não esqueça de avaliá-lo!
Quer fazer parte do time de articulistas do portal, tem alguma sugestão ou crítica?
Envie um e-mail para redacao@ecommercebrasil.com.br

Você recomendaria esse artigo para um amigo?

Nunca

 

Com certeza

Deixe seu comentário

0 comentários

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentando como Anônimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.